O Poder e Segredo da Meditação Criadora


 

Anunciei, anteriormente, que a meditação era o principal agente criador no universo. Há universos mais evoluídos que o nosso, onde talvez não se acentue o emprego de energias mentais para a criação, e outros não tão evoluídos onde a energia mental pode estar em processo de desenvolvimento ou em expressão – no sentido evolutivo. Existem também universos e sistemas solares dos quais desconhecemos a qualidade e as condições. Deve-se ter em conta que, embora em todas as manifestações estão logicamente presentes os três aspectos (propósito ou vontade; atração, amor magnético ou plano; e aparência, como manifestação de ambos), a Entidade que se manifesta (responsável pelas expressões da divindade) pode atuar e “declarar esotericamente” as condições e as qualidades das quais não temos experiência nem conhecimento. Talvez não tenhamos nem a mínima ideia dos mais elevados voos do nosso pensamento abstrato (incluindo os pensadores mais evoluídos do nosso planeta), da natureza dos impulsos e conceitos que animam certos Criadores universais. Reflitam sobre isto.

Assinalei, também, que há três grupos principais de agentes meditativos que atuam como intermediários entre os três grupos de Vidas autoconscientes de nosso planeta e também entre nosso planeta e o que está detrás e além dele, com os quais nosso Logos planetário tem uma relação íntima e intensa. Entretanto, hoje não me ocuparei do extraplanetário. Considerarei o tema da meditação como agente do processo criador e a parte que a meditação deve desempenhar na preparação para a vinda do Cristo e a inauguração da nova civilização que se encontra definidamente a caminho.

Existem, como podem supor (se leram minhas instruções inteligentemente), sete fases no processo meditativo criador, as quais produzem os resultados requeridos. Tudo o que existe na atualidade nos três mundos e nas esferas superiores, é resultado de alguma forma de atividade meditativa. Estas sete fontes são:

1 –O Próprio Logos planetário, que formou e animou o mundo com Seu pensamento e mantém tudo dentro da Sua Mente durante os inumeráveis e incontáveis eons de existência manifestada. Como já disse, a verdade ocultista de que “Deus pensou, Deus visualizou, Deus falou, e o mundo foi criado e sustentado”, continua sendo eternamente verídica.

2 – O grupo que é a analogia superior dos Nirmanakayas. Este grupo sustenta e colabora com o Logos planetário quando concentra o Seu pensamento criador. Seus Membros são os agentes da atração – por meio da potência de Sua meditação – dessas energias extraplanetárias que Ele necessita para levar adiante Seu Veículo de expressão, o planeta, e assim uni-lo num grande Todo criado, tendendo incessantemente à maior glória de Deus. É o grupo que aplica a Lei da Síntese e mantém firmemente (na Mente universal do Logos) os resultados finais da divina Vontade para Bem.

3 – Shamballa, com sua vida e intenção enfocadas na Câmara do Conselho do Grande Senhor, Sanat Kumara. É aqui onde está personificado e é conhecido o Propósito do Logos planetário sob a impressão meditativa do grupo que sabe qual é a Sua vontade e aplica a Lei da Síntese. Nas mãos deste augusto Conselho a Lei do Karma tem adequada guia planetária. Isto não se refere à lei no que respeita ao ser humano individual, porque os membros do Conselho não têm nenhum conhecimento de tais indivíduos, devido a que pensam e meditam só em termos do Todo, mas conhecem a natureza do karma planetário e quando deve ser aplicado de forma acelerada ou demorada, de acordo com as indicações planetárias transitórias. Eles dirigem a grande Roda da Vida, com suas manifestações que passam e suas civilizações que chegam; controlam os reinos manifestados da natureza e as grandes expressões cíclicas da vida, e tudo é levado à conclusão pelo poder da Sua meditação criadora que plasma a inspiração necessária (outra frase para definir o alento da própria vida) sobre os Nirmanakayas e, por Seu intermédio, sobre a Hierarquia espiritual. Seu vínculo com todos estes grupos planetários (que é real e vital) pode ser compreendido mediante a afirmação chave de que “todas as Vidas sobre e dentro da aura do Logos planetário e do Seu corpo manifestado, a Terra, foram, são ou serão no futuro, seres humanos, estabelecendo e demonstrando assim sua identificação, passada, presente ou futura com a humanidade, o quarto reino da natureza”. Este reino é o centro planetário que expressa em tempo e espaço todos os aspectos divinos, umas vezes em latência, outras em potência. Aqui reside a chave de todo o mistério da guia divina e também a garantia da divina Vontade para o Bem.

