Viveiro de mudas: como fazer o planejamento e saber quais as instalações necessárias


Ao montar um viveiro de mudas, a fase de planejamento é muito importante na montagem das instalações

 Ao montar um viveiro de mudas, a fase de planejamento é imprescindível para a melhoria em quantidade, variedade e qualidade.

Há muito tempo, surgiu a necessidade de produzir mudas para os mais variados fins. Seja para a horta caseira ou comercial, para processos de reflorestamento, para jardins públicos ou residências, para a instalação de pomares frutíferos ou para outras finalidades. Com isso, a instalação de  um viveiro de mudas vem sendo alvo de estudos, visando à melhoria das condições para a produção em quantidade, variedade e qualidade. Para isso, é preciso fazer um planejamento com descrição de todos os detalhes necessários para a correta construção das instalações e dos ambientes, além da compra das ferramentas e dos insumos a serem utilizados.

Escolha do local:

-Deve estar próximo da área de comercialização ou plantio final;

-Deve ter fácil acesso para a chegada de insumos e/ou clientes;

-Deve ter fonte de água abundante, com qualidade, para irrigação;

-Deve possuir boas condições climáticas: não ter ventos fortes, bom arejamento e ser ensolarado;

-Deve possuir boa localização no relevo: estar à meia encosta e não ter mais de 3%  de inclinação;

-Deve possuir solo com boas características físicas e boa drenagem;

-Também é importante que, na área, não haja plantas daninhas de difícil controle e que não  façam sombra para as mudas.

Tipos de viveiros e mudas:

Viveiros provisórios: São construídos para atender a uma demanda específica. Geralmente se localizam na área do plantio para que as mudas já se adaptem às condições da região. Não há muitos gastos em instalações, já que serão desativados posteriormente.

Viveiros permanentes: São construídos com a finalidade de se produzir mudas por muito tempo. São bem planejados e divididos para comportar as áreas de produção, armazenamento, escritórios e outros. Geralmente são escolhidas áreas próximas a mercados consumidores. No entanto, há um maior investimento em tecnologia permanente, como estufas, construções em alvenaria, sistemas de irrigação e outros.

Mudas de raízes nuas : São plantadas diretamente no campo e transplantadas com as raízes expostas. O cuidados são maiores no transplante para não danificar o sistema radicular. Na produção em campo, há maiores cuidados com as condições climáticas.

Mudas de raízes protegidas: São plantadas em embalagens ou bandejas e as raízes ficam envoltas por substratos. Existem embalagens biodegradáveis e não biodegradáveis. No primeiro caso, planta-se com a embalagem e no segundo não.

Tamanho da área e distribuição:

O tamanho da área do viveiro depende de vários fatores:

-Tipos de mudas que se pretende produzir: hortaliças, ornamentais, árvores, café e outras;

-Tipo de embalagens, bandejas, tubetes e outros que serão utilizados;

-Características de germinação dos tipos de sementes ou pegamentos de estacas;

-Perdas nas seleções de mudas ou repicagens;

Geralmente, 50%  a 60% da área do viveiro destina-se à parte de produção. O restante são para os caminhos e as estradas, construções diversas e áreas de trabalho.

Instalações:

As instalações necessárias para um viveiro dependerão do objetivo do viveirista, mas basicamente são: casas de vegetação ou com sombrites, que oferecem controle de condições climáticas para a produção das mudas, que é o principal. Galpão semiaberto para trabalhos em dias chuvosos e galpão de armazenamento de insumos. Reservatório de água para irrigação e abastecimento geral do viveiro. Almoxarifado de ferramentas e local de sementeiras ou embalagens. Escritório e/ou local de recepção de clientes.

Ferramentas, equipamentos e insumos:

A compra destes está relacionada ao tipo de produção e às necessidades do local e dos trabalhadores. Vejamos:

-Ferramentas: enxadas, pás, tesouras de podas, serrotes, baldes, regadores  e outros;

-Equipamentos: bombas, equipamentos de irrigação, misturadores de substratos, balança, pulverizadores e outros;

-Insumos: sementes, substratos, agroquímicos, adubos orgânicos e minerais e outros;

-Outros materiais: embalagens, bandejas, plásticos de estufa, sombrites e outros.

Mão de obra:

No planejamento, é importante ter em vista a quantidade que se projeta produzir para saber o número de funcionários que serão necessários e suas funções, como trabalhar na produção, vendas, recepção de material, almoxarifado e outros. Essa mão de obra deve ser qualificada para que tudo possa correr bem. Treinamentos constantes, aprimoramento de experiências, preparação de novos funcionários e reuniões são os pontos-chave para o acerto nesse requisito.

Com um planejamento bem feito, é possível fazer um orçamento criterioso e levantar todas as necessidades materiais e humanas. Daí pode-se partir para um cronograma de operações, visando à construção e aquisição de insumos para o início das operações do viveiro de mudas. Antes de tudo, um estudo do mercado e comercialização das mudas é de fundamental importância para o êxito do negócio.

Aprimore seus conhecimentos, acessando os Cursos CPT, das áreas Cafeicultura e Fruticultura, elaborados pelo Centro de Produções Técnicas (CPT), entre eles os cursos Produção de Mudas de Café em Saquinhos e Tubetes Produção de Mudas Frutíferas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s