Conheça a história de Jorge Paulo Lemann, o empresário mais rico do Brasil!


Conhecido por sua capacidade de otimizar processos e reduzir custos, o brasileiro ‘, um dos homens mais ricos do planeta, construiu verdadeiro império vendendo cerveja, muito embora este não seja o único segmento em que o empreendedor conquistou sucesso.

Ao analisar a sua trajetória, assim como os conselhos compartilhados pelo empresário, notadamente se observa que o diferencial dos seus negócios diz respeito — a perspectiva de desenvolver projetos a longo prazo, somados a habilidade de identificar e moldar bons profissionais.

Pensando nisso, elaboramos um post reunindo alguns detalhes bastante curiosos sobre a vida e carreira deste grande líder. Então vamos conferir!

Quem é Jorge Paulo Lemann?

Famoso internacionalmente, o brasileiro Jorge Paulo Lemann, aos 74 anos, figura na posição de homem mais rico do país e a 26ª maior fortuna do mundo, de acordo com a revista Forbes. Mas um caminho bem-sucedido não é feito apenas por dias de glória, chegar a tal patamar requer muito esforço e preparação.

Nascido na cidade do Rio de Janeiro, amante de surf e do tênis, esporte que inclusive competiu profissionalmente, o destino de Lemann reservava-lhe algo além do arpoador.

Descendente de um imigrante suíço que se tornou produtor de cacau na região da Bahia, o empresário foi, desde bem cedo, estimulado por sua mãe a ter maiores ambições como meta de vida — foi ela a sua maior incentivadora para o ingresso no curso de economia na universidade americana de Harvard.

Embora a ideia não lhe atraísse inicialmente, aos poucos Lemann foi se sentindo motivado a absorver todo conhecimento possível, e não nos referimos apenas aos livros, afinal, estava ele imerso em um ambiente onde as mentes mais brilhantes do mundo se reuniam.

E da universidade, uma lição se transformou em um dos pilares de todos os seus negócios:** ter ampla visão para encontrar boas pessoas, e saber atraí-las para formar o melhor time.**

Retornando ao Brasil no início da década de 60, as primeiras experiências com o mercado financeiro não foram tão agradáveis como o esperado — mesmo se unindo a pessoas com grande formação acadêmia, a financeira por eles montada faliu cerca de quatro anos após a abertura.

Então no ano de 1971, a sua história sucesso começou a ser escrita com a fundação do banco Garantia. O negócio estava focado exclusivamente na obtenção de resultados, e contava com dois sócios: Marcel Telles e Beto Sicupira.

Ao longo de 20 anos muito produtivos, todos ganharam muito dinheiro e o Lemann aproveitou a oportunidade para investir em outros segmentos, a exemplo da rede de comércio varejista Lojas Americanas e a cervejaria Brahma.

**As vivências do mundo dos negócios levaram o empresário a se conscientizar da importância de construir um empreendimento pensando em metas a longo prazo. **

Porém com a crise asiática dos anos de 1990, o banco sofreu uma decaída. Como o grupo estava acostumado a resultados em curto prazo, decidiram que a estratégia mais adequada seria vender o banco.

A essa altura, a Brahma já representava a perspectiva duradoura na qual o empresário pretendia de dicar a maior parte de seus esforços. A aposta foi muito bem acerta, pois hoje Jorge Paulo Lemann domina o mercado cervejas e outros ramos da alimentação.

Quais os principais lemas do homem mais rico do Brasil?

“Gente boa trabalhando como um time e com objetivos comuns”.

“A sorte passa na frente de todo mundo. Alguns agarram e outros não”.

“A melhoria e educação contínua dos associados têm de ser um esforço permanente”.

“Copiar é muito mais prático do que inventar a roda. A originalidade de nossa cultura está em misturar uma porção de coisas boas que vimos em vários lugares e ter aprimorado todas elas”.

“Reduza sempre os custos”.

“**A principal função dos chefes é escolher pessoas melhores que eles para dar continuidade à instituição”. **

“Sonhar grande dá o mesmo trabalho que sonhar pequeno”.

“Foco, foco, foco: foco no essencial”.

Quais empresas compõem este império?

A lista de empresas que integram o patrimônio de Jorge Paulo Lemann e seus sócios é composta por nomes nada menos que — a AB Inbev, maior cervejaria do mundo; o Burger King, uma das mais famosas redes de fast food de todos os tempos; e a renomada empresa de condimentos Heinz.

Como mencionado, o caminho ao poderio no segmento das cervejas começou a ser trilhado antes do ano de 1994, com a aquisição da Brahma. Posteriormente, no ano de 1999, Lemann e seus sócios compraram a Antártica. Então, as duas empresas se fundiram e originaram a Ambev (Companhia de Bebidas das Américas).

