Chapa 1 – Sindipetro-RJ 2014


http://fnpetroleiros.org.br/wp-content/uploads/2014/05/boletim_chapa1_numero7.pdf

ELEIÇÕES DE 5 A 8 DE MAIO 2014

Informativo n° 7

chapa1petroleiros.blogspot.com

Unidade A formação da Chapa 1, que representa a aliança dos dirigentes mais experientes com os ativistas mais novos da categoria (uma renovação de 40%), demonstra que esta é a chapa da unidade. Aqui, há espaço para as mais diversas correntes de pensamento e atuação. Ao contrário da outra chapa, feita às pressas e controlada por um único grupo, a Chapa 1 é fruto de 3 plenárias com mais de 100 companheiros.Além disso, é a chapa que – assim como a FNP – defende nacionalmente a unidade na luta dos petroleiros. Isso significa que somos os defensores de mesa única de negociação, calendário unificado de mobilizações e comando nacional de greve. Defendemos esse método de luta por entender que é o melhor para a categoria, mesmo que não tenhamos nenhum acordo programático com a FUP.

Sabemos colocar as diferenças de lado quando o que está em jogo é o destino da categoria. Por diversas vezes fizemos esse chamado aos governistas, mas eles recusam. Com isso, perguntamos: quem divide a categoria?

ConselhoS DE BASE

Um dos compromissos dessa chapa (2014) é a formação de um Conselho de Representantes das comissões de base, que será composto por trabalhadores de todas as bases (Diretoria colegiada + trabalhadores eleitos em cada unidade). O objetivo é que esse conselho se transforme em uma instância estratégica da categoria durante as mobilizações e campanhas salariais. Além disso, é uma importante ferramenta para transformar o sindicato em um instrumento da categoria, subordinado aos interesses dos trabalhadores. É uma forma de garantir um sindicalismo democrático, com forte presença na base, até porque consideramos correta a crítica de devemos estar mais próximos da base. Quanto mais alinhada aos trabalhadores, menores as chances de erros e mais fortes seremos para derrotar os ataques da empresa.

Jurídico

Em nossa opinião, um ponto de apoio forte da categoria é o Departamento Jurídico. E para que a categoria tenha amplo acesso às conquistas jurídicas do Sindicato é fundamental dar mais divulgação a essas vitórias, assim como melhorar o acompanhamento dos processos e melhorar o atendimento local aos associados.

Hoje, temos mais de 5 mil ações individuais e diversas ações coletivas que tramitam nas mais diversas esferas da Justiça.

A ação de RMNR, uma das mais recentes, tem obtido importantes vitórias. Para a Chapa 1, fortalecer o Jurídico – sempre subordinado às mobilizações diretas da categoria – será um dos eixos de nossa gestão.

Revolucionar a Comunicação

Um dos compromissos da Chapa 1 é otimizar a comunicação com a categoria. Uma mudança na forma e no conteúdo de tudo aquilo que produzimos e divulgamos para os trabalhadores. O site, por exemplo, precisa de melhorias.

Temos uma estrutura de comunicação capaz de aproximar os trabalhadores do sindicato, se convertendo em um grande impulsionador da organização coletiva da categoria durante os processos de mobilização. Em nossa gestão, o conteúdo produzido será previa e amplamente debatido na direção.

Com isso, estará garantida a construção coletiva dos materiais de comunicação.

Aposentados e Pensionistas

A empresa discrimina descaradamente os aposentados e pensionistas, que representam sem dúvida o setor que mais sofreu com as políticas da empresa, do governo e de traição das entidades tradicionais que um dia lutaram. A Reforma da Previdência, a repactuação, tabela salarial “congelada”, com aumento real zero no salário base, são alguns exemplos de ataques sofridos por essa parcela da categoria. Ataques que um dia serão proferidos a todos da ativa quando se aposentarem. Quando chega a aposentadoria, a categoria sofre, por não contar mais com abonos e PLR e se deparar com o péssimo salário base. Por isso, defendemos o fim das discriminações ao aposentados e pensionistas, com aumento real no salário base e fim das remunerações variáveis, com sua incorporação ao salário base. Anistiados A empresa e o governo apostam na divisão da categoria para desmobilizar e conseguir impor mais ataques a seus trabalhadores. Consideramos petroleiros todos os trabalhadores do Sistema Petrobrás e somos contra as distorções dos direitos que acompanharam a reintegração dos demitidos. Além disso, ainda há muitos companheiros fora da empresa aguardando sua anistia. Esta luta é uma batalha da Chapa 1.

