O que é Swing Trade


  • Equipe Toro Investimentos
  • Atualizado: 06/09/2018
  • 6 min de leitura
  • 0 comentários

O mundo dos investimentos está cheio de termos e conceitos que parecem complexos demais, não é mesmo? Mas investir não é, e nem deve ser, chato e complicado. Vamos provar isso para você explicando o que é Swing Trade e como ele funciona.

Vamos começar pelo básico, já que qualquer tipo de investimento está associado aos seguintes fatores principais:

  • Rentabilidade
  • Prazo
  • Riscos

Essas são condições que indicam quais são os melhores investimentos para o seu perfil e, também, quais estratégias de investimento devem ser adotadas para gerar os resultados que você deseja. E onde entra o tal do Swing Trade? Exatamente no prazo.

Você vai ver que o prazo é um elemento fundamental na hora de montar estratégias de investimentos. Aliado a outras variáveis, como preço, ele serve para orientar nossas decisões. Neste post, você vai entender melhor esse conceito e aprender o que é e como utilizar o Swing Trade a favor dos seus investimentos. Acompanhe!

O que é Swing Trade

Resumidamente, podemos dizer que Swing Trade é uma forma de negociar ativos na Bolsa de Valores. Esse método está baseado em tendências de mercado que podem acontecer dentro de alguns dias, podendo chegar a uma semana ou até um pouco mais.

Dessa forma, o Swing Trade é um método de investimento em que as suas aplicações se iniciam e se encerram em poucos dias. O objetivo é aproveitar as variações de preços dos ativos negociados na Bolsa de Valores no curto prazo. Para isso, é necessário, primeiro, identificar uma tendência de mercado para, então, estabelecer metas a serem alcançadas.

Na prática, funciona da seguinte maneira: quem tem interesse de investir no Swing Trade avalia o mercado e, com base nas informações que possui, confirma que há grandes chances de um certo ativo subir nos próximos dias.

Sabendo o preço atual dos papéis, você projeta o valor que pode ser alcançado e essa será sua meta.

Claro, estamos falando de renda variável, ou seja, o preço pode tanto subir quanto cair. Por isso, quem investe trabalha com foco em duas situações: uma para o caso de alta e outra para o caso de baixa. Assim, quando a cotação alcançar algum desses pontos, está na hora de se desfazer do ativo.

Que tal entender isso melhor? Imagine que, nesta semana, será divulgado o resultado financeiro trimestral de uma empresa que você entende que está tendo um bom desempenho. Seria o caso, por exemplo, de uma companhia do setor da construção civil em um período de boom do mercado imobiliário. Então, é bem provável que ela cresça e tenha resultados positivos em breve.

Digamos que a cotação da ação dessa empresa atualmente esteja em R$32,00. Com a divulgação de resultados positivos, o valor tende a subir um pouco, certo? Vamos supor que você considere que o preço pode sofrer uma variação de 5%. Ou seja, na alta chegaria a R$33,60 e na baixa atingiria R$30,40.

Com base nessa análise, você adquire um lote de 100 ações com valor unitário de R$32,00 dois dias antes da divulgação dos resultados. Na data da apresentação, o mercado está otimista com o desempenho positivo e as ações chegam ao patamar que você havia pensado, R$33,60. Pronto, é hora de vender.

Vamos aos cálculos:

  • Na compra, você gastou R$3.200,00 e recebeu R$3.360,00 na venda.
  • Ganhou, portanto, R$160,00, conseguindo um resultado de 5% de lucro com uma operação de poucos dias.

Perceba a importância do prazo aqui, já que se você mantivesse o investimento por mais tempo o resultado provavelmente seria diferente.

Outro aspecto importante foi a definição de limites relacionados às cotações. Foram três valores de referência:

  • Preço de entrada: é o valor de início da operação (R$32,00).
  • Lucro estimado: a meta a ser alcançada (R$33,60).
  • Prejuízo estimado: o valor em que a operação deve ser desfeita em caso de queda (R$30,40).

Pronto, juntando cotações e tempo, temos os elementos principais do Swing Trade. Agora, falta entender como definir estratégias de investimento e é sobre isso que vamos falar a seguir.

Saiba como operar no Swing Trade

Lembra que lá no início dissemos que investir não deve ser algo complicado? É verdade, pois você deve estar confiante e confortável com suas escolhas. Mas isso não quer dizer que não seja necessário se empenhar. No Swing Trade, o esforço está em:

  • Acompanhar diariamente informações sobre o mercado financeiro.
  • Ter atenção aos setores e companhias nos quais você investe ou pretende investir.
  • Fazer análises detalhadas para encontrar boas oportunidades.
  • Ter convicção das estratégias adotadas.
  • Respeitar os limites de lucro e prejuízo estimados.

Conhecimento e disciplina, portanto, são fundamentais. E é preciso utilizar uma ferramenta essencial para encontrar boas oportunidades de investimento no curto prazo: a análise técnica.

A análise técnica, também conhecida como análise gráfica, concentra-se na observação de tendências que surgem a partir dos movimentos de mercado. Anteriormente, usamos um exemplo em que foi considerado um fato específico em relação ao negócio de uma empresa.

Na análise técnica, o que importa são os padrões que se vê no gráfico do ativo.

Ele contém, no eixo vertical, a cotação do ativo, e no eixo horizontal, o tempo. Lembra-se que esses são dois elementos que precisam ser combinados no Swing Trade?

