Quais as semelhanças entre a Covid-19 e outras pandemias do passado?


Mais que o número de infectados e mortos, surtos globais como o coronavírus provocam mudanças de comportamento, caos social e disseminação de boatos

Se você não estava num retiro espiritual em terras remotas ou numa viagem à Marte, já percebeu que vivemos um momento singular e histórico. A pandemia provocada pelo novo coronavírus é assunto em todo o mundo desde o início de janeiro de 2020, quando os primeiros casos começaram a brotar e se espalhar a partir da China.

Com o passar das semanas e o aumento dramático no número de infectados, eventos começaram a ser cancelados ou suspensos. Festivais e campeonatos esportivos foram paralisados. Líderes mundiais como o americano Donald Trump e a alemã Angela Merkel admitiram recentemente que vivemos o maior desafio global desde a Segunda Guerra Mundial, que durou de 1939 a 1945.

Você pode imaginar, caro leitor, como a redação de SAÚDE está no presente momento, cientes de nossa responsabilidade em levar informações de qualidade e que façam a diferença na sua vida. Mais do que noticiar os fatos do dia, tentamos sempre estimar qual o significado de cada descoberta, qual o impacto de cada informação nova no seu dia a dia. Num momento de crise, temos a certeza absoluta que esse tipo de conteúdo faz diferença.

Nos últimos dois meses, conversei com mais de 30 profissionais de saúde e cientistas: infectologistas, virologistas, biólogos, enfermeiros, químicos, epidemiologistas e outros especialistas me ajudaram a entender mais do assunto e a produzir reportagens o mais atualizadas possível até você. Boa parte dessa apuração foi utilizada para escrever uma matéria para a edição de março da revista (que você pode ler aqui). A segunda parcela das conversas servirá para nortear uma segunda reportagem especial, que sairá na revista de abril.

Ao longo de toda a correria, resolvi adotar um hábito. No início de cada entrevista, repito a mesma pergunta para todos os profissionais: é possível equiparar o momento que vivemos agora e o coronavírus com algum fato histórico? Na maioria das vezes, o silêncio toma conta da ligação por alguns segundos. Invariavelmente, surgem três respostas: a peste negra, a gripe espanhola e a gripe suína. Chegou a hora de conhecer, então, as semelhanças e diferenças entre essas três ameaças do passado com o pesadelo que assola o nosso presente.

Ratos e pulgas assolam a Europa e a Ásia

O infectologista Stefan Cunha Ujvari, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo, é um apaixonado pelo passado. Nos últimos anos, ele lançou uma série de livros que fazem uma relação entre a medicina e as grandes mudanças na sociedade ao longo do tempo. Na obra A História da Humanidade Contada pelos Vírus, Bactérias, Parasitas e Outros Micro-organismos (clique aqui para comprar), revela como esses seres microscópicos moldaram a evolução no planeta ao longo de milênios e, hoje, nos ajudam a entender nossa própria origem na Terra.

Quando fiz aquela primeira pergunta para o doutor Ujvari, ele não titubeou: “No século 14, a peste negra gerou um pânico na população muito parecido ao que estamos vivendo agora. As pessoas ficaram isoladas, ninguém saia às ruas, com medo de entrar em contato com os miasmas, gases venenosos que supostamente estariam por trás da doença”.

Claro que o ar não tinha nada a ver com a questão: a peste bubônica, nome correto da condição, é provocado pela bactéria Yersinia pestis, que acaba transmitida ao ser humano por meio de pulgas que infestam ratos e outros roedores.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s