Dez filmes sobre jornalismo para assistir na Netflix


São raros os filmes que conseguem retratar com dignidade e uma certa fidelidade a figura do jornalista. Na maioria dos casos, a distorção é tão grande que poucos conseguem se enxergar no personagem.

Até um diretor sisudo como Oliver Stone derrapou na tarefa no filme “Snowden”, ao mostrar um Glenn Greenwald tão afetado que mais parecia um jornalista metido a salvador do mundo de uma novela qualquer da Globo.

Um dos raros títulos a conseguir a façanha de colocar na tela o jornalista como ele é chegou há 42 anos. “Todos os Homens do Presidente”, aquele que mostrou como uma dupla inexperiente de repórteres ajudou a implodir o presidente norte-americano Richard Nixon, não teve medo de retratar o cotidiano de Bob Woodward e Carl Bernstein na apuração do caso Watergate.

Agora, 2018 está para receber outro filme que volta aos anos 1970 para contar uma história que chacoalhou os Estados Unidos pouco antes do Watergate. “The Post”, dirigido por Steven Spielberg, encena as investigações de duas redações sobre o caso do Pentagon Papers, documento com informações sigilosas dos Estados Unidos sobre a Guerra do Vietnã.

Apesar de a história ter aparecido primeiro no The New York Times, é o The Washington Post que ganha ênfase. Tanto que os dois personagens principais são ícones do jornalismo americano e do WP. Meryl Streep interpreta Katherine Graham, a publisher do jornal, e Tom Hanks faz o lendário Ben Bradlee, o editor-executivo que teve papel fundamental no Watergate.

“The Post” estreou em pequena escala nos EUA em 2017 para poder concorrer aos principais prêmios do cinema, mas volta em janeiro em lançamento amplo.

Enquanto o filme não chega ao Brasil — a estreia está prevista para 1º de fevereiro —, vale dar uma passada na Netflix e vasculhar o catálogo de filmes sobre jornalismo. Apesar de não ser um gênero muito explorado, há boas obras, de ficção a documentário, que colocam o jornalista sob o olhar do espectador.

São dez sugestões mais um bônus.
1. Scoop

Scoop está disponível na Netflix

Este não faz parte das grandes obras de Woody Allen, mas ainda assim é um genuíno filme do diretor. Ele satiriza a forma como jornalistas encontram suas notícias ao contar a história de uma estudante de jornalismo (Scarlett Johansson) que se depara com um furo por meios não convencionais.

2. Diário de um Jornalista Bêbado
No catálogo da Netflix, está o Diário de um Jornalista Bêbado
Estamos diante de uma adaptação, na medida do possível, do romance de Hunter S. Thompson (The Rum Diary). Gonzo na sua melhor definição, o filme acompanha o trabalho do jornalista Paul Kemp (Johnny Depp), que, cansado de Nova York, muda-se para Porto Rico, onde vai desenvolver uma obsessão pela noiva de um colega e por destilados.

3. Enquiring Minds
Conheça a história de The National Enquirer
O jornalismo sensacionalista tem uma definição mais consistente nos países de língua inglesa, que não se restrigem a publicar fofocas de celebridades da TV, como no Brasil. Tanto na Inglaterra como nos Estados Unidos, eles vão além e não raro invadem privacidade para mostrar políticos e poderosos em situações constrangedoras.

Este documentário destrincha a história de um desses veículos, o americano The National Enquirer, por meio da trajetória de seu publisher, Gene Pope.

4. Conspiração e Poder
Conspiração faz parte do catálogo de filmes da Netflix
Este filme vem com aquela chancela que dá mais sabor a um filme sobre jornalismo: baseado em uma história real. A produtora Mary Mapes (Cate Blanchett), do clássico “60 Minutes”, descobre que o então presidente George W. Bush teria escapado do Exército e de servir no Vietnã ao utilizar contatos privilegiados. A informação chega no meio da campanha de reeleição e, com apoio do lendário Dan Rather, foi ao ar e imediatamente contestada. Entra em cena o sexismo na imprensa e a força da influência política.

5. O Abutre
Jake Gyllenhaal em Abutre
O mundo dos freelancer ganhou, até agora, um retrato definitivo e nada glamouroso. Louis Bloom (Jake Gyllenhaal) ouve as frequências da polícia de Los Angeles para chegar primeiro às cenas de crime. Ele filma e vende para a TV que pagar mais, nem sempre utilizando métodos legais ou éticos, principalmente quando encontra concorrência forte.

