NÚMEROS QUE CRIAM


Sou uma pessoa que vive em função dos números. Não que as palavras sejam menos importantes, mas a vida sempre me colocou envolvido com eles. Durante muito tempo procurei e sonhei com coisas diferentes, mas não consegui fugir do meu destino. O meu número em particular é o 9 e se for 18, melhor ainda (1+8=9).

Arte ou ciência? Lógica ou instinto? Os números são instrumentos humanos criados para a explicação mágica da vida. Na escola aprendi que desde o começo dos tempos que tudo era composto pelos números. Foi Pitágoras quem designou os números básicos de 1 a 9 como princípios místicos de evolução das pessoas e das situações que vivenciam.

É verdade que todas as filosofias coincidem nestes princípios e, hoje em dia, são os números que rezam na totalidade das coisas que nos rodeiam e nos situam no tempo e no espaço. Empregamos os números para medir distâncias e o tempo, para criar música, controlar a luz, as vibrações dos sons e muito mais.

São precisamente nestas vibrações que se baseia a ciência numerológica. Desde o nascimento, somos conhecidos por um nome e herdamos um sobrenome. Ambos, ao serem pronunciados, criam um tipo de vibração sonora que atrai ou forma situações, formando uma personalidade e ajudando na criação de um caráter.

Os estudos elaborados são baseados precisamente em descobrir pelos sons dos nomes quais as vibrações que os compõem, para cada um separadamente e, até os dois juntos. Das vogais vêm as freqüências que apontam o seu tipo de “espiritualidade”. Das consoantes, como se comportarão, a sua “personalidade”, como você é visto pelos outros. Pela soma dos dois (vogais + consoantes) determina-se o potencial do trabalho, ou a realização, o “caráter”.

Finalmente, pela data de nascimento resulta o número do “destino” o qual determina os obstáculos, as advertências, ou as facilidades que estão adiante no caminho da vida. Tudo isso para compreender o inexplicável e deduzir o impossível.

Atualmente com a falta de tempo, senso de urgência e a necessidade da objetividade, nós não temos oportunidade de explicar nossas idéias. Já ouviu a termo “desenha” quando alguém não esta entendendo? Então, hoje os gráficos, tabelas e infográficos são ferramentas cada vez mais importantes para a transmissão de conhecimento.

Da próxima vez que se defrontar com uma equação enigmática ou gráfico de pizza, procure encontrar a beleza da simbologia e profundidade das informações ocultas. E que lhe seja revelada a luz!

MARCELO JOSÉ MOLNAR

Nexialista. Formado em química industrial pela Faculdade Oswaldo Cruz. Com pós-graduação em Marketing e Publicidade pela ESPM. Experiência profissional no desenvolvimento de novos produtos e análise de mercado. Trabalhou 18 anos no mercado da Tecnologia da Informação nas áreas de vendas e marketing. Atua hoje como consultor Estratégico e Analista de Pesquisa de Mercado em vários segmentos. Sócio diretor da N Human Trends do Brasil e da Todo Ouvidos (empresa especializada em processos investigativos nas redes sociais).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s