O Desenvolvimento da Inteligência Humana


Desde a sua existência o ser humano se faz essas perguntas e devido ao seu desenvolvimento já se sabe que existe algo que não é visível e palpável

* Em algum instante em sua vida já se fez essas perguntas?

– Porque eu penso ou porque eu penso tanto?

– O que é que me faz pensar?

– Será que existe algo dentro de mim que me faz pensar?

– O que é realmente o pensamento?

Desde a sua existência o ser humano se faz essas perguntas e devido ao seu desenvolvimento já se sabe que existe algo que não é visível e palpável. Algo extremamente especial que nos distingue de todas as outras espécies, a MENTE, responsável por toda a nossa atividade psíquica, consciente e inconsciente.

Jean Piaget nascido em Neuchâtel, na suíça, em 1896, diplomou-se ainda jovem aos 21 anos em ciências naturais e abordou o desenvolvimento da inteligência através do processo de maturação biológica. Presidente da Comissão Suíça na UNESCO, Piaget tornou-se membro do Conselho Executivo da Instituição.

– Para ele, há duas formas de aprendizagem:

A primeira, mais ampla, equivale ao próprio desenvolvimento da inteligência. Este desenvolvimento é um processo espontâneo e contínuo que inclui maturação, experiência, transmissão social e desenvolvimento do equilíbrio.

A segunda forma de aprendizagem é limitada à aquisição de novas respostas a situações específicas ou à aquisição de novas estruturas para algumas operações mentais específicas.

O processo de aprendizagem envolve a assimilação e a acomodação. Na medida em que participamos ativamente dos acontecimentos, assimilados mentalmente as informações sobre o ambiente físico e social transformamos o conhecimento adquirido em formas de agir sobre o meio.

Os conhecimentos assimilados constituíram a bagagem de experiências que nos permite enfrentar as novas situações. Assimilar outras experiências, formular novas idéias e conceitos. As novas aprendizagens baseiam-se nas anteriores assim, a inteligência humana desenvolve-se: aprendizagens simples servem de base a outras aprendizagens mais complexas.

Quando transformamos o conhecimento assimilado em uma nova forma de ação, realizamos uma acomodação entre o nosso organismo nos aspectos físico, mental e o ambiente no qual vivemos.

Além de um acompanhando terapêutico com técnicas e exercícios de respiração, relaxamento e concentração podemos beneficiar o desenvolvimento da nossa inteligência, rapidez de reflexos e outras funções como a memória e aprendizagem com a alimentação natural e funcional.

Um alimento riquíssimo que pode nos auxiliar é a Quinoa (Chenopodium quinoa Willd; Amaranthaceae), mais conhecida como “O GRÃO DE OURO”.

Cereal sagrado dos Incas e qualificado como o melhor alimento de origem vegetal para o consumo humano, pela Academia de Ciências dos Estados Unidos e selecionada pela NASA para integrar a dieta dos Astronautas em vôos espaciais de longa duração, por seu extraordinário valor nutritivo, só comparado ao leite materno e considerado como o alimento mais completo do planeta, muito superior aos de origem animal, como a carne, o leite, os ovos e o peixe.

Originária dos Altiplanos Bolivianos no Sudeste da Bolívia possui uma imensidão de sal a 3800 metros acima do nível do mar, surge o Salar de Uyuni. Um deserto de Sais com seus 12.500 Km2, rodeado por vulcões com muitos extintos, aonde o frio no inverno chega a 30 graus negativos. A espessura da camada de sal varia entre 10 centímetros e 100 metros de profundidade.

A Quinua é um pseudo-cereal da família das Quenopodiáceas, domesticada e cultivada há oito mil anos nos Andes e tem diferentes locais de cultivo, no Peru, Bolívia e Equador. Planta exótica chega a medir 2,5 metros de altura. Encontrada nas cores preta, vermelha, roxo, alaranjada, branca, amarela e verde. Possui uma enorme plumagem, enfeitando os campos. A espécie mais estudada até hoje é a Quinua Real, também a mais comercializada. Bastante resistente, a planta se adapta a diversas condições de latitude e altitude, e pode crescer em zonas áridas e semi-áridas. A Quinua Real é só uma das muitas espécies do vegetal, que conta com mais de 2 mil variedades. Também chamada quinua  ou quinoa. O nome quinua é de origem quéchua, o idioma falado pelos antigos incas.

Conhecida como o trigo dos incas, para esta civilização, a Quinua era considerada uma planta sagrada, um símbolo religioso. Os incas as cultivavam e chamavam de Grano Madre ou Grano de Oro. Com o domínio espanhol, acabou sendo substituída por alimentos usados pelos colonizadores.

Após a invasão espanhola, os alimentos autóctones, como a Quinua, o Amaranto e a Maca, caíram paulatinamente em desuso e foram substituídos pelos grãos consumidos na Europa, como o Trigo e a Cevada.

A ciência tem se esforçado para comprovar muitos saberes intuitivos de nossos antepassados e como podem observar a Quinua representou, no passado, a base da alimentação da família boliviana, e ainda constituem um componente fundamental à dieta dos camponeses andinos.

Por essa razão, é vista como uma alternativa alimentar altamente nutricional, e ecologicamente viável é um dos raros vegetais completos que apresentam um balanço de aminoácidos adequado à nutrição humana e apelidada de mãe dos seres humanos.

Funcionalidades: Na alimentação é indicada para os que adotam uma dieta vegetariana, além de ser excelente para crianças, atletas, grávidas e lactantes. E especialmente indicado para pessoas que praticam atividade física e é essencialmente útil para crianças e pessoas que desejam emagrecer; Como não contém glúten, pode ser consumida por aqueles que têm intolerância a essa proteína, servindo como substituto do trigo, soja, milho e o arroz.  A Quinua é encontrada em grãos, em flocos, e na forma de farinha podendo ser adicionada em receitas de pães, macarrão, biscoitos, farinhas, risotos, sopas, saladas, massa, cookies, granolas, shakes, barras de cereais, bolos, sucos e vitaminas com frutas. Dá ótimos resultados tanto em receitas doces quanto em salgadas.

Composição: a cada 100 gramas (pode variar devido à diversidade da semente): – 15 g de proteínas; – 68 g de carboidratos; – 9,5 mg de ferro; – 286 mg de fósforo; -112 mg de cálcio; -5 g de fibras; -335 kcal.

Seu consumo é além de beneficiar no aprendizado e na memória conforme iniciamos esta matéria a Quinua também auxilia nosso corpo nos tratamentos de osteoporose, anemias, colesterol, problemas urinários, doenças do fígado, tuberculose, problemas de circulação, cicatrização, protege o corpo de diversas doenças e normaliza a próstata.

A Quinua é um dos alimentos mais completos em quantidades de calorias, proteínas, gorduras, carboidratos. Seus elementos facilita o transporte de oxigênio pelas células do sangue.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s