Meditação Sobre os Centros


 

Talvez seja bom também referir aos perigos a que muitos se expõem ao responderem ao apelo de instrutores que dizem aos alunos que “desenvolvam sua mediunidade”. São então ensinados a meditar sobre algum centro de energia, geralmente o plexo solar, outras vezes o coração e, curiosamente, nunca a cabeça. Meditar num centro baseia-se na lei que a energia segue o pensamento e conduz a uma estimulação direta das características particulares pelas quais estes pontos focais – espalhados através do corpo humano – são responsáveis. Como a maioria das pessoas funciona principalmente através das energias acumuladas encontradas abaixo do diafragma (as energias sexuais e as emocionais) a sua estimulação é muito perigosa.

Por que não aprender a funcionar como o homem espiritual, do ponto tantas vezes descrito pelos escritores orientais como “o trono entre as sobrancelhas” e, deste alto lugar, controlar todos os aspectos da natureza inferior e guiar a vida diária nos caminhos de Deus?

A Necessidade do Sentido Comum

Os perigos da meditação são, largamente, os perigos de nossas virtudes, e nisso jaz muito da dificuldade. Eles são, em grande parte, os perigos de um conceito mental refinado que fica à frente da capacidade dos veículos inferiores, especialmente do físico denso. Há uma absoluta necessidade de o estudante ocultista ter como uma de suas qualidades básicas um agudo bom senso, unido a um feliz senso de proporção, que leve a uma adequada precaução e a uma aproximação do método necessário à necessidade imediata. Ao homem que, então, se dedique, de todo coração, ao processo da meditação ocultista, eu diria, com toda concisão:

A – Conhece-te a ti mesmo.

B – Prossegue lenta e cautelosamente.

C – Estuda os efeitos.

D – Cultiva a noção de que a eternidade é longa e o que é construído vagarosamente dura para sempre.

E – Visa a regularidade.

F – Conscientiza-te sempre de que os verdadeiros efeitos espirituais devem ser vistos na vida exotérica do serviço.

G – Lembra-te, também, de que os fenômenos psíquicos não são indicação de uma meditação bem sucedida.

O mundo verá os efeitos e será um melhor juiz do que o próprio estudante. Acima de tudo, o Mestre saberá, pois os resultados nos níveis causais serão percebidos por Ele muito antes do próprio homem estar consciente de seu progresso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s