Pratique o desapego: o Budismo vai te ensinar como!


Consiga ter uma vida mais tranquila apesar da correria do cotidiano com a ajuda do Budismo. Pratique o desapego e seja feliz!

uma mão jogando um celular em um lixo

Por Ariane Frassato – 22/02/2017

Foto iStock

Conquistar um estilo de vida mais calmo e significativo é o desejo de muitas pessoas. Procurar compreender os ensinamentos do Budismo e colocá-los em prática pode ser um caminho para encontrar um jeito mais saudável de se viver. Confira como se aproximar da tranquilidade e pratique o desapego de acordo com o Budismo.

uma mão jogando um celular em um lixo

Foto: iStock

Tentar se ‘desconectar’ da vida moderna pode ser muito difícil. A maioria das pessoas precisam trabalhar, manter a casa, lidar com o chefe, cuidar da família e, em meio a tantas responsabilidades, se perder no mundo de ilusões fica fácil. Mas o Budismo oferece um caminho pelo qual você consegue pausar, relaxar e ficar em silêncio – pelo menos por um tempo.

Desapegue!

Buda, durante os anos em que passou ensinando, sempre enfatizava a importância de se compreender sobre a impermanência das coisas. E entender que tudo é frágil e instável é uma maneira do Budismo introduzir um cotidiano mais tranquilo na s nossas vidas.

Mas esse entendimento pode ser atrapalhado pelo desejo de sempre nos preocuparmos demais com o agora. Por exemplo, ficamos aflitos quando não conseguimos comprar o que queremos ou quando um relacionamento não dá certo.  Nesses momentos é importante pensarmos que o “agora” um dia vai virar passado, assim como o futuro e, um dia, tudo irá desaparecer.

Dê uma pausa

Entre todas as práticas budistas, a meditação é a mais conhecida em todo o Ocidente. Meditar vai além de sentar e ficar em silêncio, essa prática pode despertar a mente e fazer com que a vida seja mais leve. É um raro momento, onde podemos ficar sozinhos conosco, sem celular, rede social, cobrança, enfim, sem correria.

Você irá prestar atenção no “agora”, mas de um jeito diferente. Meditando, a preocupação com o presente não é um peso, algo que deve estar perfeito aos olhos da sociedade, é um momento de relaxamento.

Nos dias atuais, não tem como não ter pelo menos um mínimo de planejamento dos objetivos de vida, fazer uma orçamento dos gastos mensais ou até mesmo não se lembrar dos problemas do trabalho. A intenção do Budismo não é essa. É, sim, fazer com que cada vez mais as pessoas se recordem de que tudo é passageiro e, assim, consigam viver de um jeito mais tranquilo.

LEIA TAMBÉM

FONTES: A Roda da Vida como caminho para a lucidez, de Lama Padma Samten, Editora Peirópolis/ Padma Dorje (Eduardo Pinheiro) / CEBB

Edição: Ariane Frassato/Colaboradora | Design: Gabriel Andrade/Colaborador

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: