Chakras: Zonas de Poder


Fernando Liguori

Texto preparado para os alunos do Curso de Biopsicologia ministrado pelo Instituto Kaula, 2014.

A maneira como percebemos o mundo, como pensamos, nossas emoções e nosso comportamento são aspectos únicos a cada um de nós. Através deles podemos determinar como nos relacionamos com o mundo ao nosso redor. Nossas memórias são de extrema importância nesse processo, pois influenciam nossas ações diretamente, em todos os aspectos de nossa experiência.

Contudo, nós possuímos outra dimensão de características que estão relacionadas a diferentes aspectos de nossa personalidade. Elas determinam:

  • Aspectos de nossas sensações e percepções mais significantes.
  • As memórias mais importantes.
  • Os impulsos dos padrões de pensamento.
  • As emoções favoritas.
  • Os padrões de comportamento que mais nos agrada.

Estas características estão conectadas a um sistema de zonas de poder denominado ṣaṭ-cakra. O Ocidente sabe muito pouco acerca dos cakras, mas o yoga tem lidado com essa ciência há milhares de anos.

Os cakras: o que eles são?

A palavra cakra, no original em sânscrito, significa roda. Costuma-se chamá-los dessa maneira por serem vistos clarividentemente como uma série de vórtices de energia no corpo sutil. No yoga, o corpo sutil chama-se prāṇamaya-kośa. Trata-se de uma rede sutil de energia no corpo por onde flui torrentes energéticas denominadas nāḍīs. Nos principais pontos onde as nāḍīs se encontram, existe um cakra nessa intercessão. No prāṇamaya-kośa, eles são considerados uma espécie de modulador ou transdutor de energia. No manomaya-kośa, o corpo mental, eles são considerados interruptores que modificam os diferentes aspectos da personalidade. Existem sete cakras principais, alocados ao longo do eixo da espinha:[1]

  • Mūlādhāra-cakra no homem localiza-se na base do períneo e na mulher no colo do útero.
  • Swādhisṭhāna-cakra localiza-se na base do sacro.
  • Maṇipūra-cakra localiza-se na espinha, atrás do umbigo.
  • Anāhata-cakra localiza-se na coluna, atrás do coração.
  • Viśuddhi-cakra localiza-se na coluna, atrás da garganta.
  • Ājñā-cakra localiza-se no centro do cérebro, diretamente atrás do ponto entre as sombrancelhas.
  • Sahasrāra-cakra localiza-se no topo da cabeça. Não é um cakra, mas a culminação da evolução dos outros seis cakras.

Os cakras representam diferentes aspectos da personalidade, as qualidades psíquicas, assim como os aspectos físicos e vitais. Eles são zonas de poder ou centros muito discretos. Representados na estrutura de cada indivíduo, sistema mental e energético, eles influenciam a capacidade psíquica e a consciência espiritual. Neste texto nós vamos lidar com os cakrasde uma perspectiva psicológica, embora os eles conectem todas as dimensões do ser humano «kośas».

Pontos importantes a serem considerados

  1. Os componentes físicos dos cakras tais como os plexos nervosos, as glândulas endócrinas e os músculos e articulações adjacentes que os envolvem são muito importantes, pois formam a conexão do complexo corpo-energia-mente. Também são uma importante conexão na formação de doenças psicossomáticas e são a rota principal pelo qual as práticas físicas do yoga afetam a mente e a vitalidade diretamente.
  2. Os cakras influenciam a mente através de sua conexão física com o sistema nervoso, afetando a porção cerebral que lida com os aspectos da personalidade.
  3. prāṇāyāma, que lida com o sistema de energia, expansão, purificação e equilíbrio da vitalidade, é considerado de fundamental importância para o bem-estar físico, psíquico e espiritual. Os componentes energéticos dos cakras constituem uma importante parte deste processo.
  4. Os problemas e potenciais humanos estão diretamente conectados aos cakras. As práticas do yoga atuam diretamente sobre os cakras, desenvolvendo as diferentes qualidades da personalidade e sanando seus distúrbios.

yoga nos diz, assim como a psicologia moderna, que respondemos e reagimos ao mundo devido às profundas memórias de nossas experiências passadas. As práticas do yoga nos permitem conhecer estas memórias e aprender com elas. Nesse processo, descobrimos inúmeros aspectos de nossa personalidade: nosso sentido de segurança, alegria, sexualidade, poder, autoestima, amor, capacidade de comunicação etc. Nós trabalhamos com os cakras para evoluir estes aspectos da personalidade.

