MANUTENÇÃO BÁSICA DE AR CONDICIONADO RESIDENCIAL E INDUSTRIAL


 Introdução

 

São sistemas que visam a obtenção de condições específicas do ar nos diversos tipos de ambientes, de modo a proporcionar conforto térmico aos ocupantes ou proporcionar condições especiais exigidas por equipamentos e/ou processos.

Condicionamento de ar, segundo a definição técnica de aplicação, é um processo de tratamento de ar destinado a controlar simultaneamente: temperatura do ar, umidade relativa do ar (obtida pela retirada ou pela colocação de vapor de água no ar), pureza (filtros), distribuição de ar (ventilador, difusor, duto) de um ambiente.

Existem aplicações muito especiais, nas quais a pressão do ar ambiente pode vir a ser controlada. Estes ambientes podem ser destinados tanto ao conforto humano ou animal (Figura 1) e neste caso os sistemas aplicados são vulgarmente chamados de ar condicionado de conforto, ou pode-se apresentar um ambiente destinado ao desenvolvimento de um determinado processo industrial ou laboratorial e o sistema passa a ser chamado de ar condicionado de processo.

Figura 1 

 

 

Origem E História Do Ar Condicionado

 

Durante muito tempo, o homem pensou em maneiras de amenizar os efeitos do calor. Invenções mais antigas, como ventiladores, abanadores e até mesmo o uso do gelo em larga escala faziam parte dos métodos para amenizar a temperatura em um ambiente.Em 1902, o engenheiro Willis Carrier inventou um processo mecânico para condicionar o ar, tornando realidade o almejado controle climático de ambientes fechados. Essa tecnologia teve início, na época, a partir de um problema pelo qual uma empresa de Nova York passava. Ao realizar impressões em papel, o clima muito quente de verão e a grande umidade do ar faziam com que o papel absorvesse essa umidade de forma que as impressões saíam borradas e fora de foco.

Ele criou um processo que resfriava o ar, fazendo circular por dutos resfriados artificialmente, o que também era capaz de reduzir a umidade do ar. Este foi o primeiro ar condicionado contínuo por processo mecânico da história. A partir desta experiência, o sistema foi adotado por muitas indústrias de diversos segmentos, como têxtil, indústrias de papel, farmacêuticos, tabaco e alguns estabelecimentos comerciais.

 

 

Em 1914, Carrier desenvolveu um aparelho para aplicação residencial, que era muito maior e mais simples do que o ar condicionado de hoje em dia, e também desenhou o primeiro condicionador de ar para hospitais, que foi desenvolvido com o objetivo de aumentar a umidade de um berçário (para bebês nascidos de forma prematura), no Allegheny Hospital de Pittsburg.

Foi a partir da década de 1920 que o ar condicionado começou a se popularizar nos Estados Unidos, foi colocado em diversos prédios públicos, tais como a Câmara dos Deputados, o Senado Americano, os escritórios da Casa Branca.

Além disso, foi de grande utilidade para ajudar a indústria cinematográfica pois, antes de serem instalados os aparelhos de ar condicionado, as salas de cinema ficavam vazias devido ao clima muito quente, nas temporadas de verão americano.

Na década de 1930, foi desenvolvido também por Willis Carrier um sistema de condicionadores de ar para arranha-céus com distribuição de ar em alta velocidade, que economizava mais espaço, em relação aos produtos utilizados na época. A distribuição do ar em alta velocidade por meio de dutos “Weathermaster”, criada em 1939, economizava mais espaço do que os sistemas utilizados na época.

Função E Princípio Do Equipamento

 

O ar condicionado é um equipamento destinado a climatizar o ar em um recinto fechado, mantendo sua temperatura e umidade do ar controladas, para deixar os ambientes em temperaturas agradáveis, criando uma sensação de conforto térmico (aquecendo ou refrigerando) ou até mesmo em determinados ambientes em que o seu uso é indispensável como, por exemplo, CPD, Laboratórios, Unidades de Hospitais, Radiologia, No Break, e outros.

