ementas – jornalismo


 

15/03/2006

 

1. JORNALISMO INVESTIGATIVO

Objetivos

Levar aos jornalistas e estudantes o conhecimento e o domínio das ferramentas e estratégias necessárias à realização da investigação jornalística. Além do auxílio do computador no trabalho de levantamento e cruzamento de informações, o aluno deverá saber quais seus direitos de acesso a informações públicas, assim como suas responsabilidades e os riscos que corre durante o trabalho de investigação em diferentes áreas de atuação do jornalismo. Deverá ainda ser capaz de trabalhar em equipe, a partir de planejamento e treinamento na reportagem investigativa.

Ementa 

Fundamentos da reportagem investigativa em diferentes veículos de comunicação. Jornalismo investigativo em suas variadas formas: investigação de corrupção na política, violência, crimes, empresas privadas etc. Trabalho em equipe: planejamento e treinamento. Reportagem Investigativa com Auxílio de Computador (RAC): uso de Excel e pesquisa avançada na internet. Direito de acesso a informações públicas, responsabilidades e ameaças.

CALENDÁRIO

Mês

Ter

Qui

Ter

Qui

Ter

Qui

Ter

Qui

Ter

Qui

Março

14

16

21

23

28

30

Abril

4

6

11

11

18

20

25

27

Maio

2

4

Professor
Chico Otávio — Repórter especial do Globo, ex-Vice-presidente da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), com quatro Prêmios Esso de Jornalismo no currículo.

2. ASSESSORIA DE IMPRENSA

Objetivos

Capacitar os alunos para entenderem — e, assim, serem capazes de pôr em prática — as atribuições de uma assessoria de imprensa e os profissionais e atividades a ela relacionadas nas mais diferentes instituições (públicas, privadas e da sociedade civil). Deverão também ser instruídos a reconhecer o que pode e o que não pode ser notícia, dando a ela a linguagem de acordo com o veículo a que se destina, assim como identificar o que deve ou não ser divulgado. Os participantes do curso devem ainda ser orientados a realizar de modo competente a divulgação de seus assessorados junto a veículos e outros jornalistas, sem ferir a ética profissional e a responsabilidade social de sua função.

Ementa

Histórico da assessoria de imprensa. O que é e como funciona uma assessoria de imprensa. Assessoria de imprensa para diferentes entidades: públicas, privadas e da sociedade civil. A relação com os jornalistas de redação e com veículos de comunicação: ética e responsabilidade social.

CALENDÁRIO

Mês

Ter

Qui

Ter

Qui

Ter

Qui

Ter

Qui

Ter

Qui

Março

14

16

21

23

28

30

Abril

4

6

11

13

18

20

25

27

Maio

2

4

Professor
Ilza Araújo — Atuou como assessora de imprensa da Golden Cross, da Sociedade Brasileira de Cartografia, da Associação Brasileira de Yoga Integral, da Cooperativa de Crédito Mútuo dos Servidores da UERJ (Coopuerj), da Syncrolite e da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec). Acumula ainda experiência em redações de jornais e produção de rádio. É atualmente professora da Universidade Gama Filho nas áreas de Jornalismo e Relações Públicas (Comunicação Empresarial, Ética em Relações Públicas, Linguagem e Técnicas em Radiojornalismo, entre outras). Tem graduação e pós-graduação em Jornalismo e Relações Públicas, assim como especialização em marketing cultural.

3. JORNALISMO CULTURAL

Objetivos

Preparar os jornalistas e estudantes para entender o jornalismo cultural e atuar de modo seguro na área a partir do conhecimento da história e da prática deste ramo da atividade jornalística que se dedica a noticiar e a comentar as diversas manifestações artísticas e culturais. O curso deverá ainda capacitar os alunos para atuar em assessoria de imprensa para empresas (públicas, privadas e da sociedade civil) envolvidas com cultura, diferenciando-a de meros lobbies e jabaculês.

Ementa

Conceito e história do jornalismo cultural. Pauta e apuração: cobertura de eventos culturais. Gêneros informativos e opinativos de jornalismo cultural: nota, reportagem, comentário, ensaio, coluna, crítica, resenha. Edição no jornalismo cultural. Mídia especializada em cultura. Assessoria de imprensa na área cultural.

CALENDÁRIO

Mês

Seg

Qua

Seg

Qua

Seg

Qua

Seg

Qua

Seg

Qua

Março

13

15

20

22

27

29

Abril

3

5

10

12

17

19

24

26

Maio

3

8

Professor
Cecília Costa — Jornalista, historiadora e escritora, foi editora do caderno Prosa e Verso, do Globo, de 1998 a 2004, além de, no mesmo período, ter coordenado o time de livros do jornal. Em 2003, supervisionou a edição da coleção Clássicos de O Globo e foi a responsável pela criação do concurso “Contos do Rio”, do Prosa e Verso. Ministrou cursos, na Estação das Letras, sobre Thomas Mann, Balzac, Stefan Zweig e Dostoievski. Participou de uma conferência, na Academia Brasileira de Letras, sobre Hans Christian Andersen em 2005, ocasião do centenário do escritor dinamarquês. É autora do livro “Odylo, um homem com uma casa no coração” (Relume Dumará) e do romance “Damas de Copas” (Record). Foi também participante da coletânea de contos “25 mulheres”, organizada por Luiz Ruffato para a Record, com o conto “O sétimo mês”. Atualmente, realiza pesquisa para um livro sobre o jornal Diário Carioca e a modernização do jornalismo brasileiro. Acumula também vasta experiência no jornalismo econômico, tendo passado, nesta área, pelos jornais O GloboJornal do Brasil e Gazeta Mercantil e pela revista Bolsa, da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. 