Defesa dos terceirizados

Existem hoje, em média, 4 terceirizados para cada petroleiro próprio. Os terceirizados não dispõem de uma série de direitos que os trabalhadores próprios têm. São contratados numa relação de emprego sem garantias mínimas, como a manutenção de seus postos de trabalho e benefícios que não atendem suas necessidades. Além disso, muitas empresas no final de seus contratos deixam de pagar os direitos trabalhistas. Temos que defender os terceirizados contra uma série de ataques e defender condições dignas de trabalho para esses companheiros. Além disso, a categoria petroleira deve sempre se solidarizar com a luta das outras categorias, pois a unidade de toda a classe é fundamental para as vitórias.

Defesa da Petrobrás

Nós, da chapa 1 (FNP), defendemos a Petrobrás contra qualquer ataque da direita, que quer privatizá-la. Mas para nós, isso não se confunde com jogar para debaixo do tapete as irregularidades cometidas pela alta direção – indicada pelo atual governo. A chapa da FUP não defende a Petrobrás, mas a gestão da Petrobrás. Afinal, são dezenas de ex-sindicalistas indicados pela FUP para serem gerentes nos últimos anos. Manter o que está errado é uma falsa defesa. A direita só está nos atacando porque essa turma tem enfraquecido a Petrobrás com nomeações políticas, corrupção, terceirização, desmonte da pesquisa, corte nos investimentos em segurança e saúde etc.

O atual governo e gestão da empresa não inventaram a corrup- ção, mas também não acabaram com ela, mantendo a lógica do balcão de negócios dentro da empresa. Estão colocando a Petrobrás em risco. Só um Sindipetro-RJ que seja independente do governo e da empresa pode ser um instrumento capaz de defender o caráter estatal da Petrobrás para colocá-la a serviço do povo brasileiro. l

Defesa dos participantes da Petros

Do mesmo modo, estaremos na linha de frente da defesa dos participantes da Petros. É uma vergonha o que nos últimos anos o Conselho Fiscal tenha reprovado sistematicamente as contas da Petros e que nada seja feito a respeito. O patrimônio dos participantes tem sido utilizado em uma série de investimentos para sustentar os planos do governo e em vários negócios que ficaram conhecidos amplamente como armações e que geraram prejuí- zos ao fundo. Recentemente os conselheiros da Petros eleitos pelos trabalhadores denunciaram que os participantes petroleiros tem financiado uma série de planos inviáveis abertos nos últimos anos. Isto tem gerado cada vez mais ansiedade nos petroleiros que esperam poder aposentar-se dignamente. Vergonhosamente o representante da FUP vota sistematicamente a favor destes equívocos. Defender os participantes da Petros também requer um Sindipetro-RJ independente. l2

INDEPENDÊNCIA E LUTA

Defendemos um sindicalismo combatente, que tenha compromisso apenas com a categoria, sem conchavo com a empresa, governo ou partido. Apenas assim podemos arrancar vitórias, defendendo nossas conquistas e fazendo avançar nossos direitos. Já a outra chapa integra a lógica fupista, que nada mais é do que a troca de cargos na empresa pela defesa cega do governo. Com isso, deixam de utilizar a arma mais forte do trabalhador, a mobilização. Muitos dos acordos assinados pela categoria avançaram graças à combatividade dos sindicatos da FNP, que muitas vezes forçaram a FUP a ter de ir pra luta.Quantas vezes os fupistas não ensaiaram o fim de uma greve e tiveram de recuar por causa da mobilização nas bases da FNP e da indignação dos trabalhadores de suas bases? Se não fosse a existência de um polo combativo, de uma alternativa de direção, nossos acordos seriam muito piores. Infelizmente, por estar afastada da base e das lutas, a chapa fupista não conhece as várias lutas que travamos ao longo dos anos. Criticam os escrachos e outras expressões de luta da categoria, mas ignoram – propositalmente – as diversas outras mobilizações travadas pelo sindicato e pela categoria do RJ. Esteve longe da luta cotidiana contra o assédio moral, da luta travada pelos trabalhadores do TABG e do CENPES, da luta diária dos cipistas em defesa da saúde e da segurança. Nunca apareceram para dar apoio às lutas. Só aparecem para a aprovar a assinatura de acordos ruins, para bater palmas ao RH e para disputar as eleições. São oportunistas!