Aspectos da personalidade conectados aos cakras

  • Mūlādhāra-cakra lida com a segurança individual, aquisição de dinheiro e posses materiais, sexualidade ou reprodução.
  • Swādhisṭhāna-cakra lida com prazer, humor, a satisfação sexual e a busca pelo gozo.
  • Maṇipūra-cakra lida com o poder pessoal, a ação dinâmica que impele a realização de qualquer objetivo e a autoestima.
  • Anāhata-cakra lida com o amor, a compaixão, as emoções e outros sentimentos.
  • Viśuddhi-cakra, entre muitas coisas, lida com a comunicação de uma forma geral e as relações interpessoais.
  • Ājñā-cakra lida com o intelecto, a intuição, sabedoria e capacidades psíquicas.
  • Sahasrāra-cakra é a zona de poder da iluminação, a conquista de todos os outroscakras.

A relação entre os cakras

É comum olharmos para os cakras como se eles tivessem uma ordem de mérito, dos mais inferiores aos superiores. Os inferiores caracterizados pela possessividade, sexualidade e poder; os superiores caracterizados pelo amor, comunicação e sabedoria. Existe certo valor nesse ponto de vista, por inúmeras razões.

  1. Embora todos os cakras estejam associados ao corpo físico, especialmente as glândulas endócrinas e também aos kośas, o mūlādhāra e o swādhisṭhāna-cakras são mais inferiores e lidam com a sobrevivência e a sexualidade, o que é comum a todos os animais. Em contraste, o ājñā-cakra é o mais superior e lida com o intelecto, a intuição e os reinos psíquicos, qualidades bem humanas. Assim, em alguns aspectos, os cakras representam progressivamente estados superiores de consciência, pois oscakras superiores têm uma expressão mais sutil. Dessa forma, a ascensão da consciência através dos cakras é uma representação do caminho espiritual.
  2. É mais fácil para os cakras superiores desenvolverem suas qualidades mais elevadas se as armadilhas, especialmente a cobiça, a luxúria e o poder da fome associados aoscakras inferiores já tiverem sido trabalhados. É comum vermos pessoas que parecem ter conquistado certa eminência espiritual através do desenvolvimento dos aspectos positivos dos cakras superiores caírem, lá das alturas onde se encontram, por conta de um ou mais dos instintos baixos associados aos cakras inferiores que se encontram à espreita esperando-os. Por essa razão é mais saudável trabalhar cada cakra por vez. Segundo a tradição, o melhor momento para dar atenção apropriada aos cakras é quando um guru nos dá essa instrução pessoalmente, não nos sonhos ou na fantasia.

Swāmi Satyānanda Saraswatī em seu livro Kuṇḍalinī Tantra diz:

Toda vida está em evolução e o homem não é exceção. A evolução humana, a evolução a que somos submetidos inexoravelmente, tanto como indivíduos quanto como uma raça, é uma viagem através dos diferentes cakras. O mūlādhāra é o mais básico e fundamental dos cakras, de onde nós iniciamos a nossa evolução, e o sahasrāra é onde a nossa evolução estará concluída.

Contudo, se olharmos para o sistema de cakras, é óbvio que as qualidades da personalidade associadas a cada um deles possuem estágios inferiores e superiores de desenvolvimento em nós. Certamente, cada um de nós possui aspectos da personalidade conectados aos cakrasem níveis distintos de evolução e desenvolvimento. Por essa razão, trabalhamos para desenvolver todos os aspectos positivos de cada cakra separadamente. Nós olharemos oscakras a partir dessa perspectiva onde todos eles e suas manifestações são consideradas individualmente. Dessa maneira, qualidades inferiores e superiores dentro do complexo de cada cakra são classificadas e trabalhadas em níveis.

Diferenças na personalidade

Olhando para personalidade a partir do ponto de vista dos cakras, podemos perceber que não apenas cada cakra representa um grupo diferente de características da personalidade, mas existem duas outras áreas nas quais nós somos distintos.

  1. Existem níveis distintos de evolução em cada um dos cakras. Nós vamos discutir esses níveis de evolução no capítulo sobre os guṇas: o ponto de vista yogī sobre a personalidade e seu desenvolvimento.
  2. O nível de atividade em cada cakra difere de indivíduo para indivíduo, o que provoca diferentes níveis de manifestação e expressão na personalidade. Veremos isso com profundidade mais adiante.

[1] Nesse curso nós damos ênfase na pronuncia dos cakras no original em sânscrito. Como será notado, o nome de cadacakra serve como um mantra para acioná-lo.

09Sep2014

Next
Brāmarī Prāṇāyāma
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s