A resiliência da alma, do coração e da vida


A resiliência da alma, do coração e da vida

(para um 2014 mais iluminado)

 

Resiliência é a capacidade de suportar um momento difícil, sem deixar-se abalar e sem causar ruptura no seu interior. Resiliência é até a capacidade de mudar de forma para suportar a dor e depois voltar a ser quem verdadeiramente é. Sob este ponto de vista, é preciso ter muito equilíbrio emocional, uma inteligência emocional profunda para compreender os instantes da vida em que foi necessário pôr em prática a resiliência da alma, do coração e da própria vida. Quando a fé está no coração a resiliência se faz um processo natural. Assim como é normal ver que sentimentos mesquinhos nasçam nos corações de pessoas boas também, mas o que não é natural é que eles prevaleçam. Por isso não deixar morrer a chama da fé é importante. Compreender, a partir disso, o que faz de fato o coração pulsar. Quem sabe um dia (em 2014, por que não?) ter um coração que sente um grão daquilo que Jesus sentiu. Amar os imperfeitos (sob todas as formas), os incapacitados (sob todos os limites), os diferentes (sob todas as essências). Aceitar o diferente ao invés de tentar mudá-lo. Quem sabe um dia (em 2014, por que não?) tentar se aproximar do sentimento de Jesus com a capacidade de amar quando ninguém acredita ser possível o amor. E quem sabe poder recomeçar e reconstruir a partir do zelo e do cuidado com o outro. A experiência do cuidado é importante para poder suportar a carga que trouxe, mas que muitas vezes foram escolhas feitas, por si próprio. Tem gente que faz disso um alicerce da própria existência (isso é lindo!). Cuidar de alguém pode ter esse significado. Mesmo quando você cuida de longe e em silêncio – não há palavras entre ambos. E o bonito disso é que o nível de consciência não dá para saber, mas certamente no silêncio daqueles corações havia e há mais do que apenas dois sorrisos se contemplando. Deus nos fala muito mais quando nos calamos do que quando nós falamos. Ter essa consciência da vida em 2014. Deixar um pouco de lado nossa visão prática, porque às vezes em nome ou justificando um bom senso acabamos sendo cruéis demais com os outros e um pouco severos conosco. É momento de reassumir com amadurecimento quem somos. É hora de viver intensamente sem precisar dobrar os joelhos no chão. Por mais que a vida venha e jogue pedras no nosso caminho. As pedras são tão pequenas e miseráveis às vezes… Não vale a pena parar a vida por causa de pedrinhas miseráveis.

Portanto, que em 2014, você se revista de muita luz, e iluminado por bons sentimentos que te levarão a ter bons sentidos, que você se dilua nos momentos de felicidade, fique por completo nos lugares em que estiver, deixe o teu melhor e mais bonito nas pessoas que passarão por você e se acaso os fatos, as pessoas e os sentimentos desagradáveis chegarem até você, aprenda com serenidade a fazer isso passar pela tua vida, faça em 2014 o teu passado passar por você.

Para 2014, então…

 

“… Então deixe partir… Tudo que queira ofuscar o brilho do seu sorriso. Que queira nublar seu coração. Tudo que queira brigar com a sua paz”.

Texto escrito por Johney Laudelino da Silva em 05/12/2013

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s