Intoxicação por metanol: o perigo das bebidas adulteradas


Ele é transparente, tem cheiro de bebida destilada de cana de açúcar e causa embriaguez. Etanol, certo? Errado. Algumas pessoas estão ingerindo bebidas alcóolicas e sofrendo um efeito inesperado e nocivo: intoxicação por metanol.

O álcool metílico, hidrato de metila ou, simplesmente metanol, é um tipo de álcool altamente inflamável, com características de solvente, que possui propriedades similares às do etanol. Entretanto, sua toxicidade é muito maior. Saiba mais sobre essa ameaça:

Em casos de pirataria, por ser mais barato que o etanol, algumas pessoas mal-intencionadas adicionam o metanol ao álcool etílico, comumente ingerido em bebidas como a cachaça.

Você pode ter outras referências de mortes ocasionadas pela adulteração de bebidas, aqui.

 

Sintomas da intoxicação por metanol

 

Os sintomas da intoxicação por metanol variam de acordo com a quantidade ingerida. A legislação brasileira permite que bebidas alcóolicas contenham até 0,25 ml de metanol a cada 100 mL de álcool.

As adulterações, entretanto, ultrapassam muito esse valor, podendo chegar a até 60 ml de metanol a cada 100 mL de álcool. Os sintomas mais comuns são dor de cabeça, vertigens, embriaguez, perda de força física e sonolência.

Os casos mais graves envolvem a dilatação das pupilas, perda de consciência, perda da acuidade visual e até mesmo cegueira. Todos os sintomas podem surgir em até 1h30 após a ingestão do líquido.

 

Tratamento da intoxicação por metanol

 

A intoxicação por metanol é considerada uma emergência médica. A vítima precisa ser levada imediatamente a uma unidade de saúde, onde receberá bicarbonato por via venosa.

Outros medicamentos que podem ser utilizados a critério médico são o 4-metilpirazol ou fomepizol (um antagonista competitivo da desidrogenase lática).

Um tratamento caseiro muito utilizado antigamente envolvia a ingestão de grande quantidade de bebida alcóolica para desintoxicar a vítima.

O álcool etílico liga-se facilmente ao ácido fórmico tóxico, principal metabólito do metanol, auxiliando na sua excreção pela urina.

A prevenção é o melhor remédio contra a intoxicação por metanol. Evite o consumo de bebidas caseiras. No caso de industrializadas, como uísque, desconfie de preços muito baixos e sempre confira se o lacre está intacto.

 

Cuidados com produtos adulterados

 

A adulteração não acontece apenas nas bebidas alcóolicas. No Brasil, já foram identificadas adulterações também em leite, combustíveis e cosméticos. Existem, no mercado, alguns métodos para a identificação de adulterações.

Para identificar a presença de metanol em etanol, pode-se utilizar o Kit Metan-OHL, que informa o resultado da análise em poucos minutos.

No caso da adulteração de leite (com a adição de formol), é recomendado uma análise com  oFormfix. O formol também pode ser usado em cosméticos. Nesse caso, as adulterações podem ser identificadas por meio do Formhair.

Para saber mais sobre como se proteger contra intoxicação por metanol ou contra adulterações em combustíveis ou cosméticos, assine nossa newsletter e acompanhe nosso blog.

Deixe uma resposta

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s