PELEGO, você já ouviu essa palavra e sabe o que ela significa?


Pelego é um termo que significa “capacho“, mas também significando o trabalhador que atua contra os interesses de seus colegas de trabalho. É usado de várias maneiras e devido a essa diversidade, deixamos abaixo o trabalho do eminente professor Heitor Scalambrini Costa da Universidade Federal de Pernambuco, para reflexão. Pensemos no NEO PELEGO, ou o novo pelego ou novo peleguismo.

“… Mas como se pode definir esse trabalhador que se acovarda, que aceita tudo o que o patrão e o governo querem, sem questionar?”

Em nossas vidas temos nossas responsabilidades, e em uma pequena cidade onde os governantes ai estão há mais de 25 anos, eles conseguiram marcar as pessoas pelo medo, diante de suas decisões arbitrárias e perseguições que fazem.


Mas, está acontecendo uma REVOLUÇÃO silenciosa e as coisas começam a mudar.
Aconteceu que várias pessoas não aceitam mais esse grau de injustiça e têm se valido de seus direitos, batendo nas portas da Justiça. Mesmo lenta, a Justiça vem revertendo a situação de vários funcionários da Prefeitura de Guararema que foram injustiçados pelo grupo que domina a Cidade há anos. Muitos já foram reintegrados.
É uma situação difícil e estressante, porque a demora para a Justiça se pronunciar tem sido muito grande, mas o resultado tem sido alentador. E tem sido alentador por dois motivos: o primeiro, porque a injustiça praticada pelos prefeitos dos últimos 25 anos têm sido corrigidas; o segundo, porque as pessoas têm se rebelado contra as injustiças e quando conseguem suas vitórias “pessoais”, servem de exemplo para as demais pessoas de que é possível mudar uma situação de injustiça.

“Pelego é aquele trabalhador que não sabe o significado da palavra solidariedade, o egoísta que não consegue ver nada além de suas próprias e momentâneas necessidades ;… não consegue olhar nos olhos de seus companheiros, porque se sente uma sub-pessoa, uma não-gente, pois lhe falta uma parte essencial a todo ser humano que se preze: o brio, a coragem, o amor próprio, a nobreza de caráter, enfim.”

As pessoas de caráter, e Guararema tem muitas pessoas assim, aquelas que são nomeadas ou passaram nos exames e agora são funcionários concursados e que têm suas famílias e/ou suas carreiras para cuidar, ficam acuadas com tamanha pressão que é executada; tudo pela ganância do poder e que, às vezes, sentem que nada podem fazer, já que os fatos são deturpados e as pressões começam a existir e se bobear toma sindicância e são injustiçadas. Então, essas poucas decisões, que favoreceram alguns funcionários, têm servido de alento para que esses bons cidadãos e cidadãs saibam que é possível sim acreditar na Justiça e que a injustiça, ainda que tardia, tem hora para acabar.
Afinal, para gente de caráter, é deplorável ter que viver dessa maneira: com medo e sem reagir, por ser coisa de gente com falta de caráter, de pessoas pequenas que nada sabem, a não ser viver na sombra do poder e levar inverdades ou fatos deturpados aos mandatários e à população. Alguns funcionários são “obrigados ou induzidos” muitas vezes a executar funções ou atos contra sua vontade e índole, somente para obedecer mentes distorcidas. Alguns se enrolam de tal maneira que quando querem sair são veladamente ameaçados de sua atitude ou ato anterior praticado. É o preço que alguns, infelizmente, pagavam por serem pelegos.

PELEGO, você já ouviu essa palavra e sabe o que ela significa?


Pelego é um termo que significa “capacho”, mas também significando o trabalhador que atua contra os interesses de seus colegas de trabalho. É usado de várias maneiras e devido a essa diversidade, deixamos abaixo o trabalho do eminente professor Heitor Scalambrini Costa da Universidade Federal de Pernambuco, para reflexão. Pensemos no NEO PELEGO, ou o novo pelego ou novo peleguismo.

“… Mas como se pode definir esse trabalhador que se acovarda, que aceita tudo o que o patrão e o governo querem, sem questionar?”

Em nossas vidas temos nossas responsabilidades, e em uma pequena cidade onde os governantes ai estão há mais de 25 anos, eles conseguiram marcar as pessoas pelo medo, diante de suas decisões arbitrárias e perseguições que fazem.


Mas, está acontecendo uma REVOLUÇÃO silenciosa e as coisas começam a mudar.
Aconteceu que várias pessoas não aceitam mais esse grau de injustiça e têm se valido de seus direitos, batendo nas portas da Justiça. Mesmo lenta, a Justiça vem revertendo a situação de vários funcionários da Prefeitura de Guararema que foram injustiçados pelo grupo que domina a Cidade há anos. Muitos já foram reintegrados.
É uma situação difícil e estressante, porque a demora para a Justiça se pronunciar tem sido muito grande, mas o resultado tem sido alentador. E tem sido alentador por dois motivos: o primeiro, porque a injustiça praticada pelos prefeitos dos últimos 25 anos têm sido corrigidas; o segundo, porque as pessoas têm se rebelado contra as injustiças e quando conseguem suas vitórias “pessoais”, servem de exemplo para as demais pessoas de que é possível mudar uma situação de injustiça.

“Pelego é aquele trabalhador que não sabe o significado da palavra solidariedade, o egoísta que não consegue ver nada além de suas próprias e momentâneas necessidades ;… não consegue olhar nos olhos de seus companheiros, porque se sente uma sub-pessoa, uma não-gente, pois lhe falta uma parte essencial a todo ser humano que se preze: o brio, a coragem, o amor próprio, a nobreza de caráter, enfim.”

As pessoas de caráter, e Guararema tem muitas pessoas assim, aquelas que são nomeadas ou passaram nos exames e agora são funcionários concursados e que têm suas famílias e/ou suas carreiras para cuidar, ficam acuadas com tamanha pressão que é executada; tudo pela ganância do poder e que, às vezes, sentem que nada podem fazer, já que os fatos são deturpados e as pressões começam a existir e se bobear toma sindicância e são injustiçadas. Então, essas poucas decisões, que favoreceram alguns funcionários, têm servido de alento para que esses bons cidadãos e cidadãs saibam que é possível sim acreditar na Justiça e que a injustiça, ainda que tardia, tem hora para acabar.
Afinal, para gente de caráter, é deplorável ter que viver dessa maneira: com medo e sem reagir, por ser coisa de gente com falta de caráter, de pessoas pequenas que nada sabem, a não ser viver na sombra do poder e levar inverdades ou fatos deturpados aos mandatários e à população. Alguns funcionários são “obrigados ou induzidos” muitas vezes a executar funções ou atos contra sua vontade e índole, somente para obedecer mentes distorcidas. Alguns se enrolam de tal maneira que quando querem sair são veladamente ameaçados de sua atitude ou ato anterior praticado. É o preço que alguns, infelizmente, pagavam por serem pelegos.