Buscar fora o que está dentro: um costume perigoso


·  novembro 22, 2018

Muitas vezes pensamos em percorrer grandes distâncias em busca do que queremos, de desejos e necessidades que acreditamos fazer parte da nossa felicidade. Então, mergulhamos com grande entusiasmo nessa busca. Assim, avançamos com a esperança de encontrar a solução para o que está acontecendo conosco, mas não percebemos que, na verdade, o que fazemos é buscar fora o que está dentro.

No desespero de encontrar aquilo que buscamos, não percebemos que está mais próximo do que pensamos. Assim, percorremos grandes distâncias, podendo chegar ao ponto de acumular grandes frustrações, o que nos leva à angústia e ao mal-estar.

Então, buscar fora o que está dentro pode ser prejudicial à nossa saúde. Para evitar isso, podemos optar por diferentes estratégias. É exatamente sobre tais estratégias que vamos falar neste artigo.

“Buscar fora o que está dentro é empreender uma viagem sem rumo, é se perder sem perceber a importância do que temos ao nosso redor”.

Por buscar fora o que está dentro, não me reconheço mais

A tentação de buscar fora o que à primeira vista não enxergamos dentro pode ser muito grande. Tão grande quanto perversa. Então, deixamos de nos reconhecer, pois estamos tão ocupados em buscar o que está fora que nos esquecemos do que temos dentro. Ou seja, do que somos.

Então, nos descaracterizamos e deixamos de nos identificar com o que fazemos. Nós nos transformamos em puro desespero. Um desespero que não queremos incluir na nossa definição. Não é muito útil buscar fora o que, no passado, já assimilamos e aprendemos. Aquilo que tornamos nosso, exatamente para esse momento.

Não nos reconhecer mais nos leva a nos afastar do que somos. Portanto, nos afastamos de nossas metas e desfazemos nossos desejos, assumindo sem crítica alguma as expectativas que os outros depositaram em nós e julgando-nos com base nelas.

Buscar a felicidade no lugar errado

Buscar fora o que está dentro: como mudar essa inércia?

Buscar fora o que está dentro também nos afasta do que mais queremos. Às vezes, achamos que a felicidade reside em ter grandes coisas e perdemos de vista os pequenos detalhes. Valorizar o que temos nos ajuda a descobrir os tesouros que estão por perto.

Além disso, às vezes vemos no outro o melhor e em nós o pior. Esta é outra forma de buscar fora o que está dentro. Nós também temos virtudes e é importante mantê-las no nosso campo de atenção. De outra maneira, seremos muito injustos quando nos sentarmos para fazer o balanço da situação. Portanto, é fundamental não nos esquecermos do que somos.

Existem algumas maneiras de enfrentar a tendência de buscar fora o que está dentro. Veja:

  • Não focar as opiniões dos outros. O que os outros pensam é valioso, mas tem limites. Muitas vezes não é verdade. Assim, se não tratarmos estas opiniões de forma adequada, elas podem acabar nos causando dor.
  • Valorizar os pequenos detalhes. Dar valor ao que possuímos é admitir que temos um grande tesouro. Isso nos ajuda a não perder de vista o que realmente queremos.
  • Aprender consigo mesmo. O autoconhecimento nos ajuda a aprender o que queremos e qual é a nossa felicidade verdadeira. Assim, poderemos ir atrás de nossas metas e não perderemos tempo em busca de coisas estéreis.
  • Gostar de si mesmo. Significa dar valor a si mesmo e se tratar com carinho, além de nos convencermos de que somos capazes de conquistar grandes coisas. Voltar nossa atenção ao que os outros são ou têm nos afasta de nós mesmos. Gostar de nós mesmos aumenta nossa autoestima.

Buscar fora o que está dentro nem sempre é negativo. Por isso, se ficarmos atentos ao que criticamos nos outros, poderemos ver elementos próprios refletidos nessas críticas. Afinal, às vezes projetamos o que acontece conosco. Estamos falando de um mecanismo de defesa.

Viver de forma leve e plena

Benefícios de não buscar fora o que está dentro

Para transformar o que somos, florescer e parar de esconder nossa luz, é importante parar de buscar fora. Nossas qualidades estão dentro. Elas serão úteis para enfrentar a vida, com seus obstáculos e virtudes. Estes são alguns benefícios de mudar a forma de agir:

  • Harmonia. Ao estarmos em consonância com o que somos, nos sentimos mais tranquilos. Assim, ficamos mais próximos do que queremos e empreendemos uma busca assertiva.
  • Autoconhecimento. Buscar dentro nos permite conhecer a nós mesmos.
  • Assertividade. Ao olhar para o nosso interior, paramos de olhar para os outros como se estivessem em um pedestal. Além disso, deixamos de lado os preconceitos, o que nos faz desenvolver relações mais saudáveis.

Quando buscamos fora o que está dentro, nos afastamos de nós mesmos. Isto faz com que nossa autoestima diminua. Assim, colocamos nossa saúde mental em risco. De fato, Jose Antonio García Monge, professor da Universidade Pontifícia Comillas, em Madri, na Espanha, afirma que a autoestima é o sistema imunológico da vida psíquica.

Olhar para fora permanentemente, como atitude, nos condena a ser um barco sem rumo. Para manter a harmonia, nada melhor do que utilizar todo o conhecimento que temos sobre nós.

“Afastar-se de si mesmo é se afastar da sua felicidade”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s