REVIEW MOTOROLA ONE


Celular da Motorola repete o visual do iPhone X. Preço de R$ 1.499 pode parecer impressionar à primeira vista, mas há ressalvas a serem feitas. Na ficha técnica está processador de dois anos atrás.

Thássius Veloso

por THÁSSIUS VELOSO
em 
00:00/05:39

Motorola One é o nome do primeiro celular Motorola participante da iniciativa Android One, do Google. O smartphone roda sistema mais leve, com promessa de melhor desempenho na execução de aplicativos. O preço sugerido de R$ 1.499 possibilita levar para casa o modelo único com armazenamento de 64 GB, disponível em acabamento preto ou branco. O valor abaixo do visto em outros lançamentos de 2018 traz a tradicional dúvida: vale a pena comprar o Motorola One? Para esclarecer a dúvida, passei as últimas semanas com o dispositivo. O sentimento final é de que sim, a Motorola fez um bom trabalho com o smartphone, mas há algumas ressalvas que abordaremos neste review.

Quer comprar celular Motorola barato? Confira ofertas e preços no Compare TechTudo

Desempenho puramente ok

Começo a análise pelo desempenho. O Motorola One se mostrou um smartphone confiável na maior parte do tempo. Seu processador é o Snapdragon 625, um chip de oito núcleos que chega à velocidade máxima de 2 GHz. Pode parecer muito, mas a verdade é que o telefone está no limite da própria capacidade, visto que a fabricante optou por usar um componente de dois anos atrás. Consegui executar a maioria das tarefas do cotidiano (e-mail, redes sociais, música online, filmes etc) sem grandes sofrimentos.

Como você certamente quer saber das dificuldades, digo que o Motorola One por vezes engasgou ao intercalar entre aplicativos. Também demorou entre o toque no ícone do Gmail e a exibição das mensagens mais recentes, o que é instantâneo em outros modelos. Em dados momentos, percebi que a memória RAM de 4 GB também sofreu para manter publicações no rascunho do Facebook. Quando eu voltava para a rede social, as anotações haviam sumido.

Os criadores do smartphone foram muito agressivos em relação ao custo-benefício. Devido a isto, o comprador do telefone precisa saber que eventualmente o Motorola One passará algum tempinho “pensando” antes de responder ao comando. Faz parte, e é razoavelmente algo esperado de um produto intermediário.

Motorola One (marca) (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo)Motorola One: ficha técnica intermediária traz processador Snapdragon 625 (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo)

Bateria para o dia todo (de verdade)

Aqui vem a boa notícia: a bateria do Motorola One se mostrou formidável. Na maioria dos dias, ao tirá-lo da tomada por volta das seis da manhã, o telefone suportou bravamente até por volta da meia-noite. A ficha técnica cita componente de 3.000 mAh.

Agora mesmo, no dia em que escrevo este review, o One começou a trabalhar às 08:38. Quase dez horas, um filme e uma playlist musical depois, ainda tem 59% de energia. Detalhe: todo o entretenimento chegou via internet, não estava salvo na memória. Isso quer dizer que a Motorola aprendeu direitinho com alguns integrantes da linha Moto E e trouxe para o mercado um produto mais bem acabado, com direito a uma autonomia de uso bastante interessante.

Para completar o bom cenário, o sistema de recarga rápida (TurboPower) funciona para valer. Se você busca um telefone que dê conta do WhatsApp, sirva para ver alguns vídeos e ainda fique do seu lado durante o dia todo, este lançamento tende a ser uma boa opção.

Motorola One (marca) (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo)Motorola One: celular possui câmera dupla de 13 e 2 megapixels (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo)

Câmera

Faz tempo que a Motorola não impressiona quando o assunto é fotografia digital. O Motorola One sofre deste mal, e é bem difícil recomendá-lo para os apaixonados por fotos.

Motorola One Câmera (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)Motorola One: celular produz fotos razoáveis durante o dia (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)

sistema principal de câmeras segue o esquema 13 megapixels + 2 megapixels e f/2.0 + f/2.4. Somente a quantidade de megapixels nos faria crer que o telefone registra nossos momentos mais importantes com o máximo de qualidade. Na prática, porém, as fotos se saem “OK” quando há muita iluminação. Nada de cores deslumbrantes ou mesmo fiéis à realidade: o One possibilita fotografias que passarão batidas no feed do Instagram (a menos que passem por poderosos filtros, é claro).

Motorola One Câmera (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)Motorola One: câmera não registra cores deslumbrantes (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)

Eu tive muita dificuldade com o alcance dinâmico – quanto mais sofisticado, melhor ele consegue representar as nuances de um céu aberto, por exemplo. Também foram muitas fotos em que algum detalhe ficou estourado porque o aparelho não consegue ler de forma eficiente todas as variadas condições de luz que um mesmo momento pode ter.

Motorola One Camera (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)Motorola One: câmera tem desempenho fraco em fotos noturnas ou em ambientes escuros; repare na falta de alcance dinâmico ao registrar os detalhes do céu (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)

A situação piora conforme o sol se põe. As fotos tendem a ficar sofríveis em condições de baixa luminosidade.