4 – Os Nirmanakayas, os Contemplativos divinos. Este grupo receptor recebe a impressão de Shamballa em relação com o propósito criador planetário. Eles, em Seu próprio nível de atividade átmica, constroem – através da meditação contemplativa – um vasto depósito de potentes energias impregnadas com as qualidades das sete energias dos sete raios planetários. Eles são os Guardiões da vida, inspirados diretamente pelos Budas de Atividade e ocupam os eons de Seu serviço planetário em:

A – Ativa contemplação do Propósito divino.

 

B – Desenvolver a receptividade para esse aspecto do Propósito que deve ser expressado por intermédio do Plano divino e apresentado à Hierarquia.

 

C – Desenvolver esse espírito de sétupla receptividade, que os converterá num canal para que afluam as energias de raio desde Shamballa à Hierarquia. Sua aura ou zona de influência conjunta e a extensão de sua radiação magnética, corresponde globalmente à aura do próprio planeta; contém (dentro de suas fileiras) os membros que estão identificados com os Senhores dos sete raios.

Em sentido peculiar, são os agentes criadores da vida que aflui de Shamballa a todos os aspectos, zonas, reinos e campos de manifestação. Podem fazê-lo através da meditação sustentada, concentrada; intensa e dinâmica. São necessariamente um grupo de segundo raio (porque o segundo raio na atualidade é o raio do Logos planetário), mas centram Sua meditação, geralmente, em linhas do primeiro raio (sub-raio do segundo raio neste sistema solar, como bem sabem), porque são os agentes criadores da própria vida, os conhecedores e os guardiões da vontade do Logos planetário, ao expressar-se na manifestação. Na realidade constituem a fonte de invocação e evocação planetárias. Reflitam também sobre isto.

5 –A Hierarquia de Mestres, os Mestres de Sabedoria e os Senhores de Compaixão. Este grupo, que permanece na metade do caminho entre Shamballa e a humanidade, está sujeito à impressão de Shamballa, por conduto dos Nirmanakayas, e seus Membros são agentes que impressionam a humanidade. Personificam e expressam o aspecto amor do propósito divino; manejam, dirigem e controlam a Lei de Atração – a energia motivadora que põe em atividade a Lei da Evolução nos três mundos. Muito se sabe sobre este grupo de trabalhadores divinos e espirituais e não me estenderei aqui. Basicamente, trabalham através da meditação dirigida e cada ashram é um centro de meditação, a que contribui todo discípulo, iniciado e Mestre. Gostaria que tivessem isto presente e se esforçassem para compreender, como discípulos, que sua meditação – tanto individual como grupal – se é de natureza e qualidade adequadas, será absorvida na meditação ashrâmica e tenderá a ser parte da mesma. O Plano constitui o tema da meditação hierárquica porque personifica o Propósito divino.

