2016 – Petroleiros protestam na nova sede da Petrobrás no Rio


Petroleiros protestam na nova sede da Petrobrás no Rio

Imprimir

Quarta, 13 Julho 2016Acessos: 940

Nesta terça-feira (12), o Edifício da Petrobrás, o Edisen, na Rua do Senado –  Centro do Rio, recebeu um abraço simbólico dos trabalhadores e trabalhadores do sistema Petrobrás.

 

Imagem: Samuel Tosta

A mobilização reuniu no início da tarde, dezenas de pessoas que tomaram à Rua dos Inválidos, lateral ao prédio da empresa para denunciar o aprofundamento de desmonte da empresa, intensificado agora sob a administração de Pedro Parente na presidência da Petrobrás.

Recentemente foi anunciada a intenção da direção do sistema da venda de empresas como a BR Distribuidora, Liquigás, Transpetro, UTE´s e campos terrestres.

“O povo brasileiro sem o sistema Petrobrás vai ter vários problemas, e é isso que precisamos mostrar. A simbologia desse abraço significa que nós não queremos que a Petrobrás deixe de ser dos brasileiros e do Brasil” – afirmou Ligia Deslandes, diretora do Sitramico-RJ.

A proposta do abraço surgiu na Comissão de Base do TABG e no Grupo de Base BR, sendo encampada pelo Sindipetro-RJ e pelo Sitramico que promoveram também promoveram um ato na entrada do Edisen.

“Esse abraço tenta resgatar um poder que temos de tratar a companhia como se fosse nossa. É uma forma de demonstrar o amor que temos pela empresa, é uma situação que mexe com todo mundo que trabalha aqui” – falou de forma emocionada Michele Domingues, funcionária da BR Distribuidora, com 18 anos de empresa.

Imagem: Samuel Tosta

Após o abraço foi realizado um ato em frente ao Edisen que contou com a apresentação de um esquete “Deus É Brasileiro e o Petróleo Tem que Ser Nosso”, uma sátira em defesa da Petrobras e do Brasil. do Grupo Teatral do Sindipetro-RJ .

 

Enterro coletivo programado

Ainda nessa sexta-feira (15), os petroleiros do Rio por decisão da diretoria do Sindipetro-RJ promovem um enterro simbólico, da diretoria da Petrobrás, a partir do meio dia, no Edifício Edisen. Serão enterrados: o Presidente, Pedro Parente; Recursos Humanos X SMS Serviços, Hugo Repsold Júnior; Governança, Risco e Conformidade, João Adalberto Elek Júnior; E&P, Solange da Silva Guedes; Estratégia, Organização e Sistema de Gestão da Petrobrás, Nelson Silva. No Edisen está instalada provisoriamente a direção da Petrobrás. É solicitada a categoria que venham todos vestidos de preto para demonstrar luto no dia do ato.

O enterro é uma resposta à política da empresa de, por exemplo, expor gráficos de punição na Intranet. De demitir por justa causa e mandar para imprensa a divulgação dos nomes dos funcionários. Esses demitidos não tiveram, até o momento, o direito de ampla defesa e nem julgamento transitado em julgado, são descartados como lixo, e tem seu nome execrado na mídia, que não dá o direito de resposta.

 

Fonte: Agência Petroleira de Notícias

 

Anúncios