O princípio de funcionamento dos condicionadores de ar, nada mais é do que a troca de temperatura do ar do ambiente, pela passagem do ar pela serpentina do evaporador que, por contato, tem queda ou aumento de temperatura do ar, dependendo do ciclo utilizado, baixando a umidade relativa do ar.

O ar do ambiente é sugado por um ventilador e atravessa um evaporador, passando em volta de uma serpentina cheia de R-22, substância refrigeradora à temperatura de 7° C e em estado líquido. Em contato com uma serpentina gelada, o ar se resfria e volta para o ambiente.

 

 

Ao absorver o calor do ar, o R-22 muda de estado dentro da serpentina e vira gás, entrando depois num compressor elétrico. Essa peça, que produz o barulho do aparelho, comprime o R-22 até que, sob alta pressão, ele vire um gás quente, a 52° C.

Esse gás entra numa outra serpentina, do lado de fora do aparelho, chamado condensador. Mais quente que o ambiente externo, o R-22 se resfria um pouco. Com isso, ele vira líquido de novo mesmo antes de chegar aos 7°C, pois está sob alta pressão. Um outro ventilador sopra o ar quente que sobrou para a rua.

O R-22 (em estado líquido por causa da alta pressão) entra numa válvula de expansão, espécie de orifício onde o líquido perde pressão rapidamente e se esfria até 7° C, que o mentem em estado líquido. A partir daí, o ciclo recomeça novamente.

Figura 2: Funcionamento do resfriador evaporativo

 

 

 

Os Sistemas de condicionamento de ar possuem quatro componentes básicos:

  • Compressor;
  • Condensador;
  • Evaporador;
  • Motor ventilador.

 

Vantagens Do Equipamento

 

• Longevidade dos eletrodomésticos é prolongada;
• Uma atmosfera mais confortável;
• Utilizados tanto no inverno como no verão.

 

Desvantagens Do Equipamento

 

  • Resseca o ar causando irritação aos olhos;
  • Recirculação do ar (não renovação do ar);
  • Alto consumo de energia elétrica;
  • .Uso de gases prejudiciais à camada de ozônio e efeito estufa;
  • Manutenção periódica;
  • Interfere na arquitetura de interiores (espaços necessários);
  • O mau uso do ar condicionado compromete a saúde.

 

 

O que os mais diversos modelos de ar condicionado ainda não conseguiram eliminar é um incômodo efeito colateral: o ressecamento do ar. “Em contato com o frio, a umidade do ar se condensa em gotinhas dentro do aparelho, como acontece em uma garrafa fechada e gelada”.

 

Dicas De Procedimentos

 

Figura 3: Dicas de instalação

 

A escolha de um sistema de refrigeração/aquecimento para as edificações deverá levar em conta alguns aspectos fundamentais: o preço, o consumo energético, a funcionalidade e, sobretudo, o conforto térmico.Em termos estritamente econômicos, a resposta para sua instalação poderá ser não. Mas se o custo não for a única preocupação, talvez sim. No entanto, em termos estritamente de conforto térmico, há sistemas eventualmente mais vantajosos. Se a opção for pelo ar condicionado, não só para frio mas também para calor, o menor custo terá uma contrapartida com o menor conforto.

Especialistas lembram a vantagem da filtragem do ar proporcionada pelo ar condicionado, que reduz significativamente o número de impurezas em suspensão no ar. Explicam, ainda, que um sistema bem dimensionado, proporciona uma distribuição de ar uniforme, filtra o ar e poderá permitir a renovação, evitando sua saturação.

 

 

Além de custo, outro fator de enorme ponderação na escolha de um sistema de climatização é o consumo energético. Os equipamentos de ar condicionado modernos utilizam o sistema bomba de calor “a inversão do ciclo para aquecer”, tornando os consumos moderados.