Chapa 1

  1. André Buca (Edise)
  2. Antonio Furtado (Aposentado)
  3. Antonio Martins (Edita)
  4. Antony Devalle (Edisen)
  5. Arthur Ferrari (Edisen)
  6. Áurea Souza (Transpetro – Sede)
  7. Brayer Lira (Ventura)
  8. Carlos Espinheira (Edita)
  9. Celso Kafú (Aposentado)
  10. Charles Vieira (Ventura)
  11. Claiton Coffy (Ventura)
  12. Dener Fabrício (CENPES/CIPD)
  13. Edison Munhoz (Aposentado)
  14. Eduardo Henrique (CENPES/CIPD)
  15. Emanuel Cancella (Ventura)
  16. Fernando Leal (Edita)
  17. Francisco Soriano (Edise)
  18. Hélio Cunha (REDUC)
  19. Hugo Fagundes (CENPES/CIPD)
  20. Igor Krettli (Edisen)
  21. Isnard Barrocas (Aposentado)
  22. Iurin Caetano (CNCO – Transpetro)
  23. Ivan Luiz (Edita)
  24. João Gilberto (ARM-Rio)
  25. João Paulo Nascimento (TABG)
  26. Jorge Rosa (Aposentado)
  27. José Alexandre (CENPES)
  28. José Carlos (Aposentado)
  29. Levi Figueiredo (TEBIG)
  30. Lucas Ferreira (Transpetro Sede)
  31. Marquinhos (Transpetro Caju)
  32. Michel Arruda (Edisen)
  33. Natália Russo (Ventura)
  34. Paulo Moreira (Aposentado)
  35. Reinhold Schopke (Aposentado)
  36. Roberto Ribeiro (Aposentado)
  37. Tânia Lisboa (Aposentada)
  38. Vinícius Camargo (Edisen)
  39. Zé Maria (Aposentado)

Conselho Fiscal

  1. Anderson Belmiro (Comperj)
  2. Arlindo Pereira (Manguinhos)
  3. Carlson Magno (P-53)
  4. Fabíola Mônica (Anistiada Aposentada)
  5. Laerte Ferreira (Aposentado)
  6. Rafael Sobreiro (CENPES)

