O que são opções? Bovespa, mercado de opções


Assim como ações, títulos do governo ou debêntures, opções são ativos negociados no mercado financeiro. Como o preço das opções deriva da cotação de outros ativos como ações, índices de ações ou moedas, as opções são classificadas como derivativos. Isso quer dizer que são contratos entre duas partes que preveem a compra e venda desses ativos em data futura por um preço pré-estabelecido. Então uma das partes terá, por exemplo, o direito de comprar ou vender uma ação na data de seu vencimento por um preço pré-determinado. Já a contraparte terá a obrigação de pagar por uma ação o preço estipulado por sua opção na data em que o contrato expirar.

Achou complicado? Então veja esse exemplo. Imagine que as ações preferenciais da Vale estão sendo negociadas no mercado por R$ 14. Você, como investidor, quer comprar papéis da mineradora, porém, não tem muito dinheiro neste momento. Mas daqui a um mês você vai receber um pagamento substancial de um cliente e terá dinheiro para fazer o investimento. Se você não quer esperar porque acha que a ação da Vale vai subir no curto prazo, pode, por exemplo, comprar uma opção de compra de uma ação da Vale por R$ 1 que lhe dará o direito de comprar uma ação da Vale por R$ 14 daqui a um mês. Nesse caso, o valor total desembolsado por cada ação da Vale será R$ 15 (R$ 14 da ação + R$ 1 da opção). Mas você pode avaliar que mesmo assim vale a pena porque sua expectativa é de que as ações da Vale estejam valendo bem mais que R$ 15 daqui a um mês.

A partir do momento em que o negócio é fechado, há vários cenários possíveis – que podem resultar em lucros ou perdas. Se a ação valer R$ 15 daqui a um mês, você nada ganha porque R$ 15 foi o que você pagou. Se a ação valer R$ 16, você ganhou R$ 1. Se a ação valer R$ 14, você perdeu R$ 1. E se a ação valer R$ 13, você também perdeu R$ 1.

Preço da ação da Vale na data do exercício (em R$) Ganho / Perda do investidor (em R$)
10 -1
11 -1
12 -1
13 -1
14 -1
15 0
16 1
17 2
18 3

Ou num gráfico esses são os possíveis cenários para o investidor:

Mas por que a perda não é de R$ 2 caso a ação esteja valendo R$ 13? Esse ponto é bem importante porque ele explica um dos conceitos mais interessantes em relação ao investimento em opções. O prejuízo máximo dessa operação é de R$ 1. Se a ação estiver valendo R$ 13, por que você iria exercer uma opção de compra que lhe garante o direito de comprar a R$ 14? Seria melhor comprar Vale a R$ 13 diretamente no mercado e deixar a opção virar pó, não é mesmo? Como pela opção você pagou um prêmio de R$ 1, é por isso que sua perda máxima é de R$ 1. No limite você abre mão do direito que lhe foi garantido pela opção e perde o dinheiro investido na opção.

– Conceitos importantes para quem investe em opções

Agora que você já entendeu como funciona o mercado de opções, é importante reforçar o entendimento de alguns conceitos:

Opções são direitos que você compra ou obrigações que você assume no mercado financeiro;

– Opções de compra de algum ativo são chamadas de “call”;

– Operações de venda de algum ativo são chamadas de “put”;

– O investidor que compra uma opção é chamado de “titular”;

– O investidor que compra uma opção terá o direito de comprar ou vender um ativo mais adiante;

– Quem compra uma “call” especula que o preço do ativo vai subir no futuro;

– Quem compra uma “put” especula que o preço do ativo vai cair no futuro;

– Para comprar uma opção, é preciso pagar um “prêmio”, que é o valor da opção no mercado;

– Já quem vende uma “put” ou uma “call” é chamado de “lançador” e se torna a contraparte do investidor que comprou essa opção;

– No futuro, quem vende uma opção – ou quem “lança” uma opção – assume a obrigação de comprar ou vender um ativo no futuro;

– Em troca dessa obrigação, o “lançador” recebe um “prêmio”.

