Filosofia budista ensina e ajuda a lidar com o sofrimento


Podemos abandonar as emoções destrutivas e os venenos da mente

por Emilce Shrividya Starling

Sigo a Filosofia do Yoga, que é uma ciência, um método para a união espiritual. O objetivo final do yoga é alcançar a experiência constante do Ser divino dentro de nós

E, gosto muito da Psicologia do Budismo Tibetano. Assim, gostaria de contemplar um pouco sobre AS QUATRO NOBRES VERDADES do Budismo.

São elas:

1. O sofrimento existe.

2. O sofrimento tem suas causas.

3. É possível eliminar essas causas.

4. Existe um caminho para eliminá-las.

Essas verdades são semelhantes a uma receita médica: diagnóstico da doença, a causa desta doença, o remédio para curá-la e a receita de como tomá-lo.

É um médoto para crescermos espiritualmente que nos ajudará a superar nossas ideias limitadas sobre nós mesmos e a abrir nosso coração para sentir compaixão, bondade e ter uma melhor comunicação com o outro.

A PRIMEIRA NOBRE VERDADE:

“O sofrimento existe”

Esse é um ponto inicial da lógica do Budismo: a constatação da existência do sofrimento e de que todos os seres estão sujeitos a ele.

Entenda que não é uma filosofia pessimista nem derrotista. Ela nos ensina que podemos despertar nossa sabedoria para não sofrer com o sofrimento.

É difícil lidar com o sofrimento das separações, do envelhecimento, das doenças, da morte. Sentimos como se não fosse justo ou correto sofrer esses processos.

No entanto, se não houvesse o sofrimento não seria preciso buscar a sabedoria e a coragem de superar a dor. É a consciência do sofrimento que gera a energia da sabedoria e não o sofrimento em si mesmo.

A dor em si não purifica nada. Sofrer sem sabedoria é acumular mais dor e confusão. Para nos libertarmos de um sofrimento, temos que nos desapegar dele. É importante transformá-lo em autoconhecimento, humildade, paciência.

Como disse Dalai Lama: “O sofrimento aumenta nossa força interior”.

A SEGUNDA NOBRE VERDADE:

“O sofrimento tem suas causas”

Essa nobre verdade se refere à origem do sofrimento.

A causa principal do sofrimento é ter uma visão incorreta da realidade: pensar que tudo pode durar para sempre. É não aceitar a impermanência da vida e das coisas.

Assim, surge o apego, a raiva e a ignorância, que são três venenos mentais.

Interpretamos a realidade como positiva ou negativa de acordo com nossas projeções mentais. O mecanismo da projeção interfere nas circunstâncias de nossa vida e no modo como vemos as situações e pessoas.

O sofrimento é causado pelo apego ao eu, pelo interesse do nosso ego voltado para si próprio. A nossa aversão ao sofrimento atrai negatividades e obstáculos, que trazem ansiedade nervosa, medos e expectativas para nossas vidas.

É importante purificar essa mente voltada somente para si mesma com todos seus apegos e desejos egoístas. É preciso procurar manter um estado de relaxamento, de aceitação e abertura diante de tudo e de todos.

TERCEIRA NOBRE VERDADE:

“É possível eliminar as causas do sofrimento”

Essa nobre verdade se refere à cessação do sofrimento.

Podemos nos libertar do sofrimento. Não temos que ficar sofrendo para sempre. Desse modo, aceitamos o sofrimento para transformá-lo, e não como uma punição ou uma cruz que temos que carregar.

Lama Michel Rinpoche disse “Sofrimento é ter apego à dor. Uma coisa é a gente ter dor e sofrer com isso, outra é dizer: ‘Está doendo, mas por que vou sofrer, passar mal? ‘ Dor e sofrimento são coisas diferentes. Uma coisa é a gente ter dor, e outra é ter sofrimento. Você pode ter a dor e não achar que ela é algo ruim, pode transformá-la”.

Podemos abandonar as emoções destrutivas e os venenos da mente. (Clique aqui e leia sobre os três venenos da mente).

QUARTA NOBRE VERDADE:

”O Caminho para eliminar as causas do sofrimento”

Refere-se ao Nobre Óctuplo Caminho para a extinção do sofrimento. É uma jornada de oito passos que devemos fazer com nossa mente, corpo, fala e ações para superar o sofrimento.

As oito nobres atitudes ou passos corretos são:

1. Entendimento correto
2. Intenção correta
3. Fala correta
4. Ação correta
5. Modo de vida correto
6. Esforço correto
7. Concentração correta
8. Meditação correta

Esses sábios ensinamentos não podem ser apenas entendidos intelectualmente, é preciso vivenciá-los. Senti-los como experiências pessoais.

Não adianta apenas ler, assistir palestras ou ter uma compreensão intelectual sobre eles, pois pareceriam distantes e impossíveis de se realizar.

Desenvolver a aceitação dos acontecimentos é uma grande sabedoria. Aceitação não é resignação ou acomodação, mas um ponto de partida.

A consciência daquilo que é preciso aceitar como real e inevitável pode ocorrer em nossa mente de imediato, porém a aceitação emocional do mesmo fato pode demorar a acontecer. Intelectualmente aceitamos o sofrimento, mas emocionalmente ainda relutamos em aceitar.

Posso compartilhar minhas experiências, mas você precisa ter suas próprias experiências para alcançar os benefícios e frutos da caminhada espiritual.

Contemple sobre essas nobres verdades e comece a transformar-se. Tenha a resolução de dar os primeiros passos e siga adiante. Fique em paz! Namastê!


É formada em Yoga pela Federação de Yoga do Brasil e Centro de Estudos de Yoga Narayana/SP com cursos de aperfeiçoamento em Hatha Yoga e Meditação nos Estados Unidos.  Foi Professora de Hatha Yoga por 26 anos em Santos/SP. Atualmente ensina Filosofia do Yoga e Meditação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s