A climatização artificial acaba por ser indispensável para se conseguir um bom nível de conforto térmico. Os consumidores devem recorrer aos profissionais do setor, evitando comprar soluções inadequadas. Muitas vezes, um sistema não resolve porque simplesmente não foi projetado ou instalado com rigor.

 

Consumo De Eletricidade Do Equipamento

 

A classificação da eficiência enérgica (EER) de um ar condicionado é a sua capacidade em BTU, dividida pelo seu consumo. Se, por exemplo, um ar condicionado de 10 mil BTU consome 1.200 Watts, o seu EER é de 8,3 (10 mil BTU/1.200 Watts). Obviamente, vai-se querer que o EER seja o mais alto possível mas, normalmente, um EER maior é acompanhado de um preço elevado.

Para evitar o consumo excessivo de energia, deve-se:

  • Manter portas e janelas fechadas, pois o aparelho possui um filtro de ar interno que dificulta a passagem de insetos, particulados e até fuligem de automóveis para o interior do ambiente. Com elas abertas, estas impurezas entram no ambiente, sem passar pelo filtro e a filtragem de ar pelo aparelho deixa de ocorrer como deveria;
  • Não deixar fugas de ar, pois essas fugas como: geladeira, frestas e janelas abertas fazem com que o aparelho de ar condicionado tente refrigerar o ambiente externo também. Isso faz com que o compressor do aparelho funcione por mais tempo, consumindo mais energia e o barulho do aparelho aumenta;
  • Regular sempre a temperatura, pois a principal finalidade do ar condicionado é propiciar conforto térmico às pessoas ou os equipamentos especiais. A menos que a sala possua computadores que necessitem de temperaturas baixas para trabalhar, não podendo refrigerar mais que o necessário.

 

Medição Da Capacidade Do Equipamento

 

A potência de arrefecimento ou aquecimento dos equipamentos de ar condicionado pode ser medida de diferentes formas: Kw , Kcal/h ou Btu/h.

Potência Do Equipamento Com Relação À Área

 

BTU é a unidade que mede a quantidade de calor presente em um ambiente fechado e que precisa ser retirada ou adicionada para atingir um conforto térmico. A sigla BTU significa Bristish Thermal Unit ou Unidade Térmica Britânica. Um BTU é a quantidade de calor necessária para reduzir a temperatura de uma libra de água (0,4536 litros) em um grau Fahrenheit (0,53 graus Celsius).

Para calcular o BTU ou a quantidade de calor que precisa ser retirada, alguns fatores são necessários:

Como o ambiente recebe incidência do sol? Há sombra o dia todo, sol o dia todo ou na parte da tarde ou na parte da manhã? Localização do ambiente? Região litorânea, em andar térreo, entre andares, tipo de telhado?

Saber quanta água um condicionador de ar pode resfriar não é muito útil. Para se ter uma idéia de quanto de ar pode ser resfriado, deve-se levar em conta que 1 metro cúbico de água pesa 1.000 Kg e a água é 6.300 vezes mais densa que o ar, portanto, 1 metro cúbico de ar pesa aproximadamente 0.159 Kg. Isto significa que um local com área de 30 metros cúbicos, com um aparelho de ar condicionado de 10.000 BTUs reduz a temperatura em 5 graus Celsius em questão de minutos.

 

 

Outras variáveis que influenciam neste cálculo:

  • Números de janelas;
  • Números de portas;
  • Paredes externas e janelas que recebem insolação;
  • Quantidade e potência de equipamentos elétricos e lâmpadas que dissipam calor;
  • Número de pessoas no ambiente.

 

Cálculos E Dimensionamento:

 

Em média, utiliza-se para cálculo de carga térmica, 600 BTUs/h por metro quadrado.

Por exemplo, ambiente de 20m² teria: 600 x 20m² = 12.000 BTU = 1 TR.

Então, para o correto dimensionamento do condicionador de ar é fundamental considerar o tamanho do ambiente, o seu isolamento, a sua exposição ao sol ou sombra e o número de pessoas que irão frequentar o ambiente.