– Toda opção tem um “strike”, que o preço de exercício, e uma data de vencimento, que é o dia em que você poderá trocar essa opção pelo ativo-objeto ao qual a opção está atrelada;

– Então quem compra uma “call” de PETR4 com “strike” de R$ 15 e vencimento daqui a 2 meses ganha o direito de comprar uma ação preferencial da Petrobras por R$ 15 dentro de 60 dias;

– Quem compra a “call” de PETR4 com “strike” de R$ 15 e vencimento daqui a 2 meses só vai trocar sua opção pela ação ordinária da Petrobras se ela estiver valendo mais do que R$ 15. Do contrário, vai deixar a opção virar pó;

– “Valor intrínseco” de uma opção é o valor que ela teria na data do vencimento. Para calcular o “valor intrínseco” de uma opção de compra, é preciso subtrair do valor de mercado da ação o “strike” da opção. Então se uma ação da Vale é negociada por R$ 16 e você possui uma opção de compra dessa ação por R$ 15, o “valor intrínseco” dessa opção é R$ 1;

– Na prática, entretanto, a opção só será negociada pelo “valor intrínseco” no dia do exercício. Antes disso essa opção será negociada por mais de R$ 1 por três motivos: 1) quanto mais tempo faltar para a data de exercício da opção, maior será o ágio cobrado no mercado sobre seu valor intrínseco; 2) quanto maior é a taxa básica de juros em um país, maior será o ágio sobre o valor intrínseco; e 3) quanto maior é a volatilidade da ação, maior será o ágio sobre o valor intrínseco da opção;

– Então as opções também possuem um “valor extrínseco”, que corresponde à soma dos ágios correspondentes ao tempo que falta para o vencimento da opção, a taxa básica de juros e a volatilidade da ação. Se uma ação da Vale é negociada no mercado por R$ 16, é possível que uma opção de compra da Vale com vencimento daqui a um mês e preço de exercício de R$ 15 seja negociada no mercado por R$ 1,50. Nesse caso, o “valor intrínseco” dessa opção será de R$ 1 e o valor extrínseco será de R$ 0,50;

– A fórmula de cálculo do valor justo de uma opção mais usado no mercado se chama modelo de Black & Scholes – nome dado em homenagem aos dois matemáticos que desenvolveram essa fórmula: Fischer Black e Myron Scholes.

– O mercado diz que uma opção é “in the money” (ou “dentro do dinheiro”) quando ela tem “valor intrínseco” maior que zero. Ou seja, no caso de uma opção de compra, é quando o preço da ação é maior que o preço de exercício da opção.

– O mercado chama de “at the money” (ou “no dinheiro”) as opções em que o preço de exercício da opção é igual ou muito parecido ao preço da ação no mercado.

– Já as opções de compra em que o preço de exercício é menor do que o valor da ação-objeto são chamadas de “out the money” (ou “fora do dinheiro”). O “valor intrínseco” dessas opções é zero.

– Veja esses exemplos para fixar os conceitos. Uma opção de compra de PETR4 com preço de exercício de R$ 15 estará “dentro do dinheiro” se as ações preferenciais da Petrobras estiverem sendo negociadas na Bovespa por R$ 16. Se as PETR4 estiverem valendo R$ 15, as opções estão “no dinheiro”. Já no caso de as PETR4 serem negociadas por R$ 14, as opções de compra a R$ 15 estarão “fora do dinheiro”.

– As opções podem ser exercidas só no dia do vencimento ou antes do vencimento;

– São chamadas de opções americanas aquelas em que o investidor pode exercer seu direito a qualquer momento até a data do vencimento;

– As opções em que o comprador só pode exercer seu direito na data do vencimento são chamadas de europeias;

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s