6 – O Novo Grupo de Servidores do Mundo está se convertendo rapidamente no principal centro de meditação planetária. Grande parte desta meditação está longe de ser de natureza ocultista, mas isso não tem importância; baseia-se em geral na profunda reflexão sobre os problemas da humanidade, respaldada e ajudada pela profunda aspiração dos místicos que militam em suas fileiras, ajudada também pela meditação daqueles poucos esoteristas (tecnicamente falando) que também trabalham em suas fileiras. Este grupo é um reflexo da capacidade invocadora e evocadora dos Nirmanakayas, mas só agora está aprendendo e aplicando este aspecto de sua atividade. O Novo Grupo de Servidores do Mundo elevou a tensão e aumentou grandemente a sua atividade na linha invocadora, dando ao mundo as três invocações nos últimos anos. O que na realidade era uma vaga demanda e uma receptividade confusa e fluida converteu-se (pela utilização da Invocação) numa poderosa rogativa invocadora e deu por resultado a evocação de energias da Hierarquia, que foram transmitidas à humanidade pelo Novo Grupo de Servidores do Mundo, responsável de grande parte do trabalho construtivo que está acontecendo em muitas partes do mundo. Falei, já, muito sobre este grupo e não quero estender-me aqui; todos os que pertencem a ele deveriam realizar o trabalho instintivamente, se é que de alguma maneira estão consagrados ao serviço da humanidade, inspirados pela Hierarquia. A reação instintiva de vocês à impressão hierárquica, como membros deste grupo, deveria converter-se rapidamente em tendência habitual da vida. Assim se forma um Mestre. A meditação criadora do Novo Grupo de Servidores do Mundo tem como objetivo a criação da nova civilização e da nova ordem mundial.

Este grupo trabalha por intermédio de outro grupo: os homens e mulheres inteligentes no plano mental, os quais, além de possuir inteligência, amam seus semelhantes, que por sua vez trabalham por intermédio dos idealistas que buscam um mundo melhor e os que respondem à inspiração da boa vontade. Este último grupo trabalha com aqueles que estão emocionalmente implicados no desejo de ajudar a humanidade a melhorar suas condições de vida. Estas pessoas não estão abertas à direta impressão espiritual. Mas lhes atrai a abordagem intelectual e a apresentação das ideias, constituindo o grupo ativo criador que atua como inspiração dinâmica para o sétimo grupo que é:

7 – A própria humanidade. Os homens de todas as partes estão sempre, se apenas supusessem, em estado de meditação inconsciente, sonhando com coisas melhores, lutando pelos benefícios materiais desejados, querendo o que está além de suas posses e realizações atuais e, em muitos casos, até além da sua visão. Todos estes desejos, anelos, visões e sonhos, são os “ingredientes” da meditação enfocada que conhecerão algum dia. Estes primeiros resultados atrairão o êxito nos três mundos e conduzirão oportunamente a integrar a personalidade, que está disposta a valorizar os aspectos superiores da meditação, quando já não lhe atrai concentrar-se sobre o êxito e os benefícios materiais mundanos. O que eles conseguiram criar por meio da meditação criadora (e todos os homens de acordo com a Lei do Karma, criam seu próprio mundo) já não lhes satisfaz; então a sua meditação passa à criação de coisas superiores, ao mundo dos valores espirituais e ao que concebemos como o termo equivocado e inadequado de “céu”.

Verão, portanto, que tudo o que existe é criado pela meditação e o desejo que se funde com o pensamento transitório, pensamento que se converte em claro pensar e, oportunamente, em pensamento abstrato e transcendente. A concentração prolongada sobre uma determinada fórmula, com o tempo se transforma em meditação sobre o que nãoé de natureza da fórmula, passando dali à contemplação, que é a fonte de inspiração e de iluminação.

Aqueles que estudam a Ciência da Meditação devem revisar estes conceitos, pois constituem etapas reconhecidas, e observar que cada etapa é de natureza criadora, que produz mudanças criadoras e das quais (no que concerne à humanidade) o Cristo falou cientificamente e também em sentido planetário quando disse: “Como um homem pensa em seu coração, assim ele é”.