O trio de empreendedores conseguiu transformar a Ambev na maior organização da América Latina — é ela a responsável por distribuir, por exemplo, a marca Stella Artois, bem como os produtos da Pepsi Co aqui no Brasil.

Atualmente, apenas a AB Imbev, comandada por Lemann, entrega ao mercado produtos como:

  • Stella Artois;
  • Budweiser;
  • Bohemia;
  • Antárctica;
  • Polar;
  • Corona;
  • Norteña;
  • Quilmes;
  • Skol;
  • Brahma;
  • Bud Light.

E não é somente o quesito faturamento que coloca a AB Imbev no topo da lista das empresas do ramo de bebidas, naturalmente ela também é a que possuiu o maior volume de produção.

Contudo, a atuação do homem mais rico do Brasil vem se estendendo igualmente ao ramo alimentício — além do já citado Burguer King, Lemann é sócio do icônico Warren Buffett ao lado do segundo homem mais rico do mundo.

Ainda nesse sentido, há pouco tempo a Heinz se juntou a Kraft Foods, isso significa que estão sob o domínio do empresário as seguintes marcas:

  • Tang;
  • Trident;
  • Traquinas;
  • Royal;
  • Lacta, dentre outras.

Como Jorge Paulo Lemann enxerga a política corporativa da meritocracia?

Na gestão de suas organizações, Lemann defende e emprega a cultura da meritocracia — o reconhecimento dos profissionais conforme o esforço dedicado ao exercício de suas respectivas atribuições, bem como no alcance das metas.

A referida metodologia já funcionava na época do banco Garantia com a seguinte dinâmica: os salários fixos eram baixos, aparentemente nada atraentes, entretanto com o bônus recebido pelo alcance das metas, ele poderia quintuplicar;** uma forma inovadora de incentivar o crescimento pessoal, reter os melhores talentos e, por via reflexa, potencializar os resultados da empresa.**

Porém o empresário adverte que, na prática, a aplicação de tal metodologia apresenta-se mais complexa. Primeiramente porque, se o método avaliativo não for justo, dificilmente você conseguirá alinhar os colaboradores a este pensamento.

Então, como julgar o desempenho de pessoas com características diferentes, por meio de uma única métrica? Trata-se de uma tarefa bastante delicada, via de regra influenciada pelo histórico de cada instituição — as qualidades desejadas são definidas pelos valores cultivados, ou seja, naquilo que a empresa acredita.

Nesse contexto, uma comunicação clara e objetiva é fundamental para inserção bem-sucedida da meritocracia no ambiente corporativo:

  • dialogar com os treinees constantemente;
  • verificar se as pessoas estão sendo avaliadas de maneira verdadeiramente meritocrática;
  • utilizar o feedback como uma ferramenta para direcionar a rotina de trabalho.

Lemann assevera a importância de sempre escolher melhores sucessores do que os indivíduos que ocupavam determinado cargo — em suas organizações, ninguém é promovido se não tiver um substituto a altura. Isso estimula o crescimento pessoal e gera mais gente boa para ocupar os postos de trabalho.

Garantir que a cultura atinja a coletividade é um processo demorado, algo em torno de 10 anos para que os primeiros treinees adquiram todas as habilidades e as pratique de forma eficiente na rotina de trabalho.

Assim, como receita de sucesso da implementação da meritocracia nos seus empreendimentos, Lemann revela que, a cada negócio incorporado ao seu comando, uma equipe gabaritada é enviada para treinar os novos integrantes.

Acima de tudo, é essencial que o gestor seja correto e coerente em suas ações — não adianta exigir dos funcionários o que ele próprio não consegue cumprir;** um líder deve ser fonte de inspiração, dar o exemplo.**

Caso Inbev

Quando a Ambev associou-se à cervejaria belga Interbrew, por exemplo, dando origem a Inbev, 80 funcionários brasileiros, aptos a exportar a cultura da meritocracia defendida pelo seu gestor, foram enviados a Bélgica a fim de compartilharem todos os seus conhecimentos acerca do tema. E a mesma medida é tomada sempre que novas organizações passam a compor a lista de negócios que figuram sob o domínio do empresário.

Lemann conta, por exemplo, que ainda se impressiona ao chegar em países de diferentes culturas, e ao estabelecer diálogo com os treinees dessas organizações e presenciar que eles praticam os mesmos valores difundidos a décadas atrás.

Começar um negócio não consiste numa missão fácil, e alcançar o sonho do empreendimento bem-sucedido ainda menos. Para o bilionário Jorge Paulo Lemann a história não foi diferente, por trás da sua fama de conquistador da América, existe bastante suor e, especialmente, a percepção de uma cultura que alinhe gestores e colaboradores a valores e metas convergentes.

Gostou do nosso post? A incrível história de um dos maiores empreendedores do mundo serviu de motivação para expandir e buscar melhores resultados para o seu negócio? Então continue se inspirando, e descubra se Você está preparado para crescer o seu negócio no ano que vem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: