Short ou venda a descoberto


Entenda como funciona a venda a descoberto

A venda a descoberto – também chamada de “short” – é uma estratégia que consiste na venda de uma ação que você não possui em carteira. Para fazer isso você realiza duas operações: aluguel da ação que não tem e venda deste mesmo ativo.

Mas por que vender uma ação que você nem possui? Porque a estratégia é realizada quando há indícios de que o mercado vai entrar em tendência de queda e, dessa forma, você acredita que o preço de determinada ação vai cair.

Assim, se a cotação de fato cair, na hora de devolver a ação alugada você a comprará a um preço mais baixo no mercado à vista e ganhará nessa diferença de preços.

Por exemplo: imagine que as ações ABCD estejam em queda e você acredita que essa tendência vai durar. Você decide então vender 1.000 ações ABCD ao preço de
R$ 10 cada uma, mesmo sem possuir nenhuma delas em carteira.

Para fazer isso, você aluga as ações no mercado e, assim, tem o ativo em mãos para entregar ao comprador das 1.000 ações que você colocou à venda. Pela operação, você vai receber R$ 10.000 (1.000 ações x R$ 10).

Ao final do prazo do aluguel, as ações ABCD estão cotadas a R$ 6. Dessa forma, você vai recomprar as mesmas 1.000 ações que você alugou para vender, e que você precisa devolver ao doador, por R$ 6.000. Assim, você teve um ganho de R$ 4.000 nessa operação (sem contar custos operacionais) na diferença entre os R$ 10.000 que recebeu e os R$ 6.000 que pagou para entregar as ações ao doador.

Assim, ao fazer um short você também consegue aproveitar momentos em que o mercado está em queda ou “de lado”, tendo outras oportunidades de ganhos além do mercado em alta.

Por outro lado, caso a operação inverta a tendência, isto é, se o mercado passar a subir em vez de cair, é importante você sempre acionar o stop e encerrar a operação, a fim de evitar grandes perdas.

Como você está vendendo ações que não possui, a BM&FBovespa exige o depósito de garantias (ativos que podem ser vendidos caso você não honre a obrigação de devolver ao doador as ações alugadas) para a realização das operações.

A BM&FBovespa define os ativos que são aceitos como garantia (tais como ações, CDB e dinheiro) e revisa a lista periodicamente. O valor da margem de garantia será igual, no mínimo, ao valor em que o investidor está vendido (se ele vendeu R$ 10 mil no momento inicial da estratégia, terá que apresentar R$ 10 mil em ativos de garantia) e aumenta em caso de o mercado realizar um movimento inverso e as ações começarem a se valorizar.


Vantagens

Oportunismo

Oportunidade de ganhos mesmo em momentos de queda do mercado

Agilidade

Aproveitar o momento do mercado sem ter o ativo em carteira

Facilidade

Não precisa gastar o recurso na hora – você só vai desembolsar o dinheiro na hora de recomprar as ações para devolução (embora tenha que possuir valores que servirão de garantia)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s