Dependendo da área a climatizar, dentre os fatores citados, pode-se dizer que:

 

 

  • Para uma área de piso até 12m², recomenda-se um aparelho de 7.000 Btu/h;
  • Para uma área de piso de 13 a 19m², um aparelho de 9.000 Btu/h;
  • Para uma área de piso de 20 a 29m², um aparelho de 12.000 Btu/h;
  • Para uma área de piso de 30 a 39m², um aparelho de 18.000 Btu/h;
  • Para uma área de piso de 40 a 50m², um aparelho de 24.000 Btu/h.

Nota: Os valores apresentados são meramente indicativos.

 

 

Ainda, uma TR (Tonelada de Refrigeração), em termos de aquecimento ou resfriamento, é igual a 12.000 BTUs. Um aparelho comum do tipo Janela é comumente encontrado com 10.000 BTUs. Isto significa que o aparelho tem capacidade para resfriar 10.000 libras de água (aprox. 4.536 litros) em 1 grau Fahrenheit em 1 hora, ou 5.000 libras em 2 graus em 1 hora ou 2.500 libras em 4 graus em 1 hora.

Para determinar a carga térmica, foram consideradas 2 pessoas num ambiente em andar intermediário. Acrescentar 600 BTU/h para cada pessoa a mais no ambiente (Quadro 1).

Carga térmica

Quadro 1: Carga térmica

 

 

Em meados de 1950, os modelos residenciais de ar condicionado começaram a ser produzidos em massa, ano em que Willis Carrier faleceu. A demanda foi muito grande, acabando com os estoques em apenas duas semanas.

Na década seguinte, estes produtos já não eram mais novidade. A partir disso, se inicia um mercado de amplitude mundial em constante expansão, com muito espaço para desenvolvimento tecnológico e novidades em produtos, até os dias de hoje.

Os aparelhos de ar condicionado atuais, que são utilizados para controlar a temperatura de ambientes fechados, provêm da criação deste processo mecânico para condicionar o ar, criado pelo Carrier.

Estratégias

Ventilação Em Modo Misto

 

A estratégia da ventilação natural de ambientes equipados com climatização artificial pode proporcionar uma economia na energia consumida. Em cidades de clima tropical, por exemplo, a abertura automática de janelas de um ambiente corporativo no período noturno, pode reduzir significativamente a energia despendida pelo ar condicionado para atingir a temperatura de conforto dos ocupantes no dia seguinte. Além disso, proporciona uma alta taxa de renovação do ar.

 

Soluções Arquitetônicas

 

As formas utilizadas que podem ajudar o ar a deslocar-se por dentro de um edifício incluem janelas operáveis; desenhos de plantas abertas de edifício de modo a facilitar o movimento do ar; átrios; chaminés de ventilação; aberturas de remoção de ar localizadas na parte superior do edifício; aberturas de admissão de ar localizadas na parte inferior do edifício; pequenas ventoinhas e aberturas entre divisões como as janelas por cima de portas interiores, grelhas e paredes.

  •  Instalar o aparelho em local com boa circulação de ar;
  •  Usar o equipamento de maneira correta como está indicado no seu manual;
  • Manter portas e janelas fechadas evitando a entrada de ar do ambiente externo;
  • Manter o ar condicionado sempre desligado quando se estiver fora do ambiente por muito tempo.

Figura 4: Instalação

 

 

Climatizadores Por Evaporação

 

As Instalações de climatização são aquelas que criam um microclima nos quesitos de temperatura, umidade, velocidade, distribuição e pureza do ar. São conjuntos de processos empregados para se obter, por meio de equipamentos em recintos fechados, condições específicas de conforto e boa qualidade do ar, adequadas ao bem estar dos ocupantes .