500 apoiadores

ARM-RIO João Gilberto NORTE FLUMINENSE Carlson Magno (P-53) Deni Silva (P-20) Diego Ramos (P-23) Luiz Mário Nogueira Dias (Cabiúnas) Michelle Capone (PCE-1) CENPES/CIPD Abdênago M dos S. Jr. (TIC/CPTC) Alan (RBG/SMS) Aleixo (RBG/OPE) Alexandre Lins (TIC-CENPES) Alexandre S. Jordano (TIC/CPIE) Anderson (RBG/SMS) Anderson B. F. Bertolossi (TIC/CPTC) Ângelo Pataro Filho (RBG/OPE) Arnaldo (PDEDS/TTRA) Arnaldo Gonçalves Soares (TIC/CPTC) Arnaldo Souza (TIC/CPIE) Artur F S Ramalho (PDEDS/TAP) Artur Ramalho (PDEDS/TAP) Artur S. Costa (PDAB/PP) Bruno Moura (PDEDS/QM) Caetano (RBG/OPE) Camarão (CEPE/Fundão( Carla Marinho (PDEP/TMEC) Carlos A S Pontes (PDAB/PP) Carlos Josué Guerra do Valen (TIC/CPTC) Christian Queipo (EB-AB-GE) Cláudio (TIC/CPTC) Cláudio Paz (PDAB/PP) Cleber S. da Silveira (RBG/NS/FUNDÃO) Coaracy (PDEDS/QM) Crespo (RBG/MAN/UT) Daniel S. de Albuquerque (PDAB/PP) Dener F. L. Santos (RBG/OPE) Dener Fabrício (RBG/OPE) Dinah S. Bezerra (RBG/OPE) Edson Dantas (TIC/CPIE) Eduardo Henrique (TIC/TIC-SERV) Eliane S. de Souza (GTEC) Fábio Brito (RBG/SMS) Fábio Farias (Pardal) (PDEDS/QM) Fábio Janotti (PDAB/PP) Fabricio (PDAB/PP) Felipe Coutinho (EB-AB-GE) Fernando Aleixo (Juiz de Fora) Fernando Torres (TIC/CPTC) Flávio Alves Zuim (PDEDS/QM) Flávio Matias (TIC/CPTC) Gerson (RBG/OPE) Hamilton (RBG/OPE) Hélio M Oliveira Jr. (TIC-INFRAEP) Henrique S. Lopes (CENPES) Heyk Vaz (RBG/OPE) Hugo Fagundes (TIC/CPTC) Igor F. da Cruz (TIC/CPTC) Ilka P. Silva (TIC/CPIE) Isabel C. B. Almeida (GTEC) Ismael F. Regis (TIC/CPIE) Jefferson A. Souza (RBG/CENPES) Joel Cunha (TIC/CPIE) Jorge F. dos Santos (ENG-AB/IEREFINO) Jorge Luiz Bertolossi (RBG-NS) Jorge Malta PDAB/PP Jorge VieiraPDEDS/TAP José Alexandre (RBG/OPE) José Eduardo (PDG/PCP) José Francisco (GTEC) José Josino (TIC/CPIE) José Marcus (RBG/OPE) José Sirilo (TIC/CPIE) Josias José da Silva (PDAB/PP) Leite (RBG/MAN/UT) Leonardo Gomes (RBG/OPE) Licínio de Oliveira (TIC/CPTC) Luis Gustavo (TIC-CENPES) Maeda (RBG/OPE) Marcele Abreu Lopes (PDEDS/QM) Marcello (PDAB/PP) Marcelo (RBG/OPE) Marcelo de A. Ferreira (PDAB/PP) Marcelo Silva (RBG) Márcio Abreu (TIC/CPTC) Marco Antônio M. S. Mello (TIC-INFRAEP) Marcus M. Figueiredo (TIC/CPIE) Mário Vides (GTEC/RCT) Mauro do Valle (RBG/MAN/LAB) Medeiros (RBG/OPE) Miguel Arcanjo (TIC-INFRAEP) Ney Gonçalves Ney Robinson (TES) Orlando Leal (PDEDS/TAP) Pablos (RBG/OPE) Paulo César Nascimento (TIC/CPIE) Paulo Roberto (TIC/CPIE) Pedro Ivo C. dos Santos (TIC/CPTC) Rafael Ferreira (PDEDS/QM) Rafael Sobreiro (RBG/OPE) Ranierio Escalfoni Jr. (PDEDS/QM) Reinaldo O. Fonseca (TIC/CPIE) Renata M. Dantas (EB-AB-GE) Ricardo (TIC/CPIE) Ricardo de Oliveira (RBG/OPE) Ricardo Ramos (RBG/OPE) Ricardo Silva (RBG/OPE) Roberto Cunha (RBG/MAN) Rodrigo (RBG/OPE) Sabrine L. S. Henriques (RBG/OPE) Sandro Viana de Freitas (RBG/OPE) Sérgio Paulo (TIC/CIPD) Sônia de Fátima (TIC/CPIE) Vinícius Almeida da Silva (RBG/OPE) Wagner Abdalla (TIC/CPIE) Wagner Bastos (TIC/CPIE) Wilson (TIC/CPIE) COMPERJ Anderson Belmiro Clayton (SSP/SP-COMPERJ) Geraldo (SSP/SP-COMPERJ) José Marcelos (IECOMPERJ/SMS) Magalhães (SSP/SP-COMPERJ) Rannier (RBG/SMS/SS) EDIHB Aline Ximenes (SMS) Castellani (COMPARTILHADO/NSGR) Moacyr Pereira Antunes (UO-RIO) Rogério Corrêa Pera (MDEA) EDISE Adriano Silva (FINANÇAS/GCAIXA) Alberto Alves de Oliveira (FINANÇAS) Alessandro (COMPARTILHADO) Ana Paula Faria Baião (COMPARTILHADO) André Bucaresky (FINCORP) Antônio (SSP) Borba (NSGR/EDISE) Carlos Alberto Gonçalves Carlos Alberto S. Lima (COMPARTILHADO) Carlos Eduardo G. de Carvalho (TIC) Carlos Henrique F. Prata (NSGR/EDISE) Christiano de S. Luz (COMPARTILHADO) Domingos Dutra (COMPARTILHADO) Edson Machado (NSGR/EDISE) Eduardo J. Francisco (FINANÇAS) Eriberto Martins (COMPARTILHADO) Fábio Leal Jarandilla (RSUD/NSGR) Farias (FINCORP) Fernando (COMPARTILHADO) Fernando P. da Conceição (NSGR/EDISE) Fraetel da Silva Filho (JGD/ARH) Francisca M. Silva (SMS) Francisco Soriano (ESTRATÉGIA) Freire (SSP) Geraldo Lima (FINANÇAS) Ismar José Teixeira (BS) Jeferson S. Rocha (TIC-EXP) João Carlos (ADS) João Carlos S. Martins (COMPARTILHADO) Johannes Dias (COMPARTILHADO) Jonas B. Figueiredo (BS) Josalma C. Oliveira (FINANÇAS) José dos Santos Silva (NSGR/EDISE) José Ricardo (COMPARTILHADO) Leonardo Corrêa (COMPARTILHADO) Luciana Sayão (RSUD/SMS) Luciano Lopez Rodriguez (Investidores/IN) Marcello Hércules Correia (Compartilhadox) Marcelo Uchoa (Operação) Marco A. A. Nascimento Marco Luis Souza (COMPARTILHADO) Mário Areosa (TRIBUTÁRIO) Mario Della Casa (RSUD) Mário Jorge J. Silva (SSP) Martins Júnior (BS/RSUD/SSU) Mesquita (COMPARTILHADO) Monique Moreira Pegado (DESEMPENHO) Moisés F. Guimarães (BS/SSU) Nataniel Marques (CONTABILIDADE) Nelson Rodrigues (FINANÇAS) Oldair Lima (FINANÇAS) Patrícia Vellasco (COMUNICAÇÃO) Paulo Cesar C. Moraes (TIC) Paulo Sérgio (FINCORP) Prata (COMPARTILHADO) Priscila Cristine V. Mendes (RSUD/SMS) Renato Esberard (FINCORP) Ricardo Almeida (FINANÇAS/GCAIXA) Rodrigues (COMPARTILHADO) Rogério R. Silva (Operação) Santos (Operação) Sidney Ribeiro da Silva (SC) Sílvio Pelegrini (COMPARTILHADO) Vagner Morais Machado (FINCORP) Valerio Cesarino (TIC-EXP/INFRA) Ygor Lennon Marchiote (NSGR/EDISE) EDITA/CASTELO Antônio Martins (ENGENHARIA) Bruno Vieira (COMPARTILHADO) Carlos Espinheira (TIC) Edvar Afonso Luciano Filho (TIC) Elcio Monteiro da Silva (TIC) Erick Alves Rezende (TIC) Fernando Gonçalves Severo (TIC) Fernando Leal (COMPARTILHADO) Ivan Luiz (COMPARTILHADO) Luiz Ferreira (COMPARTILHADO) Marcel Costa Almeida (TIC) Maurício Codeco (COMPARTILHADO) Paulo Vinícius Alcanfor Ximenes (TIC) ESTALEIRO INHAÚMA Big Boy SENADO Antony Devalle (TIC/COM) Arthur Ferrari (ETM-CORP) Briguiet (GE-LPGN) Carlos R. Rodrigues Batista – TIC-CPIE Celso Ferraresso (ENG-E&P/PROJEN) Cesar Dezouzart (AB-LO/TM/IAN) Edson Torres (INTER) Gilber de A. Teixeira (ENG-E&P/PROJEN) Igor Krettli (ETM-CORP) Ilton Majerowicz ENG-E&P/PROJEN Joaquim Caetano (ENG-E&P/PROJEN) Lívia de Figueiredo Torres (ABAST) Luiz Arthur Silva de Faria (TIC) Márcio B. Aragão (AB-LO/TM/IAN) Marcos Dias da Silva (GE-LPGN) Marcos Terra (GE-CORP/TEC) Marcos Vinnicius Batista Cardoso (ENGENHARIA) Maria Elizabeth Guimarães (MATERIAIS) Michel Arruda (ENG-E&P/PROJEN) Moara P. Zanetti (ETM-CORP/RH) Mônica Coelho Mitkiewiecz (TIC) Pedro Portugal (AB-PQ) Rodolfo Almeida (TIC) Rodrigo de M. P. da Rosa (ENG-E&P) Samuel Kaplan (ENG-E&P/PROJEN) Sandro Moreira Ferreira (ABAST) Solange Araújo Silva (TIC) Tiago Amaro (ETM-CORP/GPRI/PID) Victoria Montenegro (TIC) Vinícius Camargo (GE-PGI) TABG Alberto (Ilha D’água) Alex Parada (Ilha D’água) Alexandre (Ilha D’água) Alexandre S. Melo (Ilha D’água) Alvaro (Ilha D’água) Anderson (Ilha D’água) Anderson (Ilha D’água) Anderson (Ilha D’água) Ângelo (Ilha D’água) Annderson (Ilha D’água) Areal (Ilha Redonda) Barbosa (Atport) Barroso (Ilha D’água) Bauer (Ilha D’água) Beatriz (Ilha D’água) Biato (Ilha D’água) Brazil (Pier GNL) Bruno Salles (Ilha Redonda) Calvelli (Ilha Redonda) Camargo (Ilha D’água) Carlos Manoel (Ilha Redonda) Cícero (Ilha D’água) Cláudio Matos (Ilha D’água) Dantas (Ilha D’água) Dias (Pier GNL) Edno (Ilha D’água) Edson (Ilha Redonda) Eusébio A. Silva (Ilha Redonda) F. Manso (Ilha D’água) Felipe Lopes (Ilha D’água) Felix (Ilha Redonda) Fernando (Ilha D’água) Fernando (Pier) Figueiredo (Ilha D’água) Gustavo Macedo (Ilha D’água) Hart (Ilha D’água) Igor (Pier GNL) Jefferson (Ilha D’água) João (Ilha D’água) João Paulo Nascimento (Ilha D’água) Jorge Alves (Ilha Redonda) Jorge Santoro (Ilha D’água) José Carlos (Ilha D’água) José Carlos da Costa (Ilha D’água) Júnior (Ilha D’água) Lebrego (Ilha Redonda) Leonardo Alves (Ilha D’água) Marcelo (Ilha D’água) Marcelus (Ilha D’água) Marco Rangel (pier GNL) Marcos (Ilha D’água) Marcos Dias (Pier GNL) Marcos Flávio (Ilha Redonda) Michel (Ilha D’água) Moises Hoory (Ilha D’água) Monteiro (Ilha D’água) Mota (Ilha D’água) Nascimento(Ilha Redonda) Nathalia (Ilha Redonda) Nery (Ilha D’água) Osvaldo (Ilha D’água) Paulo Miceli (ILha Redonda) Prestes (Ilha D’água) Rafael (Ilha D’água) Ramiro (Ilha D’água) Regina Corrêa (PIER GNL) Renata Hassen (Ilha D’água) Renato (Ilha D’água) Ricardo (Ilha D’água) Ricardo (Ilha D’água)

