Cientistas mapeiam a relação entre o álcool e as atitudes agressivas


É a primeira vez que o processo é revelado por meio de imagens

s

Efeito. Pesquisadores puderam observar que há diminuição da atividade cerebral nas pessoas que ingeriram álcool
PUBLICADO EM 14/02/18 – 03h00

Os cientistas sempre suspeitaram que as bebidas alcoólicas tornam as pessoas agressivas. O mistério parece ter sido resolvido. Depois de apenas duas doses ingeridas, foi possível observar que a atividade cerebral diminuiu no córtex pré-frontal – responsável pelo planejamento de comportamentos e pensamentos complexos, expressão da personalidade e tomada de decisão, por exemplo. Essa área também está envolvida na degradação do nível de agressão de uma pessoa. Para isso, cientistas da Universidade de Nova Gales do Sul, na Austrália, recorreram à ressonância magnética para medir o fluxo sanguíneo no cérebro nesse tipo de situação.

Embora os especialistas suspeitassem há algum tempo que o córtex pré-frontal estava envolvido na relação entre álcool e agressividade, essa é a primeira vez que se eles veem o processo acontecer.

Estudo. Os pesquisadores recrutaram 50 jovens e lhes pediram que consumissem vodca ou bebidas com placebo que não contivessem álcool. Em seguida, eles foram convidados a completar uma tarefa provocadora enquanto estavam deitados no scanner para avaliar seus níveis de agressão.

Para descobrir os efeitos em tempo real do álcool no cérebro, os cientistas usaram exames de ressonância magnética (MRI) que medem o fluxo sanguíneo e mostram quais áreas são mais ativas. Na avaliação, um dos resultados indicou que as respostas neurais dos participantes não foram influenciadas por provocações feitas durante a experiência.

Outro ponto levantado é que o álcool reduziria a ativação do córtex pré-frontal e dos sistemas límbico e de recompensa, o que poderia estar relacionado com o comportamento agressivo. Além disso, o álcool poderia moderar a relação entre o córtex pré-frontal e a agressividade. No entanto, diante de um comportamento agressivo, houve um aprofundamento na atividade no córtex pré-frontal do cérebro daqueles que consumiram bebidas alcoólicas.

Expectativas. “Embora houvesse um efeito de amortecimento geral do álcool no córtex pré-frontal, mesmo com uma baixa dose de álcool, observamos uma relação positiva significativa entre a atividade do córtex pré-frontal dorsomedial e dorsolateral e agressão relacionada ao álcool”, disse o líder da pesquisa, o cientista Thomas Denson, à Psychonomic Society. Ele explicou que essas regiões podem ensejar comportamentos diferentes, como paz versus agressão, dependendo se uma pessoa está sóbria ou intoxicada.

Denson ressaltou a importância de que sejam feitos mais estudos em grande escala sobre os fundamentos neurais da agressão relacionada ao álcool com doses mais fortes e amostras clínicas. “Fazer isso poderia, eventualmente, reduzir substancialmente os danos causados pelo álcool”, acrescentou o pesquisador.

Mídia

Ciência. Os resultados foram divulgados no periódico científico “Cognitive, Affective & Behavioral Neuroscience”, publicação oficial da Psychonomic Society, da Austrália.

Flash

Alteração. Segundo os pesquisadores, o álcool ingerido diminui a atividade cerebral
no córtex pré-frontal – responsável pelo planejamento de comportamentos e pensamentos complexos, expressão da personalidade e tomada de decisão.

Anúncios