Ter o estado de buda como tendência de vida


O tipo de vida que decidimos viver é determinado pela tendência básica que nos conduz

Discurso do presidente Ikeda extraído e adaptado do livro A Sabedoria do Sutra de Lótuseditado em dezembro de 1998.

Um dos caminhos pelo qual compreendemos essa questão é o da perspectiva da tendência básica de vida. Embora todas as pessoas possuam os dez estados, nossa vida tende a manifestar um dos dez mundos na vida com mais frequência que os demais. Por exemplo, algumas pessoas manifestam o mundo do inferno com mais frequência, enquanto outras o de bodisatva. Podemos denominar isso como a tendência básica da vida de uma pessoa, que foi desenvolvida devido às causas que ela criou e aumentou até o presente momento.

Assim como a água de uma fonte retorna à sua forma original após jorrar, nós retornamos à nossa própria tendência básica. Ainda que o mundo do inferno seja a “base” de uma pessoa, isso não significa que ela manifestará essa condição o tempo todo. Em vez disso, seu estado de vida muda de um mundo para o outro, algumas vezes manifestando o de tranquilidade e, em outras, o dos asura. No entanto, ainda que alguém que tenha o mundo dos asura como sua tendência básica manifeste momentaneamente o de bodisatva, essa pessoa irá rapidamente retornar ao mundo dos asura.

TRANSFORMAR A CONDIÇÃO DE VIDA

Mudar nossa tendência básica de vida significa realizar a própria revolução humana e, essencialmente, transformar nossa condição de vida; significa mudar nossa visão ou determinação da forma mais profunda.

O tipo de vida que decidimos viver é determinado pela tendência básica de vida. Por exemplo, a pessoa que possui a tendência de manifestar o mundo dos espíritos famintos é como se fosse uma passageira de um navio chamado mundo dos famintos.

Apesar de estar navegando pelo caminho da ira, em alguns momentos ela ficará alegre e, em outros, triste. Embora haja muitas mudanças e flutuações, o navio continua infalivelmente avançando ao longo dessa rota. Consequentemente, a visão dessa passageira permanece banhada pelas tonalidades da ira; e, após a sua morte, sua vida se agrega ao mundo dos espíritos famintos inerente ao universo.

Quando tornamos o mundo dos budas nossa tendência básica de vida, significa que alcançamos o estado de buda. É claro que ainda que o mundo dos budas se torne nossa tendência básica, ainda possuiremos os outros nove mundos inerentes; e, consequentemente, ainda teremos preocupações e sofrimentos. Contudo, a esperança torna-se o alicerce de nossa vida e passamos a manifestar um espírito alegre e inabalável.

ALEGRIA POR ESTAR VIVO

Certa vez, explicando sobre esse ponto, o presidente Toda disse:

Mesmo ficando doentes, devemos manter a atitude de que “Eu estou bem. Sei que se orar ao Gohonzon irei melhorar”. O fato de manifestarmos a condição de buda já não confirma que somos capazes de viver desfrutando uma completa paz espiritual? Porém, pela razão de o mundo dos budas conter os outros nove mundos, em algumas ocasiões ainda poderemos ficar irados ou nos surpreendermos; pois o fato de desfrutarmos uma paz espiritual não significa que eliminamos a ira, por exemplo. Uma preocupação ainda continua sendo uma preocupação. Contudo, em nosso interior, sentimos uma profunda paz espiritual. A pessoa que manifesta essa condição de vida pode ser chamada de Buda.

Buda não é justamente aquele que sente uma imensa alegria pelo simples fato de estar vivo? Não seria esse o significado de alcançar o mesmo estado de vida de Nichiren Daishonin? Até mesmo diante da possibilidade de ser decapitado, Daishonin permaneceu sereno e inabalável. Em uma situação semelhante, qualquer um de nós desistiria imediatamente. E quando foi exilado na ilha de Sado, Daishonin continuou instruindo seus discípulos sobre várias questões e compilou escrituras tais como Abertura dos Olhos O Objeto de Devoção para Observar a Mente. Sem paz espiritual, ele jamais poderia ter redigido esses grandiosos tratados.

UM FUTURO DE ESPERANÇA

gongyo é uma cerimônia solene na qual fundimos nossa vida com o estado de vida do Buda. Quando realizamos firmemente nossa prática do gongyo e do daimoku, somos capazes de solidificar o mundo dos budas em nossa vida, da mesma maneira que uma grande quantidade de terra reunida produz um firme alicerce. Nesse alicerce, nesse palco, a cada instante conseguimos representar livremente o drama dos nove mundos.

kosen-rufu é uma luta para tornar o mundo dos budas a tendência básica da sociedade. Fundamentalmente, isso se resume em criar laços cada vez maiores de amizade e companheirismo.

Em todo caso, quando fundamentamos nossa vida no Budismo de Nichiren Daishonin, nenhum esforço é em vão.

Quando tornamos o mundo dos buda nossa tendência básica de vida, conseguimos avançar na direção de um futuro de esperança, enquanto desfrutamos ao máximo nossas atividades, tanto no presente quanto no futuro, nos nove mundos. Na verdade, nossa luta nos nove mundos torna-se o alimento que fortalecerá o mundo dos budas.

Fonte: Brasil Seikyo, ed. 2.230, 7 jun. 2014, p. B2

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s