Diretoria Sindipetro-RJ 2014 a 2017


Fotos

dsca_0439 dscb_0350 dscc_0380

Lista

Correio Secretarias Estatutárias Coordenador                     Membros, telefone sindical (DDD 21), email
Administração e Patrimônio
administracao@sindipetro.org.br
Tania Tania Lisboa – tlisboa@sindipetro.org.br | tandre@sindipetro.org.br
Levi Figueiredolfigueiredo@sindipetro.org.br | levi.figueiredo@terra.com.br
Jose Maria – 99627-2876 – zegleison@yahoo.com.br | zegleison@ig.com.br
e-mail
Aposentados, Pensionistas e Previdência
aposentados@sindipetro.org.br
Roberto Ribeiro Roberto de Castro Ribeiro – 99603-0601 robertocribeiro@yahoo.com.br |
Jorge Rosa jorgearosa2@hotmail.com | jorgearosa@globo.com
e-mail
Assuntos Jurídicos
juridico@sindipetro.org.br
Paulo Moreira Paulo Moreira da Rocha – 99700-2609 – lilianerocha@openlink.com.br
Schopke – 99963-3662
Igorigorkrettli@yahoo.com.br | igorkrettli@gmail.com
e-mail
Finanças
financas@sindipetro.org.br
Soriano Soriano – 99963-3605 – franciscosori@gmail.com
Fernando Borges Leal – 99700-2427 – fernandobleal@yahoo.com.br
e-mail
Geral
sindipetro-rj@sindipetro.org.br
Emanuel Cancella Emanuel Cancella – 99951-6616 – emanuelcancella@uol.com.br
José Carlos Corrêascancorrea@superig.com.br
Celso Alves – 99700-2585 –  kafu0261@sindipetro.org.br
e-mail
Comunicação
imprensa@sindipetro.org.br
Espinheira Espinheira – 99952-0347 – espinheira@sindipetro.org.br
Vinicius vcp2002@yahoo.com.br
Arthur 
Ferrari – arthurferra@gmail.com
Paulo Moreira Rocha – 99700-2609 – lilianerocha@openlink.com.br
e-mail
Plataformas, Estaleiros e Logística Portuária e Aeroportuária
logistica@sindipetro.org.br
Hugo Hugo Fagundes – hugofagundes1@yahoo.com.br | hugofagundes1@gmail.com
Antonio Martins amartins13@uol.com.br
Buca Bucaresky – 99700-2525 – buca@centroin.com.br | buca.sindipetro@gmail.com
e-mail
Política e Formação Sindical
seforma@sindipetro.org.br
Antony Antony Devalle- 99700-2590 – antonydevalle@sindipetro.org.br | 1789a1871@gmail.com
Aureaaureatriz@gmail.com
e-mail
Relações Institucional, Comunitária e de Lutas contra as Opressões Eduardo Henrique Eduardo Henrique – 99700-2543 – eduardohenrique16@yahoo.com.br |eduardohenrique16@gmail.com
José Alexandrealexfarias@ibest.com.br
e-mail
Saúde, Meio Ambiente, Segurança e Novas Tecnologias
sms@sindipetro.org.br
Brayer Brayer Grudka Lira – 99700-2588 –  brayer@sindipetro.org.br
Nascimentojpfmvg@ibest.com.br
Iuriniurinramalho@sindipetro.org.br
e-mail
Setor Petroquímico e Afins
setorpetroquimico@sindipetro.org.br
Claiton Claiton Coffy – claitoncoffy@gmail.com
Denerdenerfabricio@gmail.com
Michel Arrudamichelfacs@gmail.com | michelarruda@petrobras.com.br
e-mail
Trabalhadores das Empresas Terceirizadas
terceirizados@sindipetro.org.br
Lucas Ferreira Lucas Ferreira-  96719-2274 –  lucasferreira@sindipetro.org.br
Gilberto – jgilberto61@yahoo.com.br
Marquinhosmarcossantos1959@yahoo.com.br
e-mail
Trabalhadores do Setor Privado
setorprivado@sindipetro.org.br
Ivan Luiz Ivan Luis – 99700-2416 – professorivanluiz@yahoo.com.br
Antonio Furtadoantoniofurtado64@yahoo.com.br
Helio Cunha – 99729-9915 – heliocunha01@oi.com.br | helio_cunha@oi.com.br
Correio Secretarias Extraordinárias Coordenador                     Membros, telefone sindical, email
e-mail
Extraordinária da Campanha “O Petróleo Tem que Ser Nosso” Munhoz Munhoz – 99963-3570 – munhozedfilho@gmail.com | munhoz@cutrj.org.br |edisonf@prof.educacao.rj.gov.br
Isnardfib@ig.com.br
e-mail
Extraordinária de Luta Contra as Opressões Natália Natalia Russo – 99748-0171 –  natalia.sindipetrorj@gmail.com
Charlescharles.sindipetro@gmail.com