Figura 5: Esquema da instalação

 

 

 

O climatizador de ar possui um ventilador que força o ar externo através de um painel evaporativo, sobre o qual a água circula continuamente pela ação de uma bomba. Nesta passagem do ar pelo painel, há a troca de calor entre a água e o ar. A água que evapora garante uma maior umidade do ar resfriado e é reposta por uma bóia que mantém o nível constante do reservatório. Tal processo garante um resfriamento de até 12ºC. Porém, o aparelho possui algumas condições para um bom funcionamento. A troca contínua do ar ambiente por ar resfriado é fundamental para manter as condições de conforto térmico no ambiente.

 

Tipos De Equipamentos

 

Expansão direta:É um sistema cuja troca final de calor se dá entre o gás refrigerante e o ar a ser tratado.

 

 

São os mais utilizados e também os mais baratos. São facilmente encontrados no mercado. Podem ou não fazer uma renovação do ar fresco. Possuem o evaporador e condensador no mesmo gabinete. Devem ser instalados embutidos na parede ou em vãos de janelas, com algumas restrições em determinados edifícios ou residências como, por exemplo, alteração de fachada. Os modelos mais recentes têm baixo nível de ruído e possuem controle remoto de operação. Capacidades entre 1.775 e 7.500 Kcal h 17.100 e 30.000 BTU/h. Necessitam de dreno.

Figura 6: Aparelhos de janela ou parede

 

 

Vantagens:

 

Compactos, não requerem instalação especial, fácil manutenção;
• Controle e atendimento específico de uma determinada área;
• Não ocupam espaço útil interno;
• São produzidos para aquecimento por reversão de ciclo (bomba de calor).

Desvantagens:

• Pequena capacidade, maior nível de ruído, não tem flexibilidade;
• Maior custo energético (Kw/TR), distribuição de ar a partir de ponto único;
• Alterações na fachada da edificação;
• O local ideal para sua instalação normalmente interfere com aberturas ou outros elementos do prédio.

SPLIT INVERTER

O que é ar-condicionado inverter

Se você não tem nenhuma experiência anterior com ar condicionado, então você vai se perguntar o que é um inverter. Bem, a tecnologia inverter regula o fluxo de energia do sistema, alterando a velocidade do compressor. Este componente irá reduzir o consumo de energia quando se detecta que a sala precisa de menos refrigeração ou aquecimento.

ar-condicionado inverter também ajuda o sistema a consumir menos energia no início, reduzindo os picos de energia e flutuação, devido ao compressor quese nunca desligar, apenas ajustando a rotação do compressor, reduzindo assim o consumo de energia.Resumindo, este tipo de condicionador de ar altera o número de rotação do compressor dependendo da temperatura ambiente sem necessariamente desligar o compressor.O compressor inverter pode resfriar e aquecer o ambiente por atingir velocidades mais altas do que o convencional (conforme gráfico abaixo), possui um funcionamento silencioso, pois uma vez estabilizada a temperatura. o compressor inverter trabalha em baixa rotação. A economia de energia é gerada devido ao compressor trabalhar em consonância com a temperatura, o compressor inverter parte uma única vez quando ligado.

Conforto e economia de energia:

Foi executado um teste real entre um ar condicionado inverter e um ar condicionado convecional, conforme o grafico abaixo a temperatura do ambiente é estavel com um consumo muito menor de energia quando se utiliza um ar condicionado inverter, o modelo convencional de ar condicionado liga e desliga completamente o compressor quando existe uma diferença na temperatura programada e isso gera maior consumo de energia, ruidos no ambiente interno e externo, e um certo desconforto térmico.

O compressor do ar condicionado inverter é semelhante ao acelerador de um carro. Ele desacelera quando menor fluxo de ar é necessário e acelera quando mais capacidade é necessária.

