Riscos de Fundos – FUNDO e FIEs


Parágrafo 5º – Em razão da política de investimento definida na forma deste regulamento, sujeitase o FUNDO e os FIEs, em especial, aos seguintes riscos:
a) Risco de Mercado – O valor dos ativos que integram a Carteira do FUNDO podem aumentar
ou diminuir de acordo com as flutuações de preços e cotações de mercado, as taxas de juros e os
resultados das empresas cujos valores mobiliários por elas emitidos componham a Carteira, sendo
que em caso de queda do valor desses ativos, o patrimônio líquido do FUNDO pode ser afetado
negativamente, devendo também ser observada, principalmente, a possibilidade de ocorrência de
índice negativo de inflação. A queda dos preços dos ativos integrantes da carteira pode ser
temporária, não existindo, no entanto, garantia de que não se estenda por períodos longos e/ou
indeterminados.
b) Risco de Crédito: Consiste no risco de os emissores dos títulos/valores mobiliários de renda
fixa que integram ou que venham a integrar a Carteira não cumprirem suas obrigações de pagar
tanto o principal como os respectivos juros de suas dívidas para com o FUNDO.
c) Risco de Liquidez: Consiste no risco de o FUNDO, mesmo em situação de estabilidade dos
mercados, não estar apto a efetuar, dentro do prazo máximo estabelecido no Regulamento,
pagamentos relativos a resgates de cotas, em decorrência do grande volume de solicitações de
resgate e/ou outros fatores que acarretem na falta de liquidez dos mercados nos quais os ativos
integrantes da Carteira são negociados, podendo tal situação perdurar por período indeterminado.
d) Risco de Taxa-Preço (RTP): Relacionados especificamente às variações de taxa/preço dos
ativos em carteira e que afetam a sua rentabilidade. Aplica-se tanto à renda fixa, quando mede a
possibilidade de incidência de deságio no papel, quanto à renda variável, medindo o nível de
oscilação dos papéis;
e) Risco Sistêmico : Provém de alterações econômicas de forma geral e que podem afetar todos
os investimentos, não podendo ser reduzido através de uma política de diversificação.
f) Risco de Imagem/Marca (RIM): Reflete o conceito do emitente do papel, de forma subjetiva,
representado na sua tradição em operar o seu negócio e no seu conceito perante o mercado.
g) Risco do Uso de Derivativos: Os preços dos contratos de derivativos são influenciados por
diversos fatores, independentemente da variação do ativo objeto. Dessa forma, as operações com
derivativos podem ocasionar perdas para o FUNDO e, conseqüentemente, para seus cotistas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s