VAZIO EXISTENCIAL



Benedicto Ismael C. Dutra
25/02/2009

https://www.facebook.com/plugins/like.php?app_id=&channel=https%3A%2F%2Fstaticxx.facebook.com%2Fx%2Fconnect%2Fxd_arbiter%2F%3Fversion%3D46%23cb%3Df3c5785ba8518c%26domain%3Dwww.vidaeaprendizado.com.br%26origin%3Dhttp%253A%252F%252Fwww.vidaeaprendizado.com.br%252Ff246b2ef3db978%26relation%3Dparent.parent&container_width=524&href=http%3A%2F%2Fwww.vidaeaprendizado.com.br%2Fartigo.php%3Fid%3D73&locale=pt_BR&sdk=joey&send=true&show_faces=false&width=450
A angústia é um alerta contínuo de que não estamos no caminho certo para compreender a razão da vidaO grande problema da atualidade é a constatação de que a nossa vida é vazia, pelo simples motivo de que não conhecermos o seu significado. O vazio existencial está presente na psique de quase todo ser humano, em maior ou menor grau. Cultivamos essa sensação porque não compreendemos e nem aproveitamos a finalidade essencial da vida. Fazemos tudo de forma automática: comemos, exercitamos o corpo, trabalhamos, ganhamos dinheiro, nos divertimos, dormimos, entre várias outras atividades, mas não deixamos sobrar tempo para o que é realmente importante – entender o significado de nossa existência. Afinal, por que e para que existimos? O vazio nos leva a um sentimento de frustração e à crença de que a vida nos reserva, desde o nascimento, apenas dor e sofrimento. Basta assistirmos a alguns filmes produzidos mais recentemente. Neles encontraremos, na maioria dos personagens, essa percepção nítida e triste de que a vida não faz sentido. Então, na falta de um sentido, muitos se entregam ao uso de drogas como lenitivo na dor que surge por não saber como devem usar o tempo, não sabem avaliar o quanto ele é escasso e valioso. O vazio existencial pode ser acolhido e entendido, preenchido e amenizado. Para acolhê-lo, temos que aceitá-lo como parte de nós, pois ele é o estímulo para a busca de explicações que vão além das aparências. Com nosso esforço poderemos entendê-lo. Com a definição de nossas metas, poderemos preenchê-lo através de atividades laboriosas que nos façam sentir úteis. Assim esse sentimento será amenizado até que alcancemos a compreensão. A angústia nos alerta continuamente de que não estamos no caminho certo para compreender porque estamos aqui, qual a forma adequada para nos relacionarmos com o próximo e com o planeta, e de que precisamos adotar um estilo de vida construtivo e beneficiador. Enquanto alguns ainda buscam ansiosamente o sentido da existência humana, muitos se esforçam para fugir e evitar tais questões, pois assim foram acostumados. Além disso, esses questionamentos causam temores e certa aversão em pessoas que querem viver suas vidas sem ter que, necessariamente, se perguntar sobre seu significado e nem sobre sua responsabilidade. No entanto somos despertados quando acontecimentos prejudiciais nos atingem. Muitas vezes, quando nos decepcionamos com os fatos, ou com pessoas das quais esperávamos muito, surge a depressão como forma de expressar a lacuna interior, que usualmente leva a pessoa a uma sensação de perda do sentido da vida. Ao silenciarmos a mente e nos centrarmos em nós mesmos, as respostas a esse questionamento irão surgir e isso nos fortalecerá. Então saberemos por que estamos aqui e qual a nossa missão. Perceberemos que os seres humanos imaturos sempre causarão danos ao próximo, pois lhes falta o verdadeiro amor. Nunca devemos desistir da idéia de que surgirá um novo ser humano, que não se deixa abater; que seja autoconfiante e deseje evoluir para alcançar suas metas sem precisar ser dominador e alvo dos aplausos; sem precisar ferir o próximo com arrogância e truculência. Que saberá tratar com serenidade e respeito cada pessoa merecedora disso. Assim, será feliz e atuante, e saberá como realizar seus sonhos, pois tudo em sua vida terá o verdadeiro sentido.


Benedicto Ismael Camargo Dutra é graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP, faz parte do Conselho de Administração do Hotel Transamerica Berrini e é associado ao Rotary Club de São Paulo. É articulista colaborador de jornais e realiza palestras sobre temas ligados à qualidade de vida. É também coordenador dos sites http://www.vidaeaprendizado.com.br e http://www.library.com.br, e autor dos livros: “Nola – o manuscrito que abalou o mundo”;“2012…e depois?”;“Desenvolvimento Humano”; “O Homem Sábio e os Jovens” ,“A trajetória do ser humano na Terra – em busca da verdade e da felicidade”; e “O segredo de Darwin – Uma aventura em busca da origem da vida”(Madras Editora). E-mail: bicdutra@library.com.br; Twitter: @bidutra7
Comentários:


Jorge Barragan comentou em 29/11/2014 – 01:11:42

Difícil é encontrar o ponto de equilíbrio que nos permita ter paz de espírito e serenidade nas relações. Duro aprendizado. Este vazio tende a aumentar e absorver as pessoas, levando-as, casos extremos, ao suicídio.
Alberto (advberto@hotmail.com) comentou em 06/12/2015 – 11:12:37

Vazio existencial é estar longe de Deus…………
jose vanderlei (jvanderleicibing@yahoo.com.br) comentou em 07/11/2016 – 23:11:59

O vazio d Psique é real e pode ser uma delícia como surfar uma bela onda, ou, uma trajédia como levar uma vaca. Então se não sabemos surfar vamos observando até aprender, é possível! Há muita Beleza no Vazio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s