Conheça a Diretoria de 2011-2014.
Conheça a Diretoria de 2008-2011
Conheça o resultado das eleições de 2005 .
Correio Geral do Sindipetro-RJ: sindipetro-rj@sindipetro.org.br

Em ordem alfabética

  1. Antony Devalle
  2. Antonio Furtado
  3. Antonio Martins
  4. Arthur Ferrari
  5. Aurea Beart
  6. Brayer
  7. Buca
  8. Charles
  9. Clayton Coffy
  10. Dener Fabricio
  11. Eduardo Henrique
  12. Emanuel Cancella
  13. Espinheira
  14. Fabiola Monica
  15. Fernando Leal
  16. Gilberto
  17. Helio Cunha
  18. Hugo Fagundes
  19. Igor Kretly
  20. Isnard
  21. Iurin
  22. Ivan Luis
  23. Jorge Rosa
  24. José Alexandre
  25. José Carlos Correa
  26. José Maria
  27. Kafu – Celso Alves
  28. Levi Figueiredo
  29. Lucas Ferreira
  30. Marquinhos
  31. Michel Fonseca Arruda
  32. Munhoz
  33. Nascimento
  34. Natalia Russo
  35. Paulo Moreira da Rocha
  36. Schpke
  37. Soriano
  38. Tania Andre
  39. Vinicius

RMNR: Jurídico do Sindipetro-RJ emite informe sobre a audiência no TST em 3/12


juridico_Sindipetro-RJ
Dr Celso
Dr Celso

Confira a seguir o informe do Jurídico do Sindipetro-RJ sobre a Audiência do Dissídio Coletivo Jurídico da RMNR, realizada em 3/12, no Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília.

Informe do Jurídico do Sindipetro-Rj sobre a Audiência da RMNR, Brasília, 03/12/2014

Ultrapassada a audiência de conciliação realizada no TST, em 03/12/2014, cabe um breve resumo sobre os fatos efetivamente ocorridos na Capital Federal, nos dias 02 e 03/12.

Na véspera da audiência de conciliação, as assessorias e diretores dos sindicatos da FNP se reuniram no escritório do Dr. Cezar Britto, com o objetivo de traçar a estratégia a ser adotada na audiência que seria realizada no dia seguinte.

Foi solicitado ao Gabinete do Ministro Vice-Presidente que recebesse um grupo de advogados da FNP, ainda na véspera da audiência. Nenhum dirigente sindical compareceu a esta visita ao Ministro Ives Gandra.

Na referida visita, foram destacados pontos que os advogados consideram importantes na tese defendida no Dissídio Coletivo de Natureza Jurídica, além de, mais uma vez, refutar os dados apresentados pela empresa e demonstrar as inconsistências nas assertivas da Petrobrás.

Ao contrário do que vem sendo divulgado por alguns informes sindicais, na visita ao Ministro Ives Gandra, não houve nenhuma proposta, por parte das assessorias dos sindicatos da FNP, para que fosse entabulado qualquer tipo de acordo em patamares rebaixados, como vem sendo maliciosamente alardeado por alguns na categoria.

Nesse sentido, os boatos que vêm sendo difundidos no seio da categoria só podem ser explicados como decorrência de desinformação, do uso eleitoral da desinformação, ou, simplesmente, por má-fé intelectual!

No dia de hoje, 03/12, foi realizada a audiência de conciliação, na qual a Petrobrás, mais uma vez, demonstrou não estar disposta a acatar o que foi decidido pela SBDI-1 do TST.

O desejo da empresa é levar, o mais rapidamente possível, o dissídio a julgamento perante a SDC do TST.

A empresa insiste na tese da inviabilidade econômica do cumprimento da decisão consagrada pela SBDI-1 do TST na questão da RMNR e reafirmou que o máximo que se dispõe a oferecer para quitar o passivo trabalhista é a ínfima proposta apresentada relativa ao ATS+periculosidade.

O próprio Ministro Ives Gandra afirmou que a proposta da empresa era indefensável perante a categoria e que, na verdade, demonstrava o ânimo da Petrobrás de não conciliar, apostando todas as fichas no julgamento pela SDC.

Por parte do Dr. Cezar Britto, pelos sindicatos da FNP, foi requerida a exibição da folha de pagamento da empresa, de forma a confrontar as informações que a Petrobrás trouxera aos autos do processo, registre-se, a terceira planilha, de teor distinto. O requerimento foi indeferido pelo Ministro, que encerrou a audiência de conciliação, sem obter a composição negociada do conflito coletivo.

Antes de encerrar a audiência, ficou decidido que os sindicatos, todos eles e a Federação que figura no pólo passivo, poderão se manifestar em 10 dias, além de juntar os documentos que entenderem pertinentes, para se contraporem às alegações da empresa, o que, da nossa parte, será tempestivamente feito. E mais, nesse espaço de tempo, os sindicatos poderão acessar os dados da folha de pagamento, no RH da Companhia (Edise), acompanhados de técnicos, não tendo a empresa se oposto a isso.

Após as manifestações dos Suscitados (sindicatos), o Ministério Público do Trabalho exarará seu parecer, opinando pela procedência ou não do dissídio proposto pela Petrobrás.

Por fim, após o parecer do Ministério Público, o dissídio será distribuído a um dos Ministros que compõem a SDC, que será o relator do processo e proferirá sua proposta de voto, que será submetida a plenário para votação.
Esses foram, em apertada síntese, os fatos efetivamente ocorridos nos dias 02 e 03/12 em Brasília.

Nesse momento, é muito importante que todas as representações dos trabalhadores, independente de fatores alheios ao processo, estejam coesas no objetivo comum de desmontar a tese da empresa, não permitindo que a interpretação que foi arduamente conquistada perante o TST, seja revista pelo dissídio coletivo proposto pela Petrobrás.

Que as eventuais divergências fiquem restritas ao âmbito sindical e sejam dirimidas nas urnas, no momento oportuno!

Fonte: Jurídico Sindipetro-RJ – 3/12/2014.

Na foto em destaque: os advogados Dr.Luiz Fernando e Dr. Celso Gomes; e o diretor do Jurídico do Sindipetro-RJ, Celso Kafú.

Delegados eleitos ao Congresso da FNP/Plenária 20/06/2015


5. Delegados eleitos ao Congresso da FNP/Plenária 20/06/2015

– Emanuel Cancella;

– Munhoz;

– Zé Maria;

– Espinheira;

– Marcos (Marquinhos)(TRANSPETRO);

– Kafú (Aposentados);

Observador – Valter Bahia (Anistiandos)

– Rafael (CENPES);

– Gustavo (UTE-BLS/BS);

-Waldinei (TABG);

– Sérgio Paes (TEBIG);

– Natália (VENTURA);

– Charles (FRONAPE-CAJÚ / ARM-RIO);

Suplentes: Lobato (TEBIG), Nilson (TEBIG),
Dias (TABG), Roberto (TABG), Dinah
(CENPES) e Samir (CENPES)

– Lucas Ferreira (TRANSPETRO);

– Áurea (TRANSPETRO);

– Francisco;

– Antony (Senado);

– Hugo (CENPES);

– Fabíola (Aposentados)

Observador – Leonardo da Mota

Suplentes: Luiz Alberto, Igor (CENPES)

– Tânia (Aposentados);

-Gilberto (ARM-RIO);

– Arthur (Senado);

– Jorge Rosa (TEBIG);

– Roberto Ribeiro (Aposentados);

– Paula Madeira ou Claudete;

– Carlson Magno – Observador a confirmar

– Sérgio Castelani (EDIHB)