4 Razões do porque você deve SOFRER para ter sucesso


4 Razões do porque você deve SOFRER para ter sucesso

TEMPO DE LEITURA: 7 MINUTOS

No domingo passado a nossa família foi até a casa de um amigo para o almoço. A conversa estava rolando, as pessoas estavam próximas, mas não eu. Estava sentado na parte de trás da sala de estar em uma profunda e duradoura frustração. Não estava com raiva, não estava chateado. Estava sofrendo.

Sou uma vítima da paixão. Vivo com essas ferozes visões, idéias e desejos que realmente doem. Meu peito queima. Meus pensamentos são como tempestades. Meus pés começam a bater. Em muitas ocasiões, ou eu não consigo dormir, ou eu persigo o meu pensamento a noite inteira, ou minha mente se consome com imagens do que poderia ser. Imagens tão reais e tão importantes que fazem qualquer outra coisa no momento parecer irrelevante.

Se você procurar a definição original da palavra “paixão”, você vai descobrir que é definido como: “para suportar o sofrimento”. A palavra foi realmente utilizado pela primeira vez no final do século XII para descrever a disposição de Cristo em sofrer na cruz.

Desde então, a palavra “paixão” foi sequestrada, usurpada e abusada. Reduzida por uma cultura de bem-estar perseguindo uma linguagem mais simples. Hoje, a paixão é entendida como “o que o excita” ou “o que coloca brilho nos seus olhos, brilho em seus dedos.”

Mas a paixão é muito mais.

É a vontade de sofrer por aquilo que ama. É uma experiência para ser acoplada com palavras como: preparação, prontidão, submissão e lealdade.

É uma coisa para sofrer e ser uma vítima; é uma coisa totalmente diferente de estar disposto a sofrer por uma visão e se tornar um vencedor.

Quando descobrimos que estamos dispostos a pagar um preço para descobrirmos a missão e o propósito de nossa vida.

Se a paixão é simplesmente o que te faz feliz, você vai parar de fazê-lo quando fica difícil, quando se torna muito arriscado, quando você está ignorado e ridicularizado. Sua verdadeira paixão é o que você está disposto a fazer mesmo que você morra.

1. O SUCESSO EXIGE QUE VOCÊ ESTEJA OBCECADO EM RESOLVER UM “PROBLEMA”

Paixão está quase sempre enraizado no ódio ou num desejo de uma mudança para um problema atual. Se olharmos para um grande homem ou uma grande mulher que trouxe mudança, vamos ver citações de desprezo, frustração e animosidade contra o status quo. Seus corações anseiam desesperadamente por uma mudança.

Vimos isso com Steve Jobs. Ele odiava o conceito de PC. Não apenas o computador, mas toda a sua maneira de pensar. Ele disse muitas vezes citações como esta:

“Se, por alguma razão, nós fizermos algum grande erro e a IBM ganhar, meu sentimento pessoal é que nós entraremos em uma Era Negra do computador por cerca de vinte anos.”

Em uma entrevista com Jobs em 2003, ele usa palavras como “miserável” e “angústia” ao descrever a solução para o setor de telefonia.

Em última análise, sem problemas, a Apple nunca seria tão grande como eles são. Steve precisava de problemas para lutar. Ele precisava de algo para sofrer por. Foi essa obsessão para melhor que causou sua brilhante mudança (o iPhone).

Pergunta crítica: Que problema você obsessivamente luta contra? Que solução, atualmente, você está disposto a “sofrer” para criar uma mudança?

2. SEM TENTATIVA, VOCÊ NÃO CRESCE.

Semelhante à maneira como nosso sistema muscular depende de peso para se fortalecer, as emoções humanas exigem resistência para crescer. Muitas vezes, a angústia infligida durante um período de sofrimento, pode muito bem ser o desenvolvimento pessoal necessário para produzir a sua paixão.

Passamos nossas vidas inteiras evitando ensaios, tentativas, testes. Nós olhamos para o caminho de menor resistência, menor esforço. Mas este não é o caminho dos grandes. Em vez disso, quando as lutas estão diante de você, considere-a como uma oportunidade. Pois é nestes momentos que se amadurece, que se desenvolve o caráter e apara as bordas, arestas desnecessárias de nosso temperamento.

Lembre-se que estamos todos lutando pela sobrevivência. A sobrevivência de nossos corpos, nossas idéias e nossas paixões.

Pergunta crítica: Que provações você está enfrentando agora? Você está as contando como oportunidades? Você pode ver como elas estão te preparando para a sua paixão?

3. UMA GRANDE COISA RECEBIDA NUNCA É MELHOR DO QUE UMA GRANDE COISA CONQUISTADA

Receber algo por nada, sempre vem com problemas. Veja a lista de ganhadores da loteria que vão à falência logo depois de milhões que recebem, ou o filho que herda o negócio da família e não se preocupa com o sucesso da empresa.

Temos que eliminar a ideia de que podemos ter grandes coisas sem trabalho, sem sofrimento. Devemos discernir a diferença entre uma necessidade, que deve ser suprida, e um desejo, que deve ser satisfeito.

Porque o direito, privilégio é a crença de que sou isento de um trabalho necessário e que sou merecedor de um tratamento especial.

Surpreendentemente, as paixões que estão no fundo da nossa alma, seriam roubadas se elas fossem realizadas durante a noite, no escuro. A jornada para a mudança requer um desejo de conquista, em não tomar atalhos, não enganar o nosso caminho para a solução. Mas se encontrar qualificado, comprovado, e capaz de nossas próprias realizações.

Pergunta Crítica: O que você quer de graça, que você deva conquistar? Talvez seja uma renda extra, ou uma renda fixa ou uma fortuna? Como você pode, adequadamente, matar essa fome, essa necessidade?

4. UM FOGO FORA DA FOGUEIRA É PERIGOSO

Isso é menos razão e mais lição. A paixão pode ser uma coisa perigosa. Como qualquer coisa, ela tem um tempo e um lugar. Sua capacidade de defender as fronteiras de suas paixões, irá determinar o nível de sofrimento que você pode suportar.

Como mencionei anteriormente, as paixões são dolorosas. E, em um esforço para aliviar a dor, nós nos tornamos obcecados por uma solução. Quanto mais cedo chegamos a solução, mais rápido a dor vai diminuir. Mas no momento em que priorizar suas paixões acima das pessoas mais importantes da sua vida, você se torna um fogo fora da fogueira.

A chave para gerenciar a paixão é encontrar o controle no meio de algo aparentemente incontrolável. E assim ficar bem com o momento, o trabalho necessário, a dor e o sofrimento.

Pergunta Crítica: Você deixa suas paixões assumirem o controle da sua vida? Você toma decisões irresponsáveis ​​em um momento de obsessão? Se sim, como você pode eliminar esses momentos no futuro?

No final do dia temos que perceber que a dor que experimentamos das paixões que nós temos, é uma coisa boa. Pois sem ela, a vida seria linear, reta.

E sobre a sua paixão? Quando perguntado em que você está apaixonado, não me diga o que te faz se sentir bem ou o que te excita. Mas o que você está disposto a sofrer por? Escreva abaixo nos comentários.

Texto adaptado do blog Startup Camp

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s