Portanto, temos três grupos principais de pensadores e outros três de intensos pensadores criadores, todos responsáveis e também dedicados a compreender o Propósito divino quando se leva a cabo por meio do Plano Hierárquico espiritual, Plano que se aplica à humanidade de acordo com a Lei da Evolução e, através da humanidade, aos reinos subumanos da natureza. Todas as Vidas e Seres divinos descendem da família humana; na humanidade atua constantemente o processo criador; à humanidade devem chegar oportunamente todas as vidas subumanas. No que concerne ao processo meditativo criador, o diagrama a seguir pode servir para aclarar algo em suas mentes:

É desnecessário considerar aqui os grupos superiores dos Intermediários espirituais e as técnicas do Seu trabalho criador, porque Sua meditação se realiza em níveis demasiado elevados para que vocês possam considerá-la. Mas o trabalho de meditação realizada pela Hierarquia e o Novo Grupo de Servidores do Mundo está ao alcance de sua compreensão. Muitos discípulos lerão o que digo aqui e, com o tempo, os trabalhadores e aspirantes menores que militam nas fileiras do grupo, chegarão a compreender o que quero significar. Será importante expor brevemente as graduações do trabalho meditativo, o que resultará um trabalho criador de índole efetiva e sobre o qual poderiam refletir. Para nossos propósitos os dividiremos em sete graus, dos quais quatro poderiam ser considerados individuais e os outros três como que representam sua natureza grupal:

1 – O desejo, que conduz a obter nos três mundos o que o homem inferior deseja e quer; isto incluirá os desejos dos tipos mais baixos de seres humanos, passando por todos os tipos intermediários até, e inclusive, o anelante místico.

2 – A prece; nesta etapa o aspirante, o místico ou o homem espiritualmente orientado, funde o desejo da personalidade com a aspiração, para estabelecer relação e contato com a alma; mediante a comprovada eficácia da prece, descobre os poderes sutis e a realidade do dualismo essencial da vida, e também que ele é o eu inferior e o eu superior.

3 – A reflexão mental ou o pensamento concentrado. Produz com o tempo a integração e a realização definida da personalidade nos três mundos, que conduz oportunamente à reflexão controlada e ao pensamento científico ou concentrado; este modo de pensar trouxe todas as maravilhas criadoras de nossa civilização moderna, culminando na concentração conseguida na meditação ocultista, a qual finalmente trará a reorientação da personalidade e a fusão com a alma.

4 – A meditação direta. É uma atitude mental enfocada e concentrada mais uma reflexão fixa, de natureza criadora, porque cria o “novo homem em Cristo”, ou produz a personalidade fundida com a alma; esta personalidade recria então seu meio ambiente e colabora conscientemente no trabalho criador da Hierarquia.

Por pouco que compreendam, todas estas expressões da meditação humana ou pensamento concentrado – seja o desejo concentrado para objetivos físicos ou emocionais, ou os aspectos superiores da aspiração espiritual concentrada – definitivamente criam o que se deseja. Isto corresponde também às outras três etapas, porque são inteligentes e efetivamente criadoras, sendo estas quatro etapas responsáveis por tudo que se vê, possui, utiliza e conhece como existente nos três mundos. Os homens herdaram de civilizações anteriores muitas coisas valiosas e outras desastrosas; por sua vez, o homem moderno criou a atual civilização, excepcional civilização por ser resultado da combinação de todos os fatores que levaram a humanidade à etapa onde se reconhece o fracasso e se demonstra que a religião e a ciência reorientaram os homens para o mundo dos valores mais sutis e superiores que o estritamente material. As outras três etapas da meditação humana são:

5 – Adoração. É o reconhecimento conjunto e a consequente reflexão da humanidade sobre a realidade da divina Transcendência e a divina Imanência. É complementada pelas religiões mundiais e criou esse caminho de retorno ao centro ou à fonte da divina vida, da qual as religiões mundiais e também o coração do homem dão testemunho.

6 – Invocação e Evocação. Esta forma de meditação espiritual dinâmica acha-se em geral nas mãos do Novo Grupo de Servidores do Mundo e dos homens e mulheres de boa vontade de todos os países. Em geral não se conhecem entre si, mas todos lutam e pensam de forma criadora para obter uma elevação mundial do gênero humano e trabalham arduamente para criar uma nova ordem mundial e manifestar uma civilização mais definidamente espiritual.

7 – Meditação Ashrâmica. Está baseada na evocação da resposta humana aos valores espirituais superiores. Concerne à criação dessas condições nas quais estes novos valores podem florescer de acordo com o Plano divino; está enfocada sobre este aspecto imediato do caminho que a humanidade necessita trilhar, sendo sua intenção pôr em atividade criadora os desejos, as aspirações, as reflexões e a meditação concentrada dos homens em qualquer etapa de evolução alcançada, para que se inicie um poderoso movimento, coerente e invencível, do qual deve resultar e resultará a criação do novo céu e da nova terra. Esta é uma maneira de expressar a significação da chegada do reino de Deus na Terra e a criação de uma nova ordem e novo modo de viver.

Às vezes produzem-se pontos de crise de superlativa tensão, durante o trabalho meditativo de todos os Ashram hierárquicos. Nos momentos da Lua Nova e da Lua Cheia os membros dos ashram meditam profundamente de forma invocadora e evocadora. A meditação que praticam divide-se, portanto, em duas partes: a primeira evoca a inspiração dos Nirmanakayas com Quem entram deliberadamente em contato; a segunda invoca o Novo Grupo de Servidores do Mundo, que lhe permite estar sob a impressão hierárquica e responder a ela. Três vezes ao ano – nos Festivais de abril, maio e junho (Áries, Touro e Gêmeos) – faz-se uma conjunta meditação hierárquica, dirigida por Cristo; estes Festivais invocam Shamballa ou aquilo que está além dos Nirmanakayas, e esta meditação conjunta pode ser concluída sem perigo sob a guia dirigida e a inspiração mais elevada possível. Cada ashram pode aproximar-se como grupo dos Nirmanakayas, em períodos estabelecidos, para os quais faz-se a devida preparação; só o grupo de Ashram em sua totalidade, a Hierarquia como um todo, pode aproximar-se de Shamballa. O Novo Grupo invoca a Hierarquia para propósitos de impressão e pode ser impressionado por qualquer ashram mediante os discípulos que pertencem a esse grupo. Deste modo a grande cadeia de contato e o grande canal para a afluência da energia espiritual, chega de Shamballa à humanidade e, então, por intermédio da humanidade aos três reinos subumanos. Desta maneira os reinos inferiores “se iluminam e elevam-se”. Tudo isto é efetuado por meio da meditação, a invocação e a evocação, levadas a cabo com espírito de dedicação, método fundamental do reconhecimento espiritual. Assim, de forma criadora, a glória que está oculta em toda forma é evocada e levada lentamente à manifestação exotérica.

Na destruição da velha ordem mundial e no caos destes tempos modernos, o trabalho da nova criação segue em frente; a tarefa de reconstrução que acontece, conduz a uma completa reorganização da vida humana e a uma nova reorientação do pensamento humano.

Portanto, qual é o trabalho criador que enfrenta os Ashram da Hierarquia e os membros do Novo Grupo de Servidores do Mundo que trabalham de forma criadora sob a inspiração e a impressão da Hierarquia? Este trabalho se classifica em duas partes:

1 – A tarefa de pôr ordem no caos.

2 – A tarefa de preparar o caminho para o reaparecimento do Cristo.