Veja na tabela abaixo um resumo comparativo entre o ar condicionado inverter e ar condicionado convencional:

Informações Inverter Convencional
Controle de Temperatura Atinge rapidamente temperatura desejada e a mantêm com pouca osilação Necessário algum tempo para atingir temperatura desejada
Economia de Energia Alta eficiência com a até 60% de economia Baixa eficiência com consumo elétrico elevado
Gás Refrigerante R410a ECOLÓGICO R-22 (HCFC)
Operação Compressor varia a rotação em função da temperatura desejada Aumento gradativo na rotação evitando picos de energia Função de secagem na serpentina evitando formação de mofo e odor. Compressor liga e desliga para manter a temperatura ambiente próxima a temperatura desejada Compressor com partida direta, picos de energia
Nível de Ruído Menor que o convencional Com a temperatura estabilizada, o compressor opera em baixa rotação, reduzindo mais ainda o ruído da condensadora Baixo nível de ruído Compressor liga ou desliga

 

Portátil

 

São práticos porque podem ser utilizados em todos os ambientes da casa onde for necessária climatização e tem custo zero de instalação.

Vantagens:

  • Funcionam expelindo o ar quente para o exterior e trazendo ar frio para o interior;
  • Asseguram a renovação do ar;
  • Os modelos mais recentes têm baixo nível de ruído e possuem controle remoto de operação;
  •  Todos os componentes estão em uma única peça;
  •  Custo zero de Instalação e maiores custos do aparelho e oferece mobilidade.

Figura 7: Aparelho portátil

 

 

QUAIS AS PRINCIPAIS DIFERENÇAS ENTRE O AR SPLIT E O SPLIT INVERTER?

4 minutos para ler

Aparelho essencial nos lares brasileiros, o ar-condicionado é uma solução prática para a climatização de ambientes. O modelo split faz muito sucesso por ocupar pouco espaço, fazer menos ruído e ser mais econômico que o modelo de janela, mas a linha inverter tem se mostrado ainda mais econômica e eficaz.

Quer conhecer as diferenças entre o ar split e o ar condicionado split inverter? Então continue a leitura e confira!

Melhoria de recursos

A linha inverter nada mais é que um aperfeiçoamento do modelo split. Ela trabalha com alterações na compressão do aparelho, invertendo a frequência que controla essa compressão sem desligá-lo completamente em nenhum momento. Assim, evita-se picos de voltagem e o ambiente fica sempre ameno, acabando com os períodos de muito frio ou muito calor.

Com menos quantidade de calor no ambiente, o aparelho também tende a diminuir a velocidade com que o compressor trabalha, deixando o esforço do motor apenas para manter a temperatura.

Essa nova modalidade pode ser encontrada apenas no modelo split, já que a tecnologia necessária para que o compressor permaneça ligado não pode ser usada nos modelos de janela.

Alcance rápido de temperatura

A principal diferença entre o split convencional e o inverter é a velocidade com que a temperatura é alterada, mais rápido que o normal. Da mesma forma, essa temperatura é mantida constante, sem oscilações. O modelo split tradicional demora mais para atingir a temperatura desejada e sempre oscila 2 graus.

Essa opção de split é especialmente interessante em locais com muita alteração da temperatura ambiente, como as regiões sudeste e sul. Como o inverter mantém uma constância, o aparelho trabalha menos para controlar essas alterações do clima e, consequentemente, gasta menos energia, já que evita picos de energia.

Menos gasto de energia

Como vimos acima, o inverter trabalha com um compressor em baixa rotação, mantendo a temperatura constante e diminuindo oscilações de energia. Essa constância permite um gasto menor de energia, regulando seu fluxo.

Powered by Rock Convert

Além disso, como a placa do aparelho nunca é completamente desligada, ela gasta menos energia na partida e torna-se mais econômica até mesmo na hora de começar a funcionar. Com o compressor sempre ligado não é preciso uma demanda alta de energia para ligar o aparelho.

Da mesma forma, como a temperatura fica sempre constante, sem picos de calor ou frio, o aparelho requer menos energia para funcionar, pois quase não há oscilações de temperatura para serem corrigidas e o motor não fica sobrecarregado para resfriar o ambiente.

