Homem é linchado após criança de 12 anos dizer que ele a estuprou


A Polícia Militar foi acionada por moradores quando o suspeito começou a ser espancado e chegou a tempo de socorrê-lo. Ele prestará depoimento após receber alta


postado em 29/01/2019 22:24 / atualizado em 29/01/2019 22:24

O homem foi linchado na porta de casa após ser apontado como suposto estuprador(foto: Reprodução)
O homem foi linchado na porta de casa após ser apontado como suposto estuprador(foto: Reprodução)

Um homem de 52 anos foi linchado por um grupo de moradores, na tarde desta terça-feira (29/1), na Quadra 8 do Paranoá, depois que uma criança de 12 anos indicou que ele seria o autor de um estupro cometido contra ela, em 30 novembro de 2018. A menina teria sido sequestrada por ele na porta da escola, abusada e, posteriormente, devolvida no colégio.

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) foi acionada para atender a ocorrência de espancamento. Ao chegar, os agressores já haviam fugido e familiares do homem estavam ao lado dele. Somente no local foi que a equipe descobriu se tratar de um caso de linchamento. Ele foi espancado na porta de casa, com estacas de madeira.
Com suspeita de traumatismo craniano e fraturas no maxilar e em outras regiões da cabeça, o homem foi levado ao Hospital Regional do Paranoá (HRP) e, posteriormente, transferido ao Hospital de Base. Quando receber alta, ele deverá ser encaminhado à 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá), que investiga o caso.
De acordo com a delegada responsável pelas apurações, Jane Klébia, ainda é cedo para afirmar que o espancado seja, de fato, o autor do estupro. “O que se sabe é que a menina reconheceu o homem em uma praça e contou aos familiares. A notícia se espalhou pela comunidade e um grupo se juntou para agredir o suspeito”, diz.
Continua depois da publicidade

Apesar do suposto estupro ter acontecido no ano passado, somente na última quinta-feira (24/1) é que a menina revelou o caso para a mãe, que registrou boletim de ocorrência. “A mãe teria notado que a filha andava triste e chorando. Somente depois de insistir é que a menina se abriu”, conta a delegada.
A vítima falou que o homem a atraiu para perto do carro dele em busca de informação e a jogou no banco de trás, destaca a delegada. “O relato leva a crer que o suspeito colocou algo no rosto dela para que desmaiasse, já que ela não lembra do percurso, só de acordar em um parque, com as calças abaixadas e as dele também.” Ainda segundo o depoimento, ele teria mandado a menina ficar calada e, depois, a levou de volta para a escola.
Agora, a delegacia vai apurar se o homem cometeu, de fato, o estupro a vulnerável. Ele não possui passagens pela polícia, mas, se confirmada a autoria, pode pegar de cinco a 15 anos de prisão. Já os responsáveis pelo linchamento também serão investigados e indiciados. “Justiça privada não existe. Por mais que ele possa ser considerado culpado, não podemos estimular práticas como essa”, afirma Jane Klébia.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s