Teclado – OUTROS EFEITOS


>>> <<<

Resumindo, para falarmos de efeitos, levaria muito tempo, pois o assunto é muito vasto, principalmente se tratarmos desde como usa-los até entrar em detalhes mais profundos como o circuito como atua cada componente eletrônico do circuito, etc.
Bom, fiz uma divisão em grupos onde encaixei alguns efeitos, mas nem todos se encaixaram nesses grupos, então eu os colocarei nesse grupo chamado outros e isso não quer dizer que esses efeitos tenham sua importância depreciada, mas ao contrário são muito importantes e vou tentar descrever seu funcionamento.

NOISE GATE / NOISE SUPRESSOR: 
A qualidade do seu som é diretamente proporcional à qualidade dos equipamentos que você está usando o que estão inclusos os captadores, cabos, pedais, fonte dos pedais, amplificador e até a tensão das tomadas.
Dependendo do efeito, por exemplo efeitos de ganho e compressores, que você estiver usando, um “hum” ou qualquer tipo de perturbação sonora (ruído) poderá ser ouvido prejudicando a qualidade da sua gravação ou apresentação ao vivo.
Se o som principal for relativamente mais alto do que esse ruído poderá ser mascarado e praticamente não será notado. Porém nem sempre isso acontece… Aí entra a necessidade de se adquirir um pedal Noise.
Mas qual Noise??? O Noise Gate ou o Noise Supressor???
Bom não estou aqui pra te falar o que adquirir mas vou explica cada um deles e você decida o que vai adquirir!!!
Os Noise Gates atenuam o sinal quando sua amplitude cai. O noise gate é regulado pra liberar a passagem de som somente a partir de certos decibéis, ou seja, se você para de tocar e não diminui o volume da guitarra, ele corta o som, dando um “mute”. Mas na hora que você tocar, ele vai liberar a passagem de todo o som, inclusive os ruídos. No encadeamento ele é colocado em linha com os outros pedais. Em algumas aplicações esse método não é muito útil, uma vez que a transição “liga/desliga” é drástica, e soa muito pouco natural.
O Noise Supressor atua como um filtro e com isso, ele elimina somente os ruídos que esses pedais criam, deixando somente o sinal da guitarra passar. Deve-se tomar cuidado, pois dependendo da regulagem ele pode cortar as pontas dos agudos, e causar perda de harmônicos. No encadeamento, o Noise Supressor não é ligado em linha como o Noise Gate, ele tem o SEND e RETURN e assim ligado ele estará continuamente filtrando o sinal evitando eventuais ruídos.
No fim desse tópico vou exemplificar alguns setups e suas ligações onde em um deles terá um Noise Supressor ligado para melhor entendimento dessa ligação.

Exemplos:
Ebtech 2 Channel Hum Eliminator
Rocktron Hush Pedal
Boss NS-2 Noise Suppressor / Loop / Power Supply
DOD FX-30B Noise Gate / Loop
MXR Noise Gate / Line Driver

PEDAL DE VOLUME / PEDAL DE EXPRESSÃO:
Pra começar, não são os mesmos, não fazem a mesma coisa, um não pode fazer a função do outro (a menos que você tenha uma unidade que faça ambas funções como o Ernie Ball Stereo 25k Volume / Expression Pedal).
Embora esses pedais sejam de fácil entendimento e de fácil aplicação, tem gente que faz uma confusão gigantesca com esses pedais.
O Pedal de Volume atua como abaixador de volume e o volume máximo que você consegue atingir com ele é volume normal de como se esse pedal estivesse desligado. Mas isso é útil? Sim! Na hora de um solo alguns guitarristas usam um Boost ligado depois das distorções, o que é legal, mas e se ele quisesse abaixar o volume desse mesmo som? Abaixaria na guitarra? Na guitarra não pode porque ele vai perder a saturação nos pedais de ganho (vão distorcer menos) e isso não pode acontecer. É exatamente aí que entra o Pedal de Volume.
No encadeamento o Pedal de volume deverá ser ligado sempre depois dos pedais de ganho/saturação (Distorção/Drive/Fuzz), pois se for ligado antes, como comentei acima o pedal de ganho perderá saturação. Ligado depois, o volume será controlado sem perder a saturação.
PS. Existem hoje alguns pedais de volume High Gain que aumentam o volume além da amplitude original.
O Pedal de Expressão é uma unidade que sozinha ela não faz absolutamente nada! O pedal de expressão precisa e um outro pedal para poder ter uma função. Por exemplo, o Line6 POD XT (não a Live) não tem nenhum pedal e todos os comandos são manuais. No caso de uma performance ao vivo, a POD XT tem uma entrada para um pedal de expressão e nesse pedal de expressão você pode regular, para controlar com ele, o ganho/saturação da distorção, o volume de saída do som, o wah-wah (é você pode regular o pedal de expressão para virar um wah-wah) e enfim, todo e qualquer parâmetro que a POD XT permitir controlar pode ser controlado pelo pedal de expressão.
Em pedaleiras, todas que tenham um foot de controle contínuo, esse foot é um pedal de expressão. Numa Digitech RP-300A, o pedal de expressão pode controlar praticamente todos os parâmetros dos efeitos de Modulação (resumidamente Rate, Depth, Regen), dos efeitos de Ganho (nesse caso o principal é o parâmetro Gain que controla a quantidade de distorção) além de Wah-wah, Whammy, Volume, etc, isso tudo em tempo real.

