Polimetilmetacrilato PMMA


Polimetilmetacrilato PMMA, é formado por microesferas suspensas em um coloide. É um material biocompatível e não absorvível, tendo efeito definitivo. Não há a possibilidade de, quando injetado no corpo, migrar para outras regiões devido ao seu tamanho, cerca de 40 micra, e da falta de irregularidades em sua superfície.
Origem do PMMA:
Descoberto em 1902, na Alemanha, pelo químico O. Röhm, foi utilizado na área da saúde pela primeira vez no ano de 1936, em próteses dentárias. Com o objetivo de criar volumes, ao ser aplicado na forma de injeções, começou a ser usado em 1989, por G. Lemperle.
Indicações do polimetilmetacrilato:
O PMMA pode ser utilizado tanto no rosto, quanto no corpo para diferentes fins. No rosto, pode agir preenchendo rugas e olheiras. Pode também dar o efeito de “blush” quando implantado na maçã do rosto, marcando a linha da mandíbula, aumentando o tamanho dos lábios e contornando também o “arco do cupido”. Também permite aperfeiçoar o nariz, o “bigode chinês” e o queixo.
Já no corpo pode ser utilizado em pacientes soropositivos que apresentam lipodistrofia (perda de volume muscular em portadores de HIV) devido aos antirretrovirais, aumentar o tamanho dos glúteos, do peito nos homens portadores de Síndrome de Poland (subdesenvolvimento ou ausência do músculo peitoral maior de um lado do corpo),  rejuvenescer as mãos, aumentar as panturrilhas quando desproporcionais ao corpo, melhorar as orelhas e os ombros. Em mulheres que querem aumentar os seios, não é recomendado utilizar essa substância, pois ela pode dificultar na percepção do câncer de mama.
Onde é usado o PMMA?
É usado na técnica conhecida por bioplastia, um procedimento estético que não exige a realização de cortes ou sedação, causa o mínimo de sangramento e pode ser feito ambulatorialmente. A bioplastia tem menor tempo de procedimento quando comparada às cirurgias. Também permite a participação do paciente, que pode acompanhar o que está acontecendo por um espelho de modo a opinar, quando achar necessário. O PMMA é injetado por microcânulas, uma agulha sem ponta com 40 x 0,8 mm em minúsculas incisões (menores que 0,5 mm) por onde leva o PMMA até o local almejado.
Riscos do PMMA:
Quando utilizado para a bioplastia, deve-se obter o cuidado de escolher um profissional capacitado, para evitar futuros problemas. Diversos casos foram divulgados sobre problemas que ocorreram após a bioplastia com PMMA, todos envolvendo profissionais incapacitados e sem estrutura para praticar esse procedimento. Como exemplo de um procedimento mal feito, pode-se citar a quantidade de PMMA em excesso no organismo, podendo gerar inflamações e necrose dos tecidos, visto que depois que essa substância entra no organismo, acaba endurecendo e não sendo absorvida.
Quantidade de PMMA permitida:
PMMA à 2% – Minimizar rugas finas;
PMMA à 10% – Minimizar a flacidez do sulco naso geniano (entre a lateral do nariz e o canto da boca), dar volume aos lóbulos das orelhas e preencher o dorso das mãos.
PMMA à 30% – Aumentar o volume do queixo, da região malar, definir a linha da mandíbula, tratar depressões e sequelas de rinoplastia.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s