Usando gráficos é possível avaliar como os preços se alteram no decorrer de um determinado período. Essa avaliação é importante tanto para definir como será feito o investimento, quanto para encontrar o momento certo de agir e acompanhar seu desempenho.

Entenda a diferença entre Day Trade, Swing Trade e Position

O prazo curto, como demonstramos, é a principal característica das operações Swing Trade e é também o que diferencia essas transações de outras, como Day Trade e Position. Entenda:

  • Day Trade: são investimentos de curtíssimo prazo, quando a compra e a venda do ativo ocorrem no mesmo dia.
  • Swing Trade: agrega transações com duração entre 1 dia a algumas semanas.
  • Position: também chamado de buy and hold. Não tem prazo previsto para a venda. Isso quer dizer que você mantém a aplicação por mais tempo, às vezes por vários meses, mas podendo negociar os ativos a qualquer momento se achar conveniente.

Assim como os prazos, as estratégias também são diferentes em cada uma dessas opções. No Day Trade, são observados gráficos de minutos, sendo o principal de 5 minutos. Isso porque o objetivo é verificar as pequenas oscilações, já que são elas que indicam oportunidades de curtíssimo prazo e, também, o momento certo de comprar ou vender com intervalos de poucos minutos.

O Swing Trade, por sua vez, ampara-se em gráficos diários, principalmente. Quando as operações se estendem por mais tempo, é necessário observar o desempenho semanal. No Position, entretanto, os gráficos são utilizados para verificar o desempenho das companhias ao longo do tempo. Como a intenção é lucrar no longo prazo, especialmente com pagamento de dividendos, a venda só ocorre se houver alguma mudança de cenário.

Aprenda como identificar ações para Swing Trade

Não há uma única forma para identificar em quais ativos investir no Swing Trade. As oportunidades podem vir de perspectivas de mercado, por exemplo, mas a prática comum não é essa. Na maior parte das vezes, usamos a análise técnica, que permite observar as variações por meio de gráficos.

O que é necessário ver no gráfico é a tendência no preço do ativo e qual é o comportamento da cotação no período recente. Ou seja, o que se busca identificar são padrões na variação dos preços. Dessa forma, é possível identificar cenários com maior probabilidade de ocorrer no futuro próximo.

Devemos lembrar que essas análises não conseguem prever o futuro com toda certeza. Elas indicam o caminho mais provável.

Outro lembrete importante é que, tendo as análises como base, cada pessoa pode desenvolver suas próprias estratégias com o passar do tempo. Fato é que os movimentos de alta e baixa, em períodos específicos, indicam tendências. E são os gráficos que expõem essas perspectivas — por isso, saber interpretar esses dados é fundamental.

Se você não tem muita experiência, conte com a expertise e orientação de especialistas. Eles podem te indicar boas oportunidades, adequadas ao seu perfil. Além disso, uma boa dica para ir se acostumando a investir no Swing Trade é começar com valores menores, até que você conquiste a confiança e a familiaridade necessárias para fazer investimentos maiores.

Conheça os riscos em investir com Swing Trade

Qualquer modalidade de investimento, mesmo na renda fixa, tem risco. É claro que eles serão maiores na renda variável e, principalmente, em operações de prazo reduzido. Infelizmente, não tem como eliminar os riscos por completo, até porque, a rentabilidade maior que a renda variável oferece é justamente por causa do risco ligado a ela.

No Swing Trade, o primeiro que requer atenção é o risco de mercado, que é o que chamamos de oscilação. Essas variações podem gerar tanto lucros quanto prejuízos.

Entretanto, você tem que entender que, em determinados momentos e condições, as oscilações podem ser desfavoráveis aos seus investimentos. E então, qual é a saída?

Não se preocupe, pois existem estratégias e ferramentas excelentes para lidar com essas situações. Uma delas é o stop loss, também chamado de prejuízo estimado. Com ele, você já define com antecedência um percentual de quanto aceita perder, caso o cenário previsto não aconteça. Assim, você evita perdas muitos maiores.

Além disso, é imprescindível conhecer bem o mercado e acompanhar o desempenho dos seus papéis com frequência. Dessa forma, você consegue ter agilidade para reagir caso algo não vá de acordo com o que se esperava.

Outro risco a se considerar é o de liquidez. Esse não é muito comum, mas pode atingir os investimentos em ações menos negociadas. Dependendo do papel, pode ser que você tente vendê-lo mas não encontre alguém interessado em comprar. Então, fica difícil vender seus ativos no momento que você desejar.

A principal forma de proteção, no entanto, está na diversificação. Investir todos os seus recursos em um único ativo é a pior estratégia. Imagine como ficaria a situação de quem tem em carteira apenas ações de uma determinada companhia e ela declarasse falência de repente? O prejuízo seria bem grande.

Diversificando seus investimentos, por outro lado, é possível suavizar os riscos.

Dificilmente, todos os papéis de diferentes empresas e setores variados sofrerão queda em um mesmo pregão ou período. Assim, as perdas de um ativo podem ser compensadas com ganhos em outros.

Entendeu tudo sobre Swing Trade? Antes de começar a colocar em prática o que aprendeu aqui e investir na Bolsa de Valores, abra uma conta em uma corretora de valores. Para obter melhores resultados, busque uma instituição que ofereça recursos que facilitem suas operações no Swing Trade, como gráficos em tempo real, análises completas e equipe especializada para tirar suas dúvidas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: