Advogado do Diabo


 

O ofício de Advogado do Diabo foi estabelecido em 1587 e foi abolido pelo Papa João Paulo II em 1983. Isto causou uma subida dramática no número de indivíduos canonizados: cerca de 500 canonizados e mais de 1300 beatificados a partir desta data, enquanto apenas houvera 98 canonizações no período que vai de 1900 a 1983. Isto sugere que os Advogados do Diabo, de facto, reduziam o número de canonizações. Alguns pensam que terá sido um cargo útil para assegurar que tais procedimentos não ocorressem sem causa merecida, e que a santidade não era reconhecida com muita facilidade.

Hoje em dia o termo tem vindo a designar uma pessoa que discute a favor de um ponto de vista no qual não acredita, mas que o faz simplesmente para apresentar um argumento. Este processo pode vir a ser utilizado para testar a qualidade do argumento e identificar erros na sua estrutura. Também designa aquele que defende pontos de vista que aparentemente são indefensáveis.

A palavra advogado do diabo possui uma classificação gramatical sendo um substantivo masculino. Referida palavra possui 15 letras, dentre elas vogais e consoantes. As vogais são: a o i já as consoantes são: d v g d b. Por outro lado, dita palavra pode ser escrita de outro modo, ou seja, ao contrário, ficando assim: obaid od odagovda. Além disso, referida palavra faz designação de um ditado ou expressão para designar que um indivíduo apresenta muitas objeções a uma determinada tese

Significado de advogado do diabo

A expressão advogado do diabo é um termo proveniente do latim diaboli advocatus, considerado como o “promotor da fé”. Tem seu significado pautado no nome popular com a qual o procurador, em alusão a antigos julgamentos ou processos de canonização da Igreja Católica assim o fazia. O seu nome se dá desde as reformas de 1983, inclusive a um promotor de justiça (promotor iustitiae). Além disso, o escritório do advogado, geralmente doutorado clérigo em Direito Canônico, foi objetado por testes exigentes e descobriu-se erros em documentações fornecidas com o fim de demonstrar os méritos do suposto candidato aos altares como bem-aventurados ou santo. Ademais, enquanto seu papel o fez parecer figurativamente classificado entre as fileiras do candidato que se opôs(daí o apelido de “advogado do diabo” para a “defesa do outro lado”), na verdade, era o encarregado de defender a autenticidade das virtudes dos quais seria proposto como modelo papel para o povo católico.

Ademais, há que se mencionar que dito escritório foi fundado em 1587 e abolido pelo Papa João Paulo II em 1983. Essa mudança permitiu-lhe fazer quase 500 canonizações e mais de 1300 beatificações, em comparação com 98 canonizações de seus predecessores no século XX. Advogado do Diabo, por outro lado, se aplica, por extensão, para as pessoas que defendem uma posição que não necessariamente acreditam, ou que têm um outro debatedor argumentando contra uma posição em que se acredita. Este processo permite que haja a verificação da qualidade do argumento original e identificação das fraquezas da defesa.

Ao se referir a advogado do diabo também é necessário mencionar o filme dirigido por Sydney Lumet em 1993; passado no século XVI, o direito canônico contemplou no processo de elevação aos altares dos santos meritórias, onde o mal era buscar evidências de que funcionasse desmerecidamente suas vidas e milagres. A este respeito, deve notar-se que, desde o desaparecimento desta figura na década de 80, por ordem do Papa João Paulo II, o número de pessoas promovidas à santidade foi retirado pela ausência desse personagem. Referindo-se, assim, aos acontecimentos, quer pela brutalidade do crime, quer pela personalidade abjeto de seu autor, gerando na sociedade tal repulsa que nós se tende a identificar o suposto criminoso que, por designação forçada na escala de serviço ou livre escolha, é responsável por sua defesa legal. Uma das questões filosóficas que sempre confronta um advogado é, “você defenderia um estuprador ou pederasta?”. Parece que uma resposta afirmativa identificaria uma situação automática do acusado de crimes hediondos e seu advogado, que está encarregado de obter a melhor defesa para seu cliente, no processo de garantir que os seus direitos constitucionais sejam respeitados e, acima de tudo, proteger os seus direitos face a presunção de inocência.