Exemplos:
Boss FV-500H Mono Volume Pedal
Boss FV-500L Stereo Volume Pedal
Boss FV-50H Stereo Volume Pedal
Boss FV-50L Stereo Volume Pedal
DOD FX-17 Wah Volume
Dunlop High Gain Volume Pedal
Dunlop TVP-1 Tremolo Volume
Ernie Ball 6165 Stereo Volume/Pan Pedal
Ernie Ball 6166 Mono Volume Pedal
Ernie Ball Stereo 25k Volume / Expression Pedal
Goodrich Model 120 Volume Pedal
Goodrich Model 120 Volume Pedal
Line 6 EX-1 Expression Pedal
Morley Little Alligator Volume Pedal
Morley PDW-II Distortion / Wah / Volume
Morley PVO Volume Pedal
Onerr MV500
Roland FV-300H Volume Pedal
ShoBud Volume

SYNTH (SINTETIZADOR):
Essas unidades simplesmente emulam sons de outros instrumentos. Por exemplo, num Roland GR-20 pode-se “tirar” um som de violino, ou piano, ou trompete e até efeitos como vento, mar, percussão, enfim como se fosse um teclado.
Em unidades mais simples de sintetizador o efeito que se tem é somente um som eletrônico desses usados em músicas techno. Em outros se tem só uns efeitos mais doidos que eu classifico como indefinido e que são usados somente em aplicações muito específicas.

Exemplos:
Boss SYB-3 Bass Synthesizer
Digitech XP-300 Space Station
Electro-Harmonix Guitar Micro Synthesizer
Line 6 FM-4 Filter Modeler
Roland GR-1 Guitar Synth
Roland GR-30 Guitar Synth
Roland GR-700 Guitar Synth
Roland VG-8 Guitar Synth / Amp Modeler / Multi-FX

SAMPLER / LOOPER:
São pedais que gravam por um determinado um frase que está sendo tocada e depois ficam reproduzindo-as indefinidamente. Essas unidades em muitos casos são acompanhadas do efeito Delay.

Exemplos:
Akai E1 Headrush Delay Echo Looper
Boomerang Phrase Sampler / Looper
Boss DSD-2 Sampler Delay
Digitech PDS-8000 Echo Plus Delay Sampler
Digitech XDD Digidelay Delay
DOD DFX-94 Digital Delay / Sampler
Electro-Harmonix 16 Second Delay

SWITCHES (CHAVES):
Esse não é um pedal de efeito e sim um pedal que atua junto com outros pedais de efeitos (e amplis) ligando e desligando os efeitos. Resumidamente os Switches não passam de liga/desliga. Algumas unidades além de liga/desliga podem ser usadas para direcionar para onde o sinal vai, que é o caso dos A/B Box e A/B/Y Box. Ou ainda numa mesma unidade pode ter mais de um liga/desliga que é o caso do Looper que tem um on/off (liga/desliga) para cada loop da unidade.

