Inteligências artificiais já apresentam grande disparidade de gênero


Apenas 22% da “força de trabalho” na área são mulheres, indica relatório do Fórum Econômico Mundial

por Agnes Guimarães Cruz

78% dos treinadores de robôs e algoritmos são homens, segundo
relatório elaborado pelo Fórum Econômico Mundial e publicado na última segunda-feira (17). A pouca quantidade de mulheres é um alerta para problemas já conhecidos sobre a área, como os vieses racistas e sexistas já encontrados de diversas formas nas práticas de machine learning. A pesquisa foi realizada em parceria com o Linkedin.

Além da disparidade de gênero em relação à quantidade de funcionários na área, homens também ocupam posições superiores, destacando-se na liderança de cargos como engenharia de software, enquanto às mulheres restam cargos mais subordinados, como pesquisadoras ou cientistas de dados.

Se o relatório aponta um aumento da demanda na área de IA,  a lacuna de gênero pode causar problemas que não afetam apenas as mulheres. Ainda há poucos profissionais qualificados para a área, e excluir quase metade da população mundial – composta por mulheres – pode prejudicar ainda mais o desenvolvimento do campo.

COMPARTILHE:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s