Motorola One Câmera (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)Motorola One: celular conta com Modo Retrato; recorte do contorno do corpo nem sempre é perfeito (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)

Adeptos do modo retrato perceberão que o processamento de imagens nestas condições demora mais. Ainda assim, o resultado é satisfatório. O mesmo vale para as selfies de 8 megapixels com a câmera frontal.

Motorola One Selfie (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)Motorola One: câmera frontal tem 8 megapixels (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)

Eu já vi este topete antes

Sim, o Motorola One repete o formato de notch que a Apple começou a popularizar faz um ano, quando trouxe ao mercado o iPhone X. Opções estéticas à parte, fato é que os engenheiros fizeram um trabalho ruim de adequação do sistema Android 8.1 (Oreo) para funcionar com aquele espaço preto na área superior do display. Parece que o relógio e o indicador de porcentagem de bateria estão desalinhados e muito colados às bordas.

A faceta mais bizarra disso tem a ver com as notificações. Repare que o relógio fica alocado à esquerda, e ao lado dele há espaço para exibir somente um ícone de aplicativo. Digamos que você tenha diversas mensagens novas em apps diferentes: quando isso acontece, a única forma de saber o que há de novo é puxando a cortina de notificações. Além disso, os ícones de 4G, Wi-Fi, bateria etc. parecem estar desalinhados.

Motorola One (marca) (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo)Motorola One: interface não está bem adequada ao notch (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo)

A tela de 5,9 polegadas conta com cantos arredondados e se utiliza do formato mais alongado que virou tendência primeiro entre os celulares premium e que depois ganhou o mundo com os celulares intermediários. Se aqui fosse um exame escolar, o painel em LCD passaria de ano no quesito cores pois é incapaz de trazer aquelas imagens vibrantes que alguns modelos mais caros oferecem (e que tanto agradam consumidores). O brilho também é razoável.

Quem não vai gostar do telefone são os fãs de entretenimento digital. Por algum motivo que me falta, a Motorola optou por um painel com resolução de 1520 x 720 pixels. Isso é menos do que Full HD, formato que eu indico desde o início do ano para quem está em busca de um smartphone que possibilite ver produções do nível de A Maldição da Residência Hill (Netflix) ou Assédio (Globoplay) sem perder nenhum detalhe.

Até mesmo a leitura de texto fica comprometida pela baixa quantidade de pixels no display. É possível distinguir os pontinhos brilhantes que formam as palavras, resultando numa experiência empobrecida.

Motorola One (marca) (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo)Motorola One: celular repete design do iPhone X (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo)

Sistema Android

“Motorola tem Android puro?” De vez em quando nós ouvimos esta pergunta e a resposta é não, pois o Google considera a interface da linha Pixel a mais próxima do que eles vislumbram para um smartphone. O sistema Oreo é básico, com poucos recursos extras. Marcam presença o tradicional gesto de chacoalhar o celular para habilitar a câmera e o sensor de movimento que ativa a tela quando o usuário toca no telefone – recursos inovadores que a Motorola trouxa ao mercado faz alguns anos.

Executivos da empresa prometeram duas atualizações de sistema, garantindo a chegada do Android 9 (Pie) até o fim do ano e do vindouro Android Q sabe-se lá quando.

Houve alguns problemas pontuais. O celular falhou ao tocar um vídeo no modo Picture in Picture, com o conteúdo minimizado num canto da tela enquanto é possível mexer em outros apps.

Motorola One (marca) (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo)Motorola One: celular Motorola participa da iniciativa Android One (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo)

Vale a pena comprar o Motorola One? Saiba o resumo da ópera

Fica claro que o objetivo da Motorola com este novo aparelho é experimentar com um novo formato de celular, cujo design certamente lembra o iPhone X. Permanece, porém, a dúvida sobre o real relação entre custo e benefício, considerando-se que o Moto G6 sai mais barato, com direito a tela e câmera ligeiramente melhores. Aqueles consumidores que estão abertos a opções de outras marcas também deveriam dar uma olhadinha nas especificações do Galaxy J8, que chegou caro às lojas, mas cujo preço retornou à realidade brasileira.

Agora, se o seu sonho é um smartphone em que a tela ocupe a maior parte da frente, o Motorola One é a única – e decente – opção da Motorola no momento. O mesmo vale para quem é apaixonado pela cara do iPhone XS, porém sem o desejo de desembolsar os elevados valores cobrados pela Apple.

Motorola One (marca) (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo)Motorola One: smartphone é encontrado com preço sugerido de R$ 1.499 (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo)

Ficha técnica do Motorola One

– Tamanho da tela: 5,9 polegadas
– Resolução da tela: HD+
– Formato: 19:9
– Câmera principal: dupla, 13 e 2 megapixels
– Câmera frontal (selfie): 8 megapixels
– Sistema: Android O (com atualização garantida para o Android P)
– Processador: Snapdragon 625
– Memória RAM: 4 GB
– Armazenamento (memória interna): 64 GB
– Capacidade da bateria: 3.000 mAh
– Início das vendas no Brasil: 04 de outubro de 2018
– Preço no Brasil: R$ 1.499

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s