Meirelles propõe Imposto de Renda maior para quem ganha mais e criação de tributo sobre dividendos


Em entrevista à Record, candidato do MDB disse que proposta é aumentar o percentual do IR de acordo com o rendimento. Além disso, propôs cobrança sobre lucro pago a acionistas de empresas.


Por G1, Brasília

 

O candidato do MDB à Presidência da República, Henrique Meirelles, durante entrevista à Record (Foto: Reprodução)O candidato do MDB à Presidência da República, Henrique Meirelles, durante entrevista à Record (Foto: Reprodução)

O candidato do MDB à Presidência da República, Henrique Meirelles, durante entrevista à Record (Foto: Reprodução)

O candidato do MDB à Presidência da República, Henrique Meirelles, propôs nesta quarta-feira (22) um aumento gradual do Imposto de Renda para quem ganha mais. Além disso, propôs a criação de um tributo sobre dividendos.

A declaração foi dada à Record que, durante as próximas três semanas, realizará entrevistas com os principais candidatos à Presidência. Meirelles foi o quinto sabatinado. Até o momento, além do candidato do MDB, foram entrevistados:

“Aumento do imposto de Renda, da aliquota do Imposto de Renda, porque esse sim é gradual e vai aumentando na medida em que aumenta o rendimento. É mais eficiente do que um imposto fixo, uma coisinha só”, disse o candidato.

Atualmente, todos aqueles que têm rendimento mensal acima de R$ 4.664,68 pagam uma alíquota de 27,5% de Imposto de Renda. Pela proposta de Meirelles, haveria percentuais diferentes e maiores, de acordo com a renda de cada cidadão.

Além do aumento da alíquota, Meirelles também propôs “aumentar a cobertura” do IR e passar a cobrar alíquotas sobre dividendos, parcela do lucro recebido por acionistas que investem em determinada empresa.

“Primeiro, aumentar o Imposto de Renda. Segundo, aumentar a cobertura do Imposto de Renda e instituir um imposto de renda sobre dividendos, que não tem, hoje é zero. Vamos instituir, isso é mais importante e mais eficaz”, propôs o candidato.

Segundo Meirelles, ex-presidente do Banco Central e ex-ministro da Fazenda, essas são as duas principais medidas a serem adotadas em seu eventual governo para aumentar a arrecadação.

Reformas

Durante a entrevista, o candidato do MDB voltou a defender as reformas promovidas durante o governo Michel Temer, do qual fez parte como ministro da Fazenda. Entre as reformas destacadas por ele está a emenda à Constituição que estabeleceu um teto para os gastos públicos pelos próximos 20 anos.

Segundo o candidato do MDB, diferentemente do que outros candidatos vêm dizendo, a proposta não congelou investimentos, mas deu mais racionalidade aos gastos públicos.

Meirelles disse ainda, sem citar nenhuma proposta específica, que, se for eleito, continuará promovendo reformas na economia a fim de diminuir gastos obrigatórios do governo federal e aumentar os investimentos públicos da Uniã

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s