Vespas (alimentação, reprodução e sociedade)


As vespas são insetos pertencentes à ordem Hymenoptera (insetos que possuem dois pares de asas membranosas). As abelhas e formigas também pertencem à essa ordem. Em algumas regiões do Brasil, esses animais são chamados de “marimbondos”. Esses insetos possuem ferrões, cintura afilada e a grande maioria são predadoras de outros insetos. Sendo utilizadas no controle biológico: uma colônia de vespas com 30 mil indivíduos, por exemplo, pode chegar a capturar cerca de mil lagartas de borboletas por dia; com isso muitos agricultores estudam táticas de livrar suas plantações de diversas pragas (afinal, não só as lagartas fazem parte do hábito alimentar das vespas, mas muitos outros insetos também), sem a utilização de inseticidas, que poderiam prejudicar a plantação.

As vespas, assim como as formigas e abelhas possuem colônias, e cada habitante têm uma tarefa específica. Existindo também a divisão de “castas” ou grupos, porém as vespas têm apenas duas classificações: existe a rainha (que é a fêmea fértil, capaz de reproduzir e fundou a colônia), algumas colônias possuem mais de uma rainha); além da rainha existe também as operárias, em maior número. As operárias além de arrumar alimento para a colônia, também atuam na proteção da mesma.

Uma grande curiosidade sobra as vespas, é que muitas espécies utilizam de táticas curiosas para se reproduzirem, sempre visando a proteção da sua prole. Certas vespas capturam aranhas e depositam seus ovos (dentro das aranhas). Quando os ovos eclodem, as larvas se desenvolvem dentro da aranha, consumindo a hospedeira, até sua morte. Outras vespas utilizam lagartas como hospedeiras para seus ovos; quando as lagartas de borboletas passam para a fase de pulpa, os larvas das vespas se desenvolvem no interior da hospedeira, se alimentando dela. No fim do estágio de pulpa, sairá do casulo, uma vespa já formada, e não uma borboleta. É importante saber que as vespas que realizam essa posição de ovos, só colocam apenas um ovo por vez nos insetos hospedeiros.

Por fim, as vespas que a muito tempo já foram vistas como insetos perigosos, hoje em dia passam a ser melhor estudadas, sempre visando um melhor aproveitamento delas. Como já foi dito, principalmente no controle de pragas nas plantações. Na Carolina do Norte, pesquisas foram feitas, visando a introdução de colônias de vespas do gênero Polistes sp, que predava a lagarta Protoparce sp; esta que chegou a reduzir em 68% a cultura do fumo. Tudo isso foi possível, devido, principalmente, à facilidade de manipulação e translocação das colônias dessa espécie de vespas para abrigos artificiais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s