Muito deve ser realizado para mudar as condições, instituir novos valores e produzir a entrada de uma civilização totalmente nova – civilização que permita a exteriorização dos ashram ou da Hierarquia e, portanto, a restituição do controle hierárquico ou espiritual, tal como foi conhecido nos antigos dias atlantes, só que desta vez numa volta mais elevada da espiral e também com a inteligente colaboração e sábia ajuda da humanidade, fator que faltava na civilização anterior. Quando o aspirante individual houver considerado isto durante a meditação reflexiva e concentrada e também durante a meditação reflexiva e conjunta dos numerosos grupos espiritualmente orientados que existem hoje no mundo, e quando o Novo Grupo de Servidores do Mundo e a Hierarquia trabalharem numa mais estrita colaboração, então a visualização e a projeção da civilização proposta haverão alcançado um ponto de precipitaçãomuito definido e importante. Então, o chamado invocador da Hierarquia conjunta e do Novo Grupo de Servidores do Mundo será tão potente que evocará uma resposta da humanidade, seguindo-lhe um ciclo de organização, planificação e expressão efetiva. A reflexão, a meditação e a visualização darão lugar ao pensamento científico (que é essencialmente meditação) e à necessária atividade no plano físico.

Isto acontecerá, esotericamente falando, sob a impressão dos Mestres, nos três raios principais. O primeiro Raio de Vontade ou Poder (o Raio do divino Destruidor) já está trabalhando ativamente, destruindo as velhas e caducas condições e desmoronando a antiga civilização, para que a nova ordem possa ser realmente expressada. Como disse o Cristo quando instituiu a civilização cristã dos últimos dois mil anos (que lentamente tem se separado, e muito, de Sua intenção original): “não se põe vinho novo em odre velho”. A guerra (1914-1945) iniciou o processo necessário de destruição, e o período de pós guerra está completando a empresa planejada, que terminará, como se deseja, se os homens trabalharem para a libertação que suas almas desejam.

O segundo Raio de Amor-Sabedoria, através de inumeráveis processos educativos existentes e do moderno conflito de ideias (criando assim uma terra fronteiriça entre as zonas de influência de primeiro e segundo raios), está abrindo as mentes de milhares de pessoas. O pronunciado contraste de ideias – por exemplo, entre totalitarismo e a democrática liberdade de pensamento (existe realmente tal liberdade democrática?) – está obrigando os homens a pensar, refletir, interrogar e meditar. Devido a isso o mundo se enriquece muito e toda a família humana sai de um pronunciado ciclo de karma yoga e entra no requerido ciclo de raja yoga, de uma atividade não reflexiva para um período de iluminado controle mental, iluminação mental criada pela atividade meditativa e reflexiva de toda a humanidade, realizada sob a guia do Novo Grupo de Servidores do Mundo, atuando pela impressão hierárquica.

Os membros do Novo Grupo de Servidores do Mundo pertencem a todos os tipos de raio. Às vezes impulsionados pela atividade do raio da personalidade e outras vezes pelo raio da alma. Portanto, as energias dos raios exercem pressão neste período criador da história humana moderna. É conveniente recordar que, por intermédio de todas as forças bélicas do mundo (navais, terrestres e aéreas), está se realizando grande parte do necessário trabalho hierárquico. A energia do quarto Raio de Harmonia através do Conflito faz-se sentir fenomenicamente – desta vez junto com a atividade pouco comum de primeiro raio. Em consequência, por intermédio das Forças da Luz obter-se-á a liberação que trará liberdade, que significará a liberdade de todo o gênero humano. Não defendo aqui a guerra ou a luta. Simplesmente considero as condições do mundo tal como existem hoje e os processos e métodos característicos das civilizações já desaparecidas e da civilização atual, da qual hoje estamos saindo. Na medida em que o homem vai deixando para trás a etapa animal, a estritamente física e a exacerbada e altamente emocional e aprende a pensar, só então as guerras cessarão. Afortunadamente para a humanidade, isto vai sucedendo muito rapidamente

Pela primeira vez na história humana, as linhas de demarcação entre o correto, do ângulo dos valores espirituais (a liberdade essencial do espírito humano), e o errôneo (o aprisionamento do espírito humano pelas condições materialistas), são claramente percebidas pela maioria das nações do planeta. As Nações Unidas contém o gérmen e a semente de um grande grupo internacional meditativo e reflexivo – grupo de homens e mulheres instruídos e reflexivos, em cujas mãos está o destino da humanidade; grupo que, se vocês puderem compreender, está controlado, na sua maioria, por numerosos discípulos do quarto raio, cujo ponto de enfoque meditativo é o plano intuitivo búdico – plano onde se completa hoje toda a atividade hierárquica.