A palavra advogado do diabo possui uma classificação gramatical sendo um substantivo masculino. Referida palavra possui 15 letras, dentre elas vogais e consoantes. As vogais são: a o i já as consoantes são: d v g d b. Por outro lado, dita palavra pode ser escrita de outro modo, ou seja, ao contrário, ficando assim: obaid od odagovda. Além disso, referida palavra faz designação de um ditado ou expressão para designar que um indivíduo apresenta muitas objeções a uma determinada tese

Significado de advogado do diabo

A expressão advogado do diabo é um termo proveniente do latim diaboli advocatus, considerado como o “promotor da fé”. Tem seu significado pautado no nome popular com a qual o procurador, em alusão a antigos julgamentos ou processos de canonização da Igreja Católica assim o fazia. O seu nome se dá desde as reformas de 1983, inclusive a um promotor de justiça (promotor iustitiae). Além disso, o escritório do advogado, geralmente doutorado clérigo em Direito Canônico, foi objetado por testes exigentes e descobriu-se erros em documentações fornecidas com o fim de demonstrar os méritos do suposto candidato aos altares como bem-aventurados ou santo. Ademais, enquanto seu papel o fez parecer figurativamente classificado entre as fileiras do candidato que se opôs(daí o apelido de “advogado do diabo” para a “defesa do outro lado”), na verdade, era o encarregado de defender a autenticidade das virtudes dos quais seria proposto como modelo papel para o povo católico.

Ademais, há que se mencionar que dito escritório foi fundado em 1587 e abolido pelo Papa João Paulo II em 1983. Essa mudança permitiu-lhe fazer quase 500 canonizações e mais de 1300 beatificações, em comparação com 98 canonizações de seus predecessores no século XX. Advogado do Diabo, por outro lado, se aplica, por extensão, para as pessoas que defendem uma posição que não necessariamente acreditam, ou que têm um outro debatedor argumentando contra uma posição em que se acredita. Este processo permite que haja a verificação da qualidade do argumento original e identificação das fraquezas da defesa.

Ao se referir a advogado do diabo também é necessário mencionar o filme dirigido por Sydney Lumet em 1993; passado no século XVI, o direito canônico contemplou no processo de elevação aos altares dos santos meritórias, onde o mal era buscar evidências de que funcionasse desmerecidamente suas vidas e milagres. A este respeito, deve notar-se que, desde o desaparecimento desta figura na década de 80, por ordem do Papa João Paulo II, o número de pessoas promovidas à santidade foi retirado pela ausência desse personagem. Referindo-se, assim, aos acontecimentos, quer pela brutalidade do crime, quer pela personalidade abjeto de seu autor, gerando na sociedade tal repulsa que nós se tende a identificar o suposto criminoso que, por designação forçada na escala de serviço ou livre escolha, é responsável por sua defesa legal. Uma das questões filosóficas que sempre confronta um advogado é, “você defenderia um estuprador ou pederasta?”. Parece que uma resposta afirmativa identificaria uma situação automática do acusado de crimes hediondos e seu advogado, que está encarregado de obter a melhor defesa para seu cliente, no processo de garantir que os seus direitos constitucionais sejam respeitados e, acima de tudo, proteger os seus direitos face a presunção de inocência.

 

ATA DA REUNIÃO DE APOSENTADOS E PENSIONISTAS – Data: 06/01/2015


Data: 06/01/2015                            Horário: 14:00

Local: Auditório do Sindipetro-RJ

Nº de participantes: 92 participantes

 

Roberto Ribeiro, coordenador da Secretaria de Aposentados, iniciou saudando a todos pela primeira reunião do ano, e desejando que 2015 seja um ano de conquistas de direitos e reparação de injustiças com os aposentados e pensionistas, principalmente quanto ao pagamento dos níveis de 2004, 2005 e 2006, cuja discussão está caminhando. Disse que irá lutar para que o acordo inclua as pessoas que perderam as ações na justiça.

Disse que esteve afastado durante os últimos meses por conta de assuntos particulares, mas também por estar cansado de tantas discriminações. Informou que o Silvio Sinedino, Conselheiro da Petros, foi convidado para atualizar sobre os informes da Petros, bem como o Agnelson, mas não confirmou a presença de ambos.

A palavra foi passada ao Dr. Luiz Fernando, advogado do Sindipetro-RJ, que passou alguns informes do Departamento Jurídico.

Disse que neste momento não há nenhum informe processual sobre as ações, pois o Judiciário ainda se encontra em recesso. Serão reabertos amanha, dia 07/01. A Justiça do Trabalho suspendeu os prazos até o dia 09/01.

Falou sobre o acordo de pagamento dos níveis, disse que a proposta contempla aqueles que tem ação tramitando e os que não entraram com ações, com redutor de 10% no cálculo, retroagindo até setembro de 2013.

Com relação a quem não entrou com a ação, comentou que não se sentia a vontade para opinar, mas quanto aqueles que fazem parte da ação coletiva, disse que é possível recuperar a totalidade das perdas, desde 2004, retroagindo a 5 anos. Porém, não pode dar certeza de prazos e de procedências. Comentou que esta proposta é péssima para quem tem ação individual no TST, e principalmente para quem entrou com advogado particular, pois o acordo não interferirá nos honorários devidos. Quanto a quem perdeu a ação, temos uma minuta de ação com outro fundamento. (cade a minuta)

Em seguida, foi aberto para dúvidas da plenária.