Todos esses aspectos colaboram para tornar o inverter um aparelho mais econômico, e você consegue reduzir sua conta de luz em 40% a 60% de acordo com a marca.

Mais silencioso

Ainda que no split convencional o ruído proporcionado pelo compressor — que tende a ficar ligando e desligando — seja bem baixo, no inverter esse ruído praticamente não existe.

Como o compressor está sempre funcionando em baixa rotação, não existe o ruído desse liga-desliga. A baixa rotação também faz pouco barulho, diferentemente do que acontece no split convencional, que tende a aumentar a velocidade do compressor para corrigir a temperatura.

Mais ecológico

Outra vantagem da linha inverter — e que tem tudo a ver com a preocupação ecológica atual — é que ele pode utilizar o gás R-410A, que não destrói a camada de ozônio. Assim, além de mais eficiente e econômico, o split inverter também é menos prejudicial ao meio ambiente.

Da mesma forma, como o aparelho não apresenta o desgaste ocasionado pelo liga-desliga do motor, a linha inverter apresenta mais durabilidade que o modelo convencional. Isso garante menos resíduos ocasionados pela manutenção e menos geração de lixo, com o descarte do aparelho — o que, além disso, torna-o ainda mais econômico.

Agora que você á conhece as principais diferenças entre o ar split e o split inverter, dá para ter uma boa ideia de qual modelo escolher, não é mesmo? Não deixe de conferir também qual é o melhor split para cada ambiente da sua residência e aproveite para curtir a nossa página no Facebook!
Modelo de ar condicionado perfeito para a sua empresa

ar condicionadoPowered by Rock Convert

Tempo de duração do Gás do Ar-Condicionado

gás/fluido refrigerante é um item extremamente importante no funcionamento do ar-condicionado, pois é ele que tem a função de transformar o ar quente em ar frio. Ou seja, ele é o “combustível” do ar-condicionado. Os fluidos mais comuns são o R-22 e o R-410A.

Em condições normais de funcionamento do condicionador de ar, esses fluidos sofrem apenas transformações físicas, de líquido para gás, e de gás para líquido, não havendo perdas na sua quantidade. Em outras palavras, o gás do ar-condicionado não acaba, simplesmente.

Se for constatada a falta de gás no seu aparelho, a mesma pode ter sido causada por uma falha durante a instalação, bem como o aparelho ter vindo com quantidade inadequada de gás da fábrica, danos na tubulação ou também devido ao envelhecimento do sistema. Mas a causa mais comum é mesmo o vazamento.

Como detectar um Vazamento de Gás?

Na maioria dos casos o aparelho perde a eficiência e passa a refrigerar cada vez menos. E quando o vazamento já ocorre há um bom tempo, o aparelho pode não ligar ou então desligar em seguida que for ligado.

Mas para saber se o problema do ar-condicionado é mesmo falta de gás devido a um vazamento, um profissional de climatização precisa realizar o Teste de Estanqueidade e confirmar o problema.

teste-estanqueidade-gas-ar-condicionado

O que fazer se for constatado o Vazamento de Gás Refrigerante?

Fique atento, apenas realizar a recarga do gás refrigerante não será suficiente se houver algum vazamento.

Após o vazamento ter sido constatado pelo profissional, ele deve realizar os testes para encontrar a origem e fazer os devidos reparos. Só após os reparos ele deverá fazer a recarga de gás

Quem pode consertar meu ar-condicionado e repor o gás?

Apenas um profissional da área de climatização pode fazer isso. Se o seu aparelho ainda estiver na garantia e foi instalado por um técnico autorizado da marca, acione a central da Assistência Técnica do fabricante.

Por outro lado, se quem fez a instalação do seu aparelho foi um profissional autônomo, você deverá acionar o próprio profissional que instalou ou então procurar por outros profissionais.

Vazamentos de gás não são brincadeira. Se você acha que esse pode ser o seu problema, chame logo um profissional! Lembre, gás não dura, não acaba, ele vaza.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: