Instruções Espirituais


De autoria de Personalidades Espirituais

“Toda religião pode dividir-se em duas partes: uma parte chamaremos de essencial e a outra não essencial. As doutrinas, os dogmas, os ritos, as cerimônias e as mitologias de todos os credos religiosos organizados não são elementos essenciais. Não quer isto dizer que são inúteis; pelo contrário, o simples fato de sua existência prova que são necessários e ajudam em certas etapas ao progresso espiritual. O que quero dizer é que não pode afirmar-se que são absolutamente necessários para levar uma vida puramente espiritual. Um homem ou uma mulher pode ser altamente espiritual sem executar nenhum dos ritos ou cerimônias ordenadas pelas escrituras religiosas do mundo ou pelas hierarquias eclesiásticas. Um homem ou uma mulher pode ser realmente religioso sem crer em nenhuma doutrina, em nenhum credo, em nenhum dogma ou mitologia. Os que creem que estas coisas não essenciais são indispensáveis para alcançar a meta última da religião, não compreenderam ainda os princípios básicos de todas as religiões; eles não sabem distinguir entre o essencial e o que não é; falta-lhes a compreensão que dá a iluminação espiritual. Os que entendem o essencial da religião e o levam a prática na vida diária não se preocupam pelo que não é essencial. São apenas estas almas simples e sinceras as que chegam à meta da religião pelo mais curto dos caminhos.

Os elementos essenciais da religião são principalmente dois: o conhecimento de si mesmo e o autocontrole. O conhecimento de si mesmo significa o conhecimento do Ser superior, o conhecimento da natureza divina do homem; e o autocontrole consiste em refrear o eu inferior, ou seja, nossa natureza egoísta. O verdadeiro conhecimento chega quando o eu inferior for dominado.

​Os elementos não essenciais da religião são como um montão de cascas sob o qual está escondida a polpa da verdade essencial. Onde prevalece em demasia o não essencial, ali há corrupção religiosa, superstição e falsa teologia, cujo objetivo principal é convencer as massas ignorantes de que os dogmas, as doutrinas, as cerimônias e os rituais devem ser observados por todas as pessoas que aspiram a ser religiosas. Em troca, a ciência da yoga, estando livre de dogmas e rituais, não está exposta a corrupção e a superstição, nem necessita de nenhuma teologia. É pura e simples. Dá as boas-vindas a todas as almas sinceras e fervorosas que buscam a verdade mais elevada e a vida espiritual; procura espiritualizá-las, oferecendo-lhes o essencial da religião como seu ideal mais elevado e lhes ensina como adquirir o autocontrole e o conhecimento do Ser Supremo.”

  Swami Abhedananda, “O Desenvolvimento Espiritual”. 
Atualização: 29/06/14

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s