Irisina


Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Saltar para a navegaçãoSaltar para a pesquisa

Irisina é um hormônio em estudo pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, que pode reproduzir no organismo alguns dos efeitos positivos do exercício.[1]

Equipe de pesquisadores[editar | editar código-fonte]

A pesquisa foi realizada na Faculdade de Medicina de Harvard por Bruce Spiegelman, Ph.D., biólogo celular no Instituto de Câncer Dana–Farber e professor em Harvard. O composto foi licenciado pela Ember Therapeutics, empresa co-fundada por Bruce Spiegelman.[2]

Mecanismo de ação[editar | editar código-fonte]

O exercício promove o aumento da expressão da enzima PGC-1alpha no músculo, que é relacionada a adaptação muscular ao exercício. Este aumento causa a produção da proteína Fndc5 em camundongos, logo o Fndc5 é clivado dando origem a um novo subproduto, a que os pesquisadores nomearam de Irisina, em referência a Íris, a mensageira dos deuses na mitologia grega.[3][4]

Efeitos[editar | editar código-fonte]

Depois de secretada pelos músculos, a irisina chega ao tecido adiposo branco estimulando a produção da enzima UCP1 que leva a modificação metabólica, na qual não estoca mais gordura mas a queima, tendo função similar ao tecido adiposo marrom e no processo de queima ganham mais moléculas de ferro. Assim como as células marrom, o adipócito unilocular passa a ter mais mitocôndrias que as células normais do tecido adiposo, resultando em maior gasto calórico (termogênese).

O estudo demonstrou que quando a irisina era injetada em camundongos obesos e pre-diabéticos promovia a tolerância a glicose em dietas ricas em gordura.[5]

O estudo também observou a perda de peso nas cobaias após 10 dias de administração do hormônio.

Referências

  1.  Boström, Pontus; Jun (26 de janeiro de 2012). «A PGC1-α-dependent myokine that drives brown-fat-like development of white fat and thermogenesis»Nature (em inglês). 481 (7382): 463-468. ISSN 0028-0836PMID 22237023doi:10.1038/nature10777
  2.  «Study finds exercise-related hormone may help obesity». Utah Daily Herald. Consultado em 12 de janeiro de 2012
  3.  «Exercise Hormone May Fight Obesity and Diabetes». New York Times. Consultado em 12 de janeiro de 2012
  4.  Boström, Pontus; Jun (1 de janeiro de 2012). «A PGC1-α-dependent myokine that drives brown-fat-like development of white fat and thermogenesis»Nature481 (7382). PMID 22237023doi:10.1038/nature10777
  5.  «Newly Discovered Irisin Hormone Could Be Developed as Treatment for Obesity, Diabetes». Emaxhealth.com. Consultado em 12 de janeiro de 2012
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s