Facebook é acusado de discriminação contra público e funcionários negros


Rafael Arbulu
Canaltech

Facebook vem sendo acusado por um ex-funcionário de preterir pessoas negras em situações que envolvem tanto o espectro social, com usuários da rede; quanto o âmbito corporativo, com funcionários e colaboradores da empresa. Em 8 de novembro, o agora ex-gerente de parcerias estratégicas com minorias, Mark Luckie, compartilhou um memorando detalhando situações que ele chamou de “problema com gente negra do Facebook”.

Uma das situações narradas por Luckie envolve usuários da rede social. Segundo ele, pessoas negras que criassem grupos relacionados à cultura afroamericana ou que incentivassem debates sobre o racismo eram falsamente denunciados para os moderadores do Facebook como promotores de discurso de ódio, tendo seus grupos desmantelados ou, em alguns casos, banindo usuários indefinidamente.

No lado corporativo, Luckie também falou sobre como executivos e funcionários de pele negra eram comumente preteridos ou ignorados em reuniões e eventos do Facebook ou que o Facebook patrocinava — eventos estes, Luckie diz, constituídos quase que exclusivamente por pessoas caucasianas.

Mark Luckie (foto) acusou o Facebook de maus tratos raciais em relação a usuários e funcionários afroamericanos (Foto: Trisha Leeper/Getty Images)
Mais

“Funcionários negros por muitas vezes ouvem ‘Eu não sabia que gente negra trabalhava no Facebook’. Apesar de relativamente em menor número, nós estamos aqui. E isso se traduz para um quadro onde as pessoas negras que investiram tanto tempo em nós queiram que suas opiniões importem, e eles não veem isso se refletir externamente”, diz parte do memorando.

Luckie ainda acusa o RH de ser conivente com essa perspectiva, pois, segundo ele, quando funcionários negros reclamam de situações racialmente adversas no Facebook, o departamento diz que “disparidades raciais são coisa da sua imaginação” e geralmente “protegem o gerente, não o empregado”. O mau tratamento de pessoas afroamericanas dentro do Facebook só é percebido “quando negros conversam com outros negros e vêm a aceitar que isso é um padrão de comportamento profundamente conectado com a cultura do Facebook”.

Luckie compartilhou o memorando referido em 8 de novembro, seu último dia como funcionário do Facebook. O documento foi publicado por ele no próprio Facebook, onde ainda está disponível na íntegra.

Fonte: Canaltech

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s