4. JORNALISMO AMBIENTAL

Objetivos
O curso se propõe a fornecer aos jornalistas e estudantes a base necessária para que exerçam o jornalismo ambiental com competência técnica, mas também com a responsabilidade social que o tema exige. Para isso, os alunos precisam conhecer a história, os conceitos e as funções do jornalismo ambiental, além de se defrontarem com questões como meio ambiente do trabalhador, pobreza e desenvolvimento, clima, água, agrotóxicos, biotecnologia, energia limpa e inclusão ambiental.

Ementa
História, conceitos e funções do jornalismo ambiental. Jornalismo e responsabilidade ambiental. Pauta, apuração, redação e edição no jornalismo ambiental. Veículos especializados em meio ambiente. Assessoria de imprensa para empresas públicas, privadas e da sociedade civil da área de meio ambiente. 

CALENDÁRIO

Mês
Ter
Qui
Ter
Qui
Ter
Qui
Ter
Qui
Ter
Qui
Março
14
16
21
23
28
30
Abril
4
6
11
13
18
20
25
27
Maio
2
4

Professor 
Zilda Ferreira — Desde 1992 é correspondente, no Rio de Janeiro, do jornal Folha do Meio Ambiente. Tem passagens ainda pelo GloboJornal do BrasilJornal de BrasíliaCorreio BrazilienseÚltima Hora (Brasília), tendo inclusive feito a cobertura da implantação do Projeto Grande Carajás, em 1982, pelo jornal O Estado do Maranhão. É pesquisadora-externa do Grupo de Estudos em Educação Ambiental da UFRJ.

5. FOTOJORNALISMO

Objetivos

Oferecer aos profissionais e estudantes de Jornalismo elementos para análise crítica e a prática da fotografia jornalística, através do conhecimento de sua linguagem e de suas técnicas. O curso terá ainda como meta discutir com os alunos o fotojornalismo e sua adequação ao veículo em que é praticado.

  • Ementa
  • História do fotojornalismo.
  • Linguagem do fotojornalismo: elementos e principais tendências.
  • Concepção e realização de fotorreportagem.
  • Fotojornalismo e seus equipamentos.
  • As novas tecnologias digitais.
  • Edição fotográfica.

Dias e Horários:
— aulas teóricas: sextas, de 9h às 12h (na ABI)
— aulas práticas: sábados ou domingos, em local e horário (com pelo menos cinco horas/aula) a combinar com a turma 

CALENDÁRIO
Mês
Sex
Sáb
Sex
Sáb
Sex
Sáb
Sex
Sáb
Sex

Sáb

Março
24
25
31
Abril
1
7
8
28
29
Maio
5
6

* O curso se estenderá até o mês de maio devido aos feriados em abril, nos dias 14 e 21 (sextas-feiras), o que inviabilizaria a realização de aulas nos sábados.

Professor
Marco Terranova — Nos 28 anos dedicados à fotografia, nas áreas de jornalismo, aventura, natureza, humanas e sociais, Marco Terranova tem em seu currículo o Prêmio Esso de Fotografia de 1999, com a foto “Domingo de pavor”, e o Prêmio Castelo Branco de Fotojornalismo de 1996. Colabora ou já colaborou com os principais veículos de comunicação do País, entre eles VejaÍcaroIstoÉDuas RodasMergulharNáuticaRevista de Domingo e Revista Programa (do Jornal do Brasil). Colabora com os projetos Baleia Jubarte e Mundo da Lama (mangues da Baía de Guanabara), com o Instituto Estadual de Florestas (IEF) e com o Parque Nacional da Tijuca, entre outros.

Entre os trabalhos importantes em andamento ou concluídos, ele inclui os realizados para o Projeto Sivam, com 10 mil quilômetros voados em um monomotor sobre a selva amazônica; 20 dias de viagem pela Chapada dos Veadeiros e pelo Pantanal para produzir fotografias para o Relatório Anual da Brasil Telecom 2003; e 15 anos de documentação fotográfica no arquipélago de Abrolhos registrando o comportamento das baleias jubarte. Entre as capas de CDs, incluem-se as feitas para Os Detonautas (2002), Moacyr Luz (2005), Guilherme de Brito (2002 e 2004), Felipe Dylon (2003) e Jorge Vercilo (2004). Tem experiência ainda com videoclipes, documentários em vídeo e cinema. Entre os livros publicados, destacam-se “O Rio sob a lente dos fotógrafos” — presente da Prefeitura do Rio a todos os chefes de Estado que compareceram à ECO 92 —, “Montanhas do Rio” e “Biodiversidade da costa brasileira”, além de vários — coletivos ou em parceria — sobre a Floresta da Tijuca, da qual é fotógrafo permanente.

COORDENAÇÃO:
Paulo César Castro, jornalista, professor adjunto da Escola de Comunicação da UFRJ.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s