As seis faces da solidão serena: [5] solidão sem vagar no mundo do desejo


Menina livre no vento - Solidão Serena parte 5 - Hridaya Terapia

Satisfazer os desejos é possivelmente a maior indulgência humana dos tempos modernos, e é também um escape comum da solidão, talvez o maior deles. E é desse escape, da indulgência no desejo como saída/resolução para a solidão, que há um problema. Há um mundo criado para satisfazer desejos, então é fácil e rápido hoje correr de qualquer sentimento ruim: o desejo de combatê-lo e “resolvê-lo” (instantânea e superficialmente) pode ser satisfeito em qualquer esquina, ou bem mais perto que isso, em casa, na geladeira, na cama, no armário, na tevê, no computador, no videogame, etc. Não vagar no mundo do desejo é a quinta maneira que a monja budista Pema Chödron cita para experimentar a solidão serena, na série de seis definições que ela lista sobre esse tipo de experiência de solidão, segunda a abordagem budista que ensina e pratica. Uma abordagem consistente com a meditação que usamos e com a abordagem gestáltica que trabalhamos na Hridaya Terapia, voltada para o nosso profundo equilíbrio e despertar.

É importante observar que “não vagar no mundo do desejo” não significa reprimir o desejo, isso já aprendemos com Freud e seu legado. Mas o desejo como forma de não aceitar a solidão é a questão. Não a solidão em si, pois “a solidão não é algo a ser resolvido”.

Eis as palavras de Pema Chödron:

“Não vagar no mundo do desejo é uma outra maneira de descrever a solidão serena. Vagar no mundo dos desejos envolve buscar alternativas, buscar algo que nos conforte — comida, bebida, pessoas. A palavra desejo engloba aquela característica do vício, a maneira que nos apegamos a algo porque queremos achar uma maneira de tornar as coisas suportáveis. Essa característica vem de nunca termos crescido. Ainda queremos ir pra casa e sermos capazes de abrir a geladeira e encontrar nossas comidas favoritas; quando a vida fica dura, nós queremos gritar, “Mãe!”. Mas o que estamos fazendo conforme progredimos no caminho é sair de casa e nos tornar sem casa. Não vagar no mundo dos desejos é sobre se relacionar diretamente com as coisas como são. A solidão não é um problema. A solidão não é algo a ser resolvido. O mesmo é verdadeiro para qualquer outra experiência que possamos ter.”
— Pema Chödron

Caso não tenha lido o primeiro texto desta série sobre a solidão, que possui os links para a série completa das seis maneiras de experimentar a solidão serena, eis aqui: Virando a solidão de cabeça pra baixo: uma abordagem budista, por Pema Chödron.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s