jp-energia solar-conectados à rede (on grid / grid tie)


Sistema de Geração distribuída – sistemas fotovoltaicos conectado à rede (on grid / grid tie):

Você sabia que é possível reduzir a dependência e o consumo da energia elétrica da distribuidora, substituindo- a por uma fonte de energia limpa, gratuita e inesgotável?

Neste post eu irei explicar um pouco mais sobre geração solar fotovoltaica distribuída, se esta é sua dúvida, aproveite e continue a leitura.

Geração Distribuída – GD (conceito): Expressão usada para designar geração de energia elétrica realizada junto ou próximo do consumidor, independente da potência ou fonte de energia. Através da geração distribuída, torna-se possível obter uma maior eficiência energética.

Nosso foco será geração distribuída através dos sistemas de energia solar fotovoltaica – sistemas fotovoltaicos conectados á rede elétrica, também chamados de sistemas on-grid ou grid-tie.

Você sabe como este sistema funciona?

Energia solar fotovoltaica é a energia obtida através da conversão da luz solar em eletricidade através de células fotovoltaicas contidas nos módulos fotovoltaicos.

No caso dos sistemas conectados à rede elétrica, a energia gerada através dos módulos solares, representa uma fonte de energia complementar à energia da distribuidora ao qual o usuário está conectado, são sistemas que geralmente não utilizam armazenamento de energia, pois toda energia gerada pelos módulos solares fotovoltaicos (durante o dia), é entregue à rede elétrica instantaneamente.

O Inversor é instalado entre o sistema gerador fotovoltaico e o ponto de fornecimento à rede, ele recebe a energia gerada pelos módulos fotovoltaicos em corrente contínua e converte em energia alternada, sincronizando e injetando na rede elétrica.

A energia solar fotovoltaica gerada não é destinada a uma carga específica, abastecendo toda a residência/comércio/indústria juntamente com a rede elétrica da distribuidora.

Quando a geração solar fotovoltaica é superior à demanda, o sistema devolve a energia para rede, no sentido contrário, para ser utilizada por outros consumidores, automaticamente sem intervenção e seguindo normas de segurança.

Quando a geração solar fotovoltaica é inferior à demanda, ou no período noturno, a diferença de energia é suprida automaticamente pela energia elétrica da distribuidora.

O Sistema fotovoltaico conectado à rede é sincronizado com a energia elétrica da distribuidora, assim, quando falta energia da distribuidora, por questões de segurança, o sistema fotovoltaico se desliga automaticamente (sistemas tradicionais).

 

solar 0

Como este sistema é mensurado?

Sistema de compensação de energia elétrica – normativa ANEEL 482 / 687 – Esse sistema permite que a energia excedente gerada pela unidade consumidora com micro ou minigeração seja injetada na rede da distribuidora, a qual funcionará como uma bateria, armazenando esse excedente.

Quando a energia injetada na rede for maior que a consumida, o consumidor receberá um crédito em energia (kWh) a ser utilizado para abater o consumo em outro posto tarifário (para consumidores com tarifa horária) ou na fatura dos meses subsequentes. Os créditos de energia gerados continuam válidos por 60 meses.

Há ainda a possibilidade de o consumidor utilizar esses créditos em outras unidades previamente cadastradas dentro da mesma área de concessão e caracterizada como autoconsumo remoto, geração compartilhada ou integrante de empreendimentos de múltiplas unidades consumidoras (condomínios), em local diferente do ponto de consumo.

É Importante ressaltar que, para unidades consumidoras conectadas em baixa tensão (grupo B), ainda que a energia injetada na rede seja superior ao consumo, será devido o pagamento referente ao custo de disponibilidade – valor em reais equivalente a 30 kWh (monofásico), 50 kWh (bifásico) ou 100 kWh (trifásico). De forma análoga, para os consumidores conectados em alta tensão (grupo A) será devida apenas a parcela da fatura correspondente à demanda contratada.

Sistema de medição: Deve atender às mesmas especificações exigidas para as unidades consumidoras conectadas no mesmo nível de tensão da geração distribuída, acrescido da funcionalidade de medição bidirecional de energia elétrica. O controle da geração normalmente é realizado pelo medidor bidirecional de energia do consumidor, este mede a entrada e a saída de energia, a troca do medidor corre por conta do consumidor que fará a instalação do sistema.

Para a instalação do sistema conectado, é necessário solicitar autorização da distribuidora, mediante a apresentação de um projeto elétrico, memorial descritivo, e outros documentos para aprovação, desde que sigam as normas vigentes. Este projeto deve ser desenvolvido por um engenheiro responsável que emita uma ART junto ao CREA.

Sendo aceito, a distribuidora fará a troca  do relógio medidor e o consumidor estará incluído no sistema de compensação de energia.

Sendo assim, você, independente de seu consumo também poder ser gerador de sua própria energia, quer saber como? Consulte-nos, veja alguns de nossos kits, caso não lhe atenda, nos envie sua conta de luz que fazemos um orçamento sem compromisso.

 

solar 1

Geração Estimada:

Região kWp kWh/Mês
Centro-Oeste 1.2 185
Nordeste 1.2 200
Norte 1.2 160
Sudeste 1.2 160
Sul 1.2 150

solar 2

Geração Estimada:

Região kWp kWh/Mês
Centro-Oeste 2.4 370
Nordeste 2.4 400
Norte 2.4 320
Sudeste 2.4 320
Sul 2.4 300

 

solar 3

 

Região kWp kWh/Mês
Centro-Oeste 3.0 470
Nordeste 3.0 505
Norte 3.0 409
Sudeste 3.0 409
Sul 3.0 375

** O cálculo de produção de energia foi baseado na irradiação média regional e poderá sofrer alterações de cidade para cidade. Fatores como inclinação dos módulos fotovoltaicos , direção do telhado e sombramento influenciam diretamente na produção do kit gerado fotovoltaico.

A análise técnica cabe ao engenheiro eletricista responsável pelo projeto .**