Crie um ambiente de trabalho mais feliz


<< anterior | Ação 50 | próximo >>

Como supervisor, gerente ou líder, podemos influenciar quão feliz nossa equipe se sente. Isto não é apenas uma coisa boa a se fazer – também pode ajudar a impulsionar o desempenho, produtividade e manutenção dos colaboradores na empresa. Então, que tal pensar sobre o que você pode fazer?

Por que fazer isso?

Felicidade no trabalho é um ganha-ganha. Pessoas felizes e engajadas são mais saudáveis, mais produtivas, têm mais ideias e são mais propensas a contribuir além de suas responsabilidades, a ajudar os colegas e a chegar no horário; e menos propensas a abandonar as atividades ou ficar doentes. Essas pessoas são as melhores a se ter por perto, já que felicidade também é contagiosa. Então, se seu time é feliz, você e outros ao redor têm maior probabilidade de também serem felizes.

Como um supervisor, gerente ou líder você pode e vai influenciar o quão felizes se sentem aqueles que você coordena. Isso não significa que você deve estar constantemente rindo, brincando ou que não pode ser sério. Felicidade no trabalho envolve muito mais do que isso. Também não significa deixar de endurecer a comunicação, se e quando necessário.

Pesquisas recentes mostram mais e mais caminhos que nos permitem aumentar a felicidade, nossa e dos outros. Muitos de nós gastamos uma grande porção de nossas vidas no trabalho, então, se a felicidade é boa para as pessoas e para os negócios e se você está numa posição que pode fazer a diferença, não seria uma boa hora para fazer isso?

Por onde começar

Mudar a cultura ou o sistema de incentivo de uma organização pode ser complicado, levando um longo tempo, e talvez não seja possível se você não estiver perto do topo da hierarquia, mas aqui temos algumas ideias de coisas que vão fazer a diferença e são possíveis de serem feitas pela maioria dos supervisores, gerentes e líderes.

1. Entenda os fatores da motivação e felicidade

Como supervisor ou gerente, aumentar sua compreensão sobre os fatores que influenciam a motivação e felicidade ajuda a obter o melhor de sua equipe para a empresa e para eles mesmos. Este website reúne diversas descobertas de pesquisas recentes, por isso é um ótimo lugar para começar. Você também encontrará muitas ideias, fontes e leitura adicional.

Pense sobre o que poderia acrescentar à sua maneira de liderar ou gerenciar. Isto não se refere a truques ou mágica. Trata-se de entender um pouco o que motiva as pessoas e as ajuda a tirarem o máximo de proveito do trabalho e da vida.

2. Foco nos pontos fortes

Quando as pessoas estão usando suas qualidades, mais provavelmente elas estarão dando o melhor de si, assim como terão maior probabilidade de desfrutar e receber energia daquilo que fazem.

O primeiro passo é você e seu time identificarem suas qualidades individuais. Há diversas ferramentas online, grátis ou com custo relativamente baixo, para ajudá-lo nisso (por exemplo, o questionário indicado no link anterior).

Uma vez que as pessoas conhecem seus pontos-fortes, vocês podem trabalhar juntos para encontrar formas de trabalho ou novas tarefas e desafios que os ajudem a se desenvolver ainda mais.

Isto não significa deixar de abordar eventuais fraquezas, mas exige uma mudança de foco. Concentre-se nos pontos fracos apenas na medida em que estejam limitando as habilidades dos funcionários em cumprir suas funções, e apenas o suficiente para que eles cheguem ao nível básico necessário. Em seguida, enfatize o desenvolvimento daquilo em que eles são bons naturalmente, ou pelo que sintam uma inclinação.

Membros do time também serão capazes de ver como seus pontos fortes complementam os dos colegas e então ter mais ideias sobre como contribuir para as atividades da equipe.

3. Use os pontos fortes como um estímulo

Aqui está uma ideia que podemos pegar emprestada. Pesquisas têm mostrado que quando terapeutas passam alguns minutos trazendo à mente os pontos fortes de seus clientes e como eles podem ser usados, antes de se encontrar com eles, isso traz resultados benéficos para o cliente — incluindo impacto positivo em sua autoestima e senso de domínio, bem como a construção da relação terapêutica.