Dr. Luiz Fernando alertou que há uma quadrilha ligando para os aposentados, se passando pelos advogados do Sindipetro-RJ, e dizendo que há precatórios para receber, mas que para liberar é necessário depositar uma quantia em dinheiro na conta de uma pessoa. Disse que o Sindicato não trabalha desta forma, e que não exige dinheiro para qualquer transação. Portanto solicitou a todos que tenham cuidado.

Roberto Ribeiro complementou informando que isto vem ocorrendo com os aposentados que recebem apenas pelo INSS também, de outras categorias, e que o próprio Conselho Nacional da Previdência Nacional emitiu um alerta sobre tais golpes.

 

Emanuel Cancella falou sobre a campanha de desmoralização que a Petrobrás vem sofrendo, mas que a empresa possui reservas para se manter confortável com a autossuficiência, durante os próximos  50 anos. Disse que há uma grande “armação” para derrubar as ações da empresa, e por isso é necessário combater a corrupção. Comentou que o jurídico do Sindipetro-RJ está acompanhando o acordo de pagamento dos níveis, e irá orientar os associados.

Roberto Ribeiro colocou a ata da reunião anterior em votação. Foi aprovada pela maioria. Passou a palavra ao Conselheiro da Petros, Silvio Sinedino.

Silvio saudou a todos pelo ano que se inicia. Disse que todos que construíram a empresa estão lutando contra tudo que está acontecendo.

Sobre o adiamento da decisão do Conselho Deliberativo, disse que nunca votaram contra o pagamento dos níveis, e os companheiros tem direito a receber estas diferenças por causa do artigo 41 do Regulamento da Petros. O Conselho da Petrobrás exigiu um parecer jurídico, e por isso atrasou um pouco. Comentou que a decisão de aceitar o acordo é individual, mas que iremos orientar quando estiver finalizado, dependendo do caso de cada um.

Sobre a situação da Petros, disse que está complicada, pois passou um projeto de aplicação, em 2009, de R$ 17 milhões, na firma do dono da Gradiente, que foi o primeiro empresário que apoiou o Lula. Disse que alertou à diretoria sobre isso, e que estão acompanhando, inclusive sobre as aplicações futuras. Comentou que foram convocados as pressas para uma reunião extraordinária sobre mudança da diretoria da Petros, amanhã pela manhã. Hoje, foi informado que a reunião foi cancelada, e soube que iriam entrar sindicalistas do PT. Finalizou informando que assim que houver novidades sobre o acordo irá repassar.

Roberto Ribeiro informou que a Festa dos Aposentados seria no dia 23/01, no Clube Ginástico Português, das 15:00 às 19:00, e o convite seria distribuído em data a definir. Apenas o próprio associado poderá retirar os convites.

Agradeceu aos diretores Jorge Rosa e Paulo Moreira, por terem conduzido a Secretaria de Aposentados e as reuniões na sua ausência.

Informou que haverá eleição para o Conselho de Administração da Petrobrás, mas a votação é apenas para os ativos.

Disse que convidou o Senador Paulo Paim para estar presente nesta reunião, mas por conta de compromissos profissionais, não pode estar presente. Ele disse que irá verificar a disponibilidade de agenda, e que assim que possível, estará presente.

Sobre o acordo, disse que irá lutar para que seja estendido para as pessoas que perderam as ações na justiça, por ser uma questão de justiça.

Emanuel convidou a todos para o ato que será realizado no Edise, dia 09/01, 12:00.

Jorge Rosa agradeceu a todos pelo apoio enquanto esteve como coordenador da Secretaria, e desejou a todos um ótimo 2015.

Roberto Ribeiro agradeceu a presença de todos e informou que a próxima reunião será no dia 03/02, às 14:00, no auditório do Sindipetro-RJ. Ata

O CONTRATO VERBAL E SUA VALIDADE


Muitos são os casos levados a Justiça, onde as partes firmaram um negócio jurídico verbalmente. A dúvida é : até onde estes negócios verbais ou contratos verbais tem válidade jurídica. Primeiro é necessário termos claramente definido que a forma é aparência das coisas, a maneira pela qual se manifestam e se tornam sensíveis e reais.

Da mesma maneira que nossos pensamentos se expressam em palavras ou por escrito. A exteriorização de um negócio se manifesta pela vontade das partes, pelo gesto e até mesmo pelo silêncio. O Código Civil prevê no art. 107 que a validade da declaração de vontade não dependerá de forma especial, exceto quando a uma lei a exigir.

Portanto, é livre a forma que se faz um negócio jurídico, entre os quais o contrato verbal em sua essência, que poderá se demonstrado pelo simples aceite ou manifestação da vontade das partes. O contrato escrito (formalismo) busca trazer segurança as partes a conclusão e efetiva garantia do negócio jurídico.

Assim, o contrato verbal é válido desde que seja lícito e não contrarie disposição legal, devendo atender a vontade das partes de igual modo.

Podendo se provar por testemunhas, documentos, coisas e outros meios periciais. Inúmeros são os casos dos negócios jurídicos verbais validados pela Justiça, todavia, a segurança jurídica se aperfeiçoa na forma escrita do negócio jurídico, onde as partes podem exigir sua execução na Justiça de forma imediata e não sua comprovação como no caso do contrato verbal, pois para exigir ou rescindir um contrato verbal de forma judicial, será primeiro necessário validar e comprovar o negocio verbal, para daí exigir sua execução ou rescisão.

Outro fato de extrema relevância, o contrato verbal será valido, quando a Lei não exigir sua forma escrita, como por exemplo a cessão de direito hereditários .

A lei privilegia a boa-fé das partes no negócio, daí a importância da validade do contrato verbal, desde que comprovada por meios legais a formulação contratual e a vontade das partes.

Portanto, se o negócio ou contrato foi feito ainda que verbalmente poderá ser apreciado pelo Poder Judiciário, objetivando seu cumprimento ou sua resolução. Exerça seu direito.

Fonte: Jornal Folha de Jandira

Quadro de Advogados – OAB Bahia


Quadro de Advogados – OAB Bahia

Procure um advogado na Bahia aqui

Listagem de advogados por Seccional/Subseção – Oab Bahia:

SUBSEÇÃO AT� 5 ANOS AT� 10 ANOS ACIMA DE 10 ANOS TOTAL TOTAL DA SUBSEÇÃO
M H M H M H M H
SALVADOR 5170 4371 2680 2756 4124 5368 11974 12495 24469
ALAGOINHAS 117 132 35 45 43 115 195 292 487
BARREIRAS 228 172 105 126 64 112 397 410 807
BOM JESUS DA LAPA 33 34 12 25 17 56 62 115 177
BRUMADO 55 63 13 35 31 76 99 174 273
CAMAÇARI 194 177 74 76 71 110 339 363 702
COARACI 23 17 3 4 18 27 44 48 92
EUNÁPOLIS 81 67 32 43 34 79 147 189 336
FEIRA DE SANTANA 507 454 151 182 175 350 833 986 1819
GANDU 6 17 2 11 7 17 15 45 60
GUANAMBI 110 129 30 47 43 100 183 276 459
IBICARAÍ 18 24 2 8 9 29 29 61 90
ILHÉUS 174 203 55 61 156 289 385 553 938
IPIAÚ 43 35 9 14 21 54 73 103 176
IRECÊ 58 87 17 40 18 64 93 191 284
ITABERABA 34 36 19 28 30 55 83 119 202
ITABUNA 256 276 92 117 227 357 575 750 1325
ITAMARAJU 55 44 35 35 21 34 111 113 224
ITAPETINGA 22 26 10 14 20 40 52 80 132
JACOBINA 55 65 15 25 12 66 82 156 238
JEQUIÉ 49 82 28 36 43 81 120 199 319
JUAZEIRO 112 136 58 86 74 143 244 365 609
LUIS EDUARDO MAGALHÃES 54 43 26 16 17 35 97 94 191
PAULO AFONSO 112 115 17 25 29 77 158 217 375
PORTO SEGURO 67 57 28 34 70 80 165 171 336
SANTA MARIA DA VITORIA 16 26 5 8 15 47 36 81 117
SANTO ANTONIO DE JESUS 51 56 26 23 28 73 105 152 257
SENHOR DO BONFIM 19 34 20 21 17 57 56 112 168
SERRINHA 85 121 31 63 29 77 145 261 406
TEIXEIRA DE FREITAS 156 155 55 83 72 139 283 377 660
VALENÇA 37 30 14 15 23 49 74 94 168
VITORIA DA CONQUISTA 510 373 171 199 139 268 820 840 1660
LAURO DE FREITAS 240 196 72 62 52 55 364 313 677
CRUZ DAS ALMAS 16 24 10 11 14 42 40 77 117
CAMPO FORMOSO 9 9 6 4 8 13 23 26 49
TOTAL 8772 7886 3958 4378 5771 8634 18501 20898 39399

M = Mulheres
H = Homens

 

Cadastro de Advogados Correspondentes no Brasil


Cadastro aqui

Cadastro de Advogados Correspondentes no Brasil