Redenção e paz


Aí sim, a sua luz irromperá como a alvorada, e prontamente surgirá a sua cura. Isaías 58:8

Recentemente, assisti a um vídeo filmado em uma prisão feminina, que retratava o cotidiano de mulheres que, por terem cometido crimes, foram encarceradas – algumas para a vida toda. O filme mostrava a solidão, o desespero e o desânimo do dia a dia. Muitas sentiam que Deus as havia abandonado. O filme analisou os anos de formação, na tentativa de descobrir como as histórias de vida as levaram à prisão.

Conselheiros cristãos profissionais se voluntariaram para trabalhar com as prisioneiras. Para iniciar o processo de cura, os conselheiros pediram que as prisioneiras escrevessem sobre seus antecedentes, suas relações familiares e como haviam chegado àquele ponto. Elas compartilharam suas histórias e as lágrimas fluíram. Nesse processo, as mulheres logo experimentaram a dissolução do caos interno.

Essas mulheres gradualmente descobriram que a mente humana, com memórias negativas trancadas, pode ser a pior prisão. Escrever sobre as memórias negativas foi a chave para a liberdade mental delas. Compartilhar histórias fez com que elas se sentissem libertas dos acontecimentos negativos do passado. Por outro lado, elas aprenderam que, se permitissem que as memórias negativas as controlassem, estariam presas a elas. Essas memórias atuariam como impedimento para a cura. O arrependimento, a culpa e os acontecimentos hipotéticos clamariam por atenção e por sua alma. No processo de escrita e compartilhamento, as presidiárias logo perceberam que podiam escolher se queriam ou não passar a maior parte de seus dias olhando para trás, sofrendo e perguntando o porquê.

Os conselheiros cristãos ajudaram essas mulheres feridas a avaliar o que restava. Eles as ajudaram a avançar e a se concentrar em fortalezas recentemente descobertas e nos talentos latentes que ressurgiram. Como resultado, as mulheres acreditaram que eram fortes e valiam a pena. Elas viram que Deus não apenas as amava, mas as perdoaria e sustentaria. A instrução e o treinamento na instituição continuaram, e elas conseguiram ocupar cargos de responsabilidade dentro da instituição. Embora ainda estivessem presas, a vida delas mudou para melhor, e a cura teve início.

Que memórias do passado você precisa compartilhar com Deus para experimentar a cura?

Peggy Miles Snow

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s