Exemplos:
– A/B:
Boss LS-2 Line Selector / Loop / Power Supply
DOD 270 A/B Box
DOD FX-30B Noise Gate / Loop
Morley A/B/Y Switch Box
Whirlwind A/B Selector

– A/B/Y
Morley A/B/Y Switch Box
Whirlwind A/B Selector

– Looper:
Boss LS-2 Line Selector / Loop / Power Supply
Boss NS-2 Noise Suppressor / Loop / Power Supply
Boss PSM-5 Power Supply / Loop
DOD FX-30B Noise Gate / Loop
Loooper Custom Looper

– On/Off:
Boss FS-5L Latching Footswitch
Vox VFS2 Footswitch
E todos os de amplificadores

AFINADORES:
Bom essa é fácil, com esse equipamento você afina cada corda do seu instrumento de acordo com a freqüência que cada corda gera. O afinador só indica em qual freqüência está (e logicamente irá mostrar qual nota é referente a essa freqüência). Como em qualquer modalidade de equipamentos sempre existem alguns modelos com alguns recursos a mais e com os afinadores não seria diferente. Algumas unidades afinam a guitarra sozinha, outro afinadores mandam uma luz sobre a corda tocada e “detecta” qual corda é e em qual freqüência está, etc.
Os modelos mais usados são os afinadores de mão e os em formato de pedal.

Exemplos:
Arion HU-8500 / 8550 Stage Tuner
Boss TU-12 Chromatic Tuner
Boss TU-12H Chromatic Tuner
Boss TU-2 Chromatic Tuner / Power Supply
Korg DT-1 Digital Tuner
Korg DT-10 Digital Pedal Tuner

CONTROLLERS:
São unidades que, assim como o Pedal de Expressão, não possuem nenhum efeito, esses somente controlam efeitos originados em outras unidades de efeito.

Exemplos:
ADA MPC Midi Foot Controller
Big Briar EP-1 Expression Pedal
Boss FC-50 Midi Foot Controller
Custom Audio Electronics RS-10 Midi Foot Controller
Digital Music Corp GCX Ground Control
Digitech Whammy IV
Dunlop Uni-Vibe / Wah Controller Pedal
Gibson EFC-7 Echoplex Digital Pro Foot Controller
Korg Midi Footswitch Controller
Lexicon MPX R1 Midi Foot Controller
Line 6 FB-4 Foot Controller
Line 6 FBV Foot Controller
Mesa/Boogie Abacus Midi Foot Controller
Oberheim Echoplex Digital Pro Foot Controller
Pete Cornish Controller Pedalboard
Pete Cornish Custom Foot Controller
Rockman Midi Foot Controller
Rocktron All Access Midi Foot Controller
Rocktron Midimate Foot Controller
Roland EV-5 Expression Pedal
Roland FC-100 Midi Foot Controller
Roland FC-100 MKII Midi Foot Controller

DIRECT BOX:
Em muitas situações pode ser necessário conectar a guitarra ou o baixo diretamente ao mixer, em vez de microfonar o som do amplificador. O problema é que ao se conectar uma guitarra ou baixo diretamente à entrada de um mixer o som não fica bom, pois os captadores comuns geralmente produzem um sinal de nível baixo e possuem alta impedância de saída, incompatíveis com as entradas dos mixers, que geralmente possuem impedância relativamente baixa e esperam sinais de nível mais alto.
A incompatibilidade de níveis tende a produzir ruído, pois o pré-amplificador do mixer tem que compensar aumentando o ganho. Já a incompatibilidade de impedâncias, além de também afetar o nível, pode produzir alterar a resposta de freqüências. Por exemplo, ao se conectar uma guitarra diretamente à uma entrada com impedância muito baixa pode não afetar muito o nível, mas causa uma perda na resposta de freqüências altas, deteriorando o som original.
O Direct Box é o cara que resolve essa incompatibilidade.

Exemplos:
Behringer GI100 Ultra-G DI Box
Behringer GDi21 Simulamp / Direct Box
Behringer ULTRA-DI DI400P Passive Direct Box
Behringer ULTRA-DI DI100 Direct Box
ART ARTcessories Zdirect Professional Passive Direct Box
Radial J48 MK2 48V Phantom Power Active Direct Box
Whirlwind Director Deluxe Direct Box
Pro Co DB-1 Direct Box
Nady DB-1 Direct Box
Boss DI-1 Direct Box
MXR M-80 Bass Direct Box with Distortion

OUTROS:
Bom com certeza eu não citei todos os efeitos aqui, mas acredito que citei os principais. Só para deixar registrado, existe também o Talk Box, efeito em que a boca do guitarrista é usada como um tipo de “caixa de ressonância”. O som sai de um mini-amplificador que passa por uma mangueira que fica próxima a um microfone e ao aproximar a boca dessa mangueira o que o guitarrista disser o ou formato que ele fizer com a boca, dará uma característica no som.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s