Não estamos sugerindo que supervisores e gerentes tentem ser terapeutas, mas acreditamos que essa ideia pode ser uma ótima maneira de fomentar um sentimento de competência na equipe, ajudar a construir uma boa relação com eles e fazer com que se sintam valorizados pelo que estão trazendo.

Portanto, uma vez que você tenha identificado as qualidades dos membros do seu time e feito reuniões com eles, passe alguns minutos relembrando você mesmo esses pontos fortes e o que você valoriza nas contribuições de cada um. Tente fazer isso um tempo, pelo menos um mês ou dois meses, e note a diferença que isso traz (pode ser mais fácil começar com reuniões individuais do que as que envolvem toda a equipe).

4. Responda estimulando o crescimento

Carol Dwek diferencia entre mentalidades fixas e de crescimento. Uma mentalidade fixa é quando acreditamos que nós (e outros) temos um nível inato, fixo de inteligência ou habilidade em áreas específicas. Isto significa que somos muito menos propensos a experimentar ou aprender. Em contrapartida, se tivermos uma mentalidade orientada para o crescimento, acreditaremos que, com esforço, nós (e outros) poderemos aprender e melhorar, ou seja, seremos muito mais propensos ao esforço de tentar e muito mais abertos a aprender com nossos erros.

Pessoas com mentalidade de crescimento são mais propensas a administrar bem os contratempos do que aquelas com uma visão fixa, e geralmente sentem-se melhor sobre elas mesmas.

Como líder, isso significa focar no aprendizado. Portanto, quando você elogiar os membros de sua equipe, certifique-se de que, junto com o cumprimento de “muito bem!”, você também reconheça a maneira como eles fizeram isso. Se as coisas não estiverem correndo bem, é importante reconhecer o esforço que a pessoa colocou no trabalho e ver o que ela fez que funcionou bem e o que poderia fazer diferente no futuro.

5. Melhore a proporção de positividade da equipe

Emoções positivas são importantes não apenas por nos sentirmos bem, mas também por criar nossos recursos mentais e sociais, nosso aprendizado, criatividade e habilidade de solucionar problemas. Isto não significa que nunca deveríamos sentir emoções negativas, mas que devemos ter a proporção correta entre ambas. Acredita-se que sentir pelo menos três emoções positivas para cada negativa seria a proporção ideal para as pessoas.

Para equipes, a proporção de positividade deveria ser ainda maior. Pesquisas mostram que times que realizaram reuniões com uma proporção de cinco interações positivas para uma negativa tiveram desempenho acima das equipes com proporções inferiores.

Pense sobre as reuniões de sua equipe: há quantas interações favoráveis ou construtivas para cada crítica? Eles reconhecem os êxitos e contribuições uns dos outros? Quanto tempo eles gastam advogando e defendendo suas próprias ideias em vez de tentar entender e contribuir com às dos colegas?

Como supervisor, gerente ou líder, quantos dos seus comentários e questionamentos aos membros do time são favoráveis, apreciativos, construtivos ou que abertamente buscam compreender melhor? Quantos desses comentários apontam o que não está certo, se concentram no que ainda deve ser feito ou defendem seu próprio modo de pensar em detrimento do deles. Qual a sua proporção de positividade? Quão perto está de cinco para um? Como você poderia melhorar se fosse necessário?

6. Dê espaço para eles elaborarem seu trabalho

Um senso de autonomia, de ter escolha e controle, é fundamental para o bem-estar psicológico e a motivação das pessoas.

Se houver aspectos das funções que os trabalhadores possam moldar de modo que funcionem melhor para eles, usando seus pontos fortes, foque em coisas que realmente interessem a eles e os absorva, ajude-os a equilibrar trabalho e vida familiar ou a acrescentar significado, isso provavelmente fará uma diferença significativa — o modo como pessoas satisfeitas agem nos seus trabalhos e na organização — e pode levar ao aumento do desempenho ou produtividade.

Embora a quantidade de flexibilidade que as pessoas têm varie conforme a função, na maioria dos trabalhos há algumas coisas que não precisam ser feitas de uma maneira fixa.

Algumas organizações permitem que os funcionários, em um percentual do tempo ou número de dias, trabalhem em qualquer projeto que queiram.

Aumentar o interesse e o engajamento das pessoas e assim fazê-las se sentirem mais felizes no trabalho são táticas que podem ser uma grande fonte de novas ideias para a melhoria de produtos e processos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s