Controle do fogo pelos primeiros humanos


Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Saltar para a navegaçãoSaltar para a pesquisa

Um diorama mostrando dois Homo erectus, a espécie humana mais antiga conhecida por ter controlado o fogo, de dentro do Museu Nacional de História Mongol em UlaanbaatarMongólia.

controle do fogo pelos primeiros seres humanos foi um ponto de virada no aspecto cultural da evolução humana. O fogoforneceu uma fonte de calor, proteção e um método para cozinhar alimentos. Estes avanços culturais permitiram a dispersão geográfica humana, inovações culturais e mudanças na dieta e no comportamento. Além disso, a criação de fogo permitiu a expansão da atividade humana nas horas escuras e mais frias da noite.

As reivindicações para a evidência definitiva a mais adiantada do controle do fogo por um membro do gênero Homo variam de 0.2 a 1.7 milhão anos atrás.[1] A evidência para o uso controlado do fogo pelo Homo erectus, por volta de 400.000 anos atrás, tem o grande apoio acadêmico. Evidências do controle generalizado do fogo por humanos anatomicamente modernos datam de aproximadamente 125.000 anos atrás.[2][3]

Histórico[editar | editar código-fonte]

A capacidade de controle de fogo foi uma mudança dramática nos hábitos dos primeiros seres humanos. Fazer fogo para gerar calor e luz tornou possível às pessoas cozinharalimentos, aumentando a variedade e disponibilidade de nutrientes. O calor produzido também ajudou as pessoas a manterem-se aquecidas no frio, permitindo-lhes sobreviver em climas mais frios – e o ato de distribuir pessoas em volta de uma fogueira de forma equidistante da chama propiciou momentos de conversa e discussão, o embrião do que mais tarde seria a mesa-redonda e outras formas de reunião.[4] O fogo também manteve predadores noturnos afastados.

Evidências de comida cozida são encontradas a partir de 1,9 milhões de anos atrás, embora o fogo provavelmente não tenha sido utilizado de forma controlada até há um milhão de anos.[5][6] As evidências tornam-se generalizadas cerca de 50 a 100 mil anos atrás, sugerindo o uso regular a partir deste momento. Curiosamente, a resistência à poluição atmosférica começou a evoluir nas populações humanas na mesma época.[5] O uso do fogo tornou-se progressivamente mais sofisticado, com a sua utilização para produzir carvão e controlar a vida selvagem desde dezenas de milhares de anos atrás.[5]

O fogo também foi usado por séculos como um método de tortura e execução, como evidenciado pela morte na fogueira, bem como em instrumentos de tortura, como a bota malaia, que poderia ser preenchida com águaóleo, ou mesmo chumbo e, em seguida, aquecida em fogo aberto para agonia do que a calçava.

Até a Revolução Neolítica, durante a introdução da agricultura baseada em grãos, pessoas de todo o mundo usaram o fogo como uma ferramenta de manejo da paisagem. Estes incêndios foram tipicamente queimadas controladas ou “fogos frios”, ao invés de “incêndios quentes” descontrolados, que danificam o solo. Incêndios quentes destroem plantas e animais e põem em perigo as comunidades. Este é um problema especialmente nas florestas de hoje, onde a queimada tradicional está impedida, a fim de incentivar o crescimento das culturas de madeira. Fogos frios são geralmente realizados na primavera e no outono. Eles limpam a vegetação rasteira, queimando biomassa que pode provocar um incêndio quente que o deixaria muito concentrado. Oferecem uma maior variedade de ambientes, o que estimula a caça e a diversidade de plantas. Para os humanos, eles tornam transitáveis as densas e antes intransitáveis florestas.

Outro uso humano para o fogo no que diz respeito ao manejo da paisagem é o seu uso para limpar a terra para a agricultura. O cultivo baseado em corte e queima ainda é comum em grande parte da África tropical, Ásia e América do Sul. “Para os pequenos agricultores, é uma forma conveniente para limpar áreas cobertas de vegetação e liberar nutrientes da vegetação restante de volta para o solo”.[7][8] No entanto, esta estratégia útil também é problemática. A população crescente, a fragmentação das florestas e aquecimento do clima estão fazendo a superfície da Terra mais propensa a que ocorram incêndios cada vez maiores. Estes danificam os ecossistemas e a infra-estrutura humana, causam problemas de saúde e liberam espirais de carbono e fuligem que podem incentivar ainda mais o aquecimento da atmosfera e, assim, servir de base para mais incêndios. Globalmente, nos dias de hoje, cerca de cinco milhões de quilômetros quadrados de área – mais de metade do tamanho dos Estados Unidos – são queimados em um determinado ano.[8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Ir para cima James, Steven R. (Fevereiro de 1989). «Hominid Use of Fire in the Lower and Middle Pleistocene: A Review of the Evidence» (PDF). University of Chicago Press. Current Anthropology30 (1): 1–26. doi:10.1086/203705. Consultado em 4 de abril de 2012.
  2. Ir para cima Luke, Kim. «Evidence That Human Ancestors Used Fire One Million Years Ago». Consultado em 27 de outubro de 2013.An international team led by the University of Toronto and Hebrew University has identified the earliest known evidence of the use of fire by human ancestors. Microscopic traces of wood ash, alongside animal bones and stone tools, were found in a layer dated to one million years ago
  3. Ir para cima Miller, Kenneth (Maio de 2013). «Archaeologists Find Earliest Evidence of Humans Cooking With Fire»Discover
  4. Ir para cima Cascudo, Luís da Câmara (2004). «Capítulo 7». Civilização e Cultura 1 ed. São Paulo: Global Editora. p. 169-170. ISBN 85-260-0873-0
  5. ↑ Ir para:a b c Bowman, David M. J. S.; Jennifer K. (24 de abril de 2009). «Fire in the Earth System»Science (em inglês). 324 (5926): 481-484. ISSN 0036-8075PMID 19390038doi:10.1126/science.1163886
  6. Ir para cima Were Early Humans Cooking Their Food a Million Years Ago?
  7. Ir para cima citação de Miguel Pinedo-Vasquez, um ecologista do Centro para Pesquisa Ambiental e Conservação, da Universidade de Columbia.
  8. ↑ Ir para:a b «Farmers, Flames and Climate: Are We Entering an Age of ‘Mega-Fires’? – State of the Planet». Blogs.ei.columbia.edu. Consultado em 23 de maio de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s