A Insustentável Leveza do Ser


A Insustentável Leveza do Ser é uma joia da literatura, uma obra indispensável para aqueles que apreciam romances que propiciam reflexões existenciais

Milan-KUNDERA-580_59642aLiteratura, filosofia e psicologia se unem harmoniosamente em A Insustentável Leveza do Ser, obra mais famosa do escritor tcheco Milan Kundera. Instigante do título até a última página, o livro agrada em forma e conteúdo, com um narrador onisciente que, muitas vezes, interpela o leitor diretamente, provocando reflexões existenciais, religiosas, políticas sobre comportamentos estabelecidos na sociedade do século XX e sobre o amor em suas diferentes formas.

A história tem início na extinta Tchecoslováquia, atual República Tcheca, durante A Primavera de Praga em 1968, período de liberação política do país que era dominado pela União Soviética. Nesse pano de fundo político, o autor elabora um complexo discurso sobre a melhor maneira de se levar a vida, fundamentado na dicotomia da filosofia de Parmênides, sobretudo no que concerne à leveza e ao peso das escolhas humanas.

Quatro personagens compõem a inusitada trama cercada de romances, traições, conspirações e dilemas familiares: Tomas é um médico mulherengo, avesso a relacionamentos, mas que acaba se envolvendo profundamente com Tereza, uma mulher simples do interior, que busca evolução e distanciamento da imagem da mãe; Franz, um intelectual de vida simples, divide-se entre aulas na universidade e palestras, e acaba se envolvendo com Sabina, uma artista plástica que não consegue se manter muito tempo ligada a quem quer que seja, preferindo uma vida sem compromissos.

Entre as idas e vindas das atividades amorosas de Tomas e, em menor medida, das outras personagens, Kundera demonstra que quanto mais leve a vida, quanto menos envolvimento as pessoas estabelecem, menos real ela se torna, e, por consequência, insustentável em si mesma. Por outro lado, quanto mais a pessoa se engaja em um ideal ou se aprofunda em um relacionamento, seja amoroso ou familiar, mais pesada se torna a existência, maior é o fardo que se deve carregar, mas, em contrapartida, torna-se muito mais real e cheia de sentido. Assim, o que deveria ser positivo segundo a concepção de Parmênides, ou seja, a leveza, termina por se tonar negativo, impossível de ser suportado.

“Quanto mais pesado é o fardo, mais próxima da terra está a nossa vida, e mais real e verdadeira ela é. Em compensação, a ausência total de fardo leva o ser humano a se tornar mais leve do que o ar, leva-o a voar, a se distanciar da terra, do ser terrestre, a se tornar semirreal, e leva seus movimentos ser tão livres como insignificantes. O que escolher, então? O peso ou a leveza?” (pág. 11).

O livro todo é permeado por belas e profundas passagens, presenteando o leitor com uma prosa pensada para surpreender e sensibilizar. Certamente, é uma obra que não se esgota de sentido em apenas uma leitura. Em um dos trechos memoráveis, o autor faz uso de uma das composições de Beethoven e da filosofia de Nietzsche para falar sobre a condição humana em relação às próprias decisões:

“Em trabalhos práticos de física, qualquer aluno pode fazer experimentos para verificar a exatidão de uma hipótese científica. Mas o homem, por ter apenas uma vida, não tem nenhuma possibilidade de verificar a hipótese por meio de experimentos, por isso não saberá nunca se errou ou acertou ao obedecer a seu sentimento” (pág. 39).

Em outro trecho do livro, Kundera cita Descartes, mas se opõe às ideias do filósofo para falar sobre o que acredita ser o amor e a bondade do ser humano: “Não existe nenhum mérito em sermos corretos com nossos semelhantes. […] A verdadeira bondade do homem só pode se manifestar com toda a pureza e com toda a liberdade em relação àqueles que não representam nenhuma força”, (pág. 283).

A obra foi publicada pela primeira vez em 1984 e possui uma adaptação para o cinema, do diretor Philip Kaufman, produzida na década de 80. A edição analisada neste texto foi lançada pela Companhia de Bolso (13ª reimpressão – 2014), com tradução de Teresa Bulhões de Carvalho da Fonseca. Marque na sua lista de livros desejados e tenha uma verdadeira aula prática de literatura e muita bagagem para a vida.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s