Sacolas biodegradáveis de casca banana: cientistas explicam como fazê-las


Mais do que uma alternativa ecológica, a utilização de embalagens biodegradáveis ​​e sacolas, se transformou em uma necessidade para os países, após o desastre ambiental causado pelo acúmulo de plástico nas águas de rios e oceanos. Para obter produtos de baixo impacto, a Universidade do Panamá apresentou um projeto que usa amido da casca de banana, e neste post explicaremos passo a passo o processo da produção de forma manual. As cascas de banana são consideradas resíduos agrícolas e pesquisadores liderados por Ruth Castillo, Eliasury Escobar e Dianeth Fernandez, utilizaram para Este projeto além de amido da banana, vinagre e glicerina.”De todos os métodos de fabrico testado neste projeto o que mais se sobressaiu foi o que utilizou como base vinagre e glicerina, verificou-se que o produto final tem boas propriedades mecânicas, tais como flexibilidade e resistência”..
A Glicerina (C3H8O3) ou glicerol, ou 1, 2, 3-propanotriol. É um produto ecológico, dependendo da forma como é obtida. Os fenícios já em 600 aC  utilizavam o glicerol encontrados em óleos vegetais tais como óleo de coco e de girassol, e óleo de origem animal.No mercado você pode encontrar fabricantes que  garantem que seu glicerol vem de vegetais completamente livre de organismos geneticamente modificados (OGM) para garantir que se possa ser usado em alimentos e na indústria farmacêutica e de cosmético.Por outro lado, o vinagre é um produto comum que pode ser obtido a partir da fermentação. É também um produto ambientalmente correto, dependendo de como ele é obtido.

Obtendo amido de banana

A recomendação da Universidade Tecnológica do Panamá é que o amido de banana ou da casca da banana deve ser misturado com suco de laranja azeda. 15 kg de cascas necessitam de 2 litros de suco. Isso impede que o amido oxide.
Em primeiro lugar, com a ajuda de uma faca a casca de banana é cortada em tiras e são deixadas de molho. Após este processo é colocado em uma grade para a secagem. Recomenda-se que este processo seja realizado a uma temperatura constante. Se não tiver uma estufa, a secagem pode ser realizada à temperatura ambiente, mas os autores advertem que “devido a alterações térmicas, resultando as folhas de bioplástico ficam onduladas”.
As tiras desidratadas são esmagadas e moídas para se obter um pó, em seguida ele é peneirado para se obter uma granulometria homogênea. Podem ser utilizados velhos moedores tradicionais. Se você quiser verificar se o material obtido é amido, basta colocar uma gota de iodo sobre o pó resultante. “O aparecimento de algum tipo de coloração escura como resultado deste procedimento, é indicativo da presença de amido na substância”.
Para produzir o bioplástico você deve adicionar para cada colher de sopa de amido 4 colheres de sopa de água, uma colher de sopa de vinagre e uma colher de chá de glicerina. A mistura resultante deve ser agitada até homogeneização completa e cozida até engrossar. Você pode até adicionar corantes naturais. A pasta assim obtida é dispersa sobre uma superfície seca, plana para secar, desta forma teremos o bioplástico.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s