O Quinto Raio de Conhecimento Concreto também se expressa poderosamente na meditação e na reflexão dos cientistas mundiais, em todos os campos do interesse humano, pois em suas mãos está a forma que adotará a nova civilização que está sendo construída. Recordo-lhes que aplico a palavra “cientista” a todos os que trabalham nas ciências sociais e econômicas e ao grande grupo de químicos, biólogos, físicos, etc, que geralmente são incluídos em tal termo. O poder de organizar e de definir que possui o plano mental está sendo aplicado em todas as fases da vida humana pelos cientistas das numerosas escolas de pensamento, e a estrutura da nova civilização derivará de sua reflexão meditativa e criadora, que tão admiravelmente estão demonstrando.

O discípulo do Sexto Raio está ativamente organizando a aspiração mística das massas humanas em todas as partes, que em si é uma energia muito poderosa. Estes homens que anelam (qualquer que for sua aspiração imediata) estão necessariamente polarizados no plano astral, não tendo ainda capacidade para perceber com a clareza mental da massa intelectual nem são susceptíveis à influência que exerce a exata abordagem esotérica. Sua orientação mística dirigida será um dos fatores mais poderosos para destruir os antigos valores e reconhecer maciçamente a verdade espiritual que subjaz. Os discípulos de sexto raio que manejam energia do mesmo raio ocupam-se desta orientação. Vocês devem recordar que a centralizada atividade do místico que atua em formação grupal, será um poderoso fator no trabalho criador que realiza a Hierarquia e o Novo Grupo de Servidores do Mundo, porque obterão um efeito maciço que em geral manejam inconscientemente.

Sob a influência dos discípulos do Sétimo Raio de Organização ou Ordem Cerimonial, a poderosa concreção física da energia chamada “dinheiro” é um tema que merece profunda concentração; e se estiver sendo considerado de forma definida, as mentes dos financistas reflexivos, as pessoas abastardas e humanitárias e os filantropos serão levadas gradualmente de uma atividade estritamente filantrópica a outra impulsionada e expressada pela visão espiritual interna e pelo reconhecimento do que o Cristo proclamara (não importando com que nome é conhecido no Oriente ou no Ocidente) com respeito à reserva financeira do mundo. Isto é algo difícil de realizar, porque as energias sutis dos mundos internos tardam muito tempo para produzir seus efeitos no plano objetivo e tangível da manifestação divina. O dinheiro não é ainda utilizado divinamente, mas o será. Entretanto, a tarefa está bem encaminhada e absorve a atenção dos discípulos de todos os raios sob a guia e a impressão do poderoso Ashram de Sétimo Raio, já em processo de exteriorização.

O efeito da meditação humana neste momento é mudar as condições, invocar as potências espirituais superiores, trabalhar com concentração – tanto vertical como horizontalmente – dentro do mundo dos homens e do reino de Deus. Esta atividade vertical e horizontal contém o segredo da meditação criadora. Invoca as energias superiores e cria um canal de contato entre a alma e o espírito. Isto se realiza mediante o que denominei meditação vertical. Também evoca e cria um fermento ou movimento dinâmico nesse nível do ser que deve ser afetado ou mudado sendo este o aspecto horizontal. Ambas atividades vertical e horizontal descrevem o método de invocação e evocação, tal como é empregado por todos os grupos vinculadores entre os diferentes centros planetários. Isto poderá ser aclarado consultando o diagrama acima.

Mas todos estes processos e o esquema inteiro da manifestação são criados por meio dos métodos meditativos organizados e conscientes. A meditação planetária, grupal e individual, tem resultados criadores, e considero este aspecto nesta presente instrução.

Resumindo:

O Senhor do Mundo, através da meditação, está levando a cabo processos que Ele instituiu em Sua meditação criadora original, na mais remota e obscura noite dos tempos, quando decidiu criar nosso planeta para propósitos estritamente redentores. Sua criação é resultado do Seu pensamento dirigido e controlado – processo de uma reflexão sustentada que impulsiona todas as energias criadoras a uma atividade evolutiva e cíclica, de acordo com o modelo que Ele visualiza eternamente. Organizou um grupo que responde à Sua intenção meditativa. Estes Seres O ajudam com Seu Propósito concentrado e conhecido, para levar à nossa vivência planetária certas energias extraplanetárias, necessárias para efetuar o trabalho planejado do Logos planetário. Seu pensamento e consciência (se posso expressá-lo simbolicamente) compenetram também Shamballa com o que o Logos visualizou. Os Membros de Shamballa são os Guardiões do Seu Propósito, tal como Lhes é revelado ciclo após ciclo. A dimensão destes ciclos é um dos mistérios que está estritamente guardado na Câmara do Conselho do Senhor do Mundo. Estes ciclos referem-se só à manifestação nos três mundos, onde controlam os conceitos de tempo e espaço.

A Hierarquia é a Guardiã desse aspecto do Propósito cíclico planetário denominado o Plano, que abarca períodos relativamente breves, tais como civilizações – no que concerne à humanidade. Com respeito a Shamballa, o grupo intermediário dos que trabalham, meditam e criam, é chamado à atividade para receber a impressão da imediata atividade hierárquica desejada, transmitir as energias necessárias de Shamballa aos ashram unidos e informar assim esotericamente à Hierarquia o que merece atenção imediata.

Ademais, num nível inferior da espiral evolutiva, a Hierarquia, por sua vez, plasma o Plano no Novo Grupo de Servidores do Mundo, Plano que deve ser aplicado imediatamente para ajudar a humanidade. Este grupo é o principal agente criador nos três mundos para o resto deste ciclo de experiência planetária, embora nem sempre o foi. A humanidade pode agora trabalhar inteligentemente com o Plano apresentado pela primeira vez na história humana. Gostaria que observassem isto. Os homens podem desempenhar hoje sua pequena parte para trazer o Propósito divino à manifestação, porque já desenvolveram a capacidade mental necessária. O controle e o desenvolvimento criador dos três reinos inferiores da natureza está saindo lentamente das mãos da evolução dévica (até agora responsável) e entra sob a supervisão da humanidade, segundo os antigos Arquivos dos Mestres:

“Os Senhores solares controlarão oportunamente, por intermédio de manas (a mente), os senhores lunares da substância elemental, não só deles, mas também daqueles que buscam ajuda. Desta maneira, a redenção chegará a todos por intermédio do homem, e a glória do Senhor da Vida será vista”.

A intenção enfocada, a meditação concentrada, a visualização, a invocação dirigida (que produz evocação), que como resultado trazem resposta, constituem os processos principais da criação em todos os níveis e por todos os seres. A prece, o desejo, a meditação e a intenção centralizados, são lições graduadas e sequenciais que o gênero humano deve aprender. A adoração ou o reconhecimento da divina Transcendência e da divina imanência subjaz em todo o reconhecimento maciço do poder espiritual. Assim a meditação do planeta penetra até o que está além dele mesmo e se funde e mescla, em sentido solar, com a Voz de quem trouxe tudo à existência e com a vontade Daquele Que leva todas as formas de Sua vivência à perfeição a que Se propôs. Ao trabalhar assim concluem os grandes processos de Redenção, para o que todos os salvadores do Mundo (em relação com a humanidade) são símbolos, garantia e testemunho eternos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s