6. Zodíaco
Zodíaco, de David Fincher, também está no catálogo da Netflix
O diretor David Fincher construiu uma obra que investiga como as obsessões podem ser definidoras. Um cartunista de um jornal de São Francisco (Jake Gyllenhaal) se embrenha em participar das reportagens sobre o assassino do Zodíaco, enquanto o repórter Paul Avery (Robert Downey Jr.) não leva muito a sério a caçada e o próprio serial killer. Anos depois, ambos vão sofrer as consequências de suas decisões.

7. Voyeur
Conheça a história de Gay Talese, ao escrever o livro Voyeur
Gay Talese passou décadas acumulando informações e apurando a história de Gerald Foos, dono de um motel que observava os hóspedes por uma fenda no teto dos quartos. Em 2016, lançou o livro “O Voyeur”. Mas, ao ser apresentado a novos dados, renegou a obra, para dias depois voltar atrás. Foi quando deu vida à melhor obra de ficção baseada em fatos reais dos últimos tempos. Este documentário conta a história de Talese com seu objeto de investigação e seus métodos.

8. Joan Didion: The Center Will Not Hold
O filme sobre a jornalista americana Joan Didion está disponível na Netflix
A jornalista americana, uma das poucas mulheres a se encaixar no rótulo do Novo Jornalismo, reflete sobre sua carreira enquanto analisa as inúmeras batalhas pessoais que teve que enfrentar. A mais cruel foi enfrentar a morte do marido, retratada no livro “O Ano do Pensamento Mágico”. Em tom intimista — o documentário foi dirigido por seu sobrinho, Griffin Dunne —, a cronista encara a câmera para falar de suas reportagens clássicas sobre São Francisco nos anos 1960 até a virada para uma escrita mais pessoal.

9. Sangue, Câmera, Ação
Sangue, Câmera, Ação é uma série sobre três caçadores de notícia pelas madrugadas de Los Angeles
Tal como em “O Abutre”, esta série acompanha três caçadores de notícia pelas madrugadas de Los Angeles. A premissa é a mesma do filme: monitoramento dos rádios da polícia, disputa pelo furo, métodos questionáveis e invasão de cenas de crimes. Estão disponíveis oito episódios.

10. The Panama Papers
Documentário sobre os jornalistas que lideraram o grupo de repórteres do mundo sobre o Panama Papers
Dois jornalistas estão no centro deste documentário: Frederik Obermaier e Bastian Obermayer, responsáveis por liderar o grupo de repórteres do mundo todo na investigação dos dados sobre as contas secretas em paraísos fiscais. Eles tinham em mãos mais de 11 milhões de documentos da firma panamenha de advocacia Mossack Fonseca, com identidades e valores envolvidos.

Bônus

Na verdade, é uma lista.

O Washington Post convocou seus críticos de cinema para preparar uma lista dos dez melhores filmes sobre jornalismo. Depois, pediu para gente do calibre de Jill Abramson, Bob Woodward, Carl Bernstein e Martin Baron para comentar cada um deles.

O resultado é este:

Jejum de Amor (His Girl Friday, 1940), de Howard Hawks

Cidadão Kane (Citizen Kane, 1941), de Orson Welles

Rede de Intrigas (Network, 1976), de Sidney Lumet

Todos os Homens do Presidente (All the President’s Men, 1976), de Alan J. Pakula

Os Gritos do Silêncio (The Killing Fields, 1984), de Roland Joffé

Nos Bastidores da Notícia (Broadcast News, 1987), de James L. Brooks

O Preço de uma Verdade (Shattered Glass, 2003), Billy Ray

Boa Noite, e Boa Sorte (Good Night, and Good Luck, 2006), de George Clooney

Frost/Nixon (idem, 2008), de Ron Howard

Spotlight: Segredos Revelados (Spotlight, 2016), de Thomas McCarthy

Você sabia que o BRIO tem uma parceria com a Elo Produtora? Fornecemos histórias para que a produtora use na produção de documentários, séries documentais e ficções baseadas em fatos reais.

Ricardo Ballarine
Ricardo é entusiasta de um jornalismo inovador e que explora todas as possibilidades narrativas. Dedicou parte da carreira a treinar e capacitar jornalistas. Paulista de origem, hoje vive em Uberlândia (MG). Não só tem fé no jornalismo como acredita que ainda há um caminho imenso a ser explorado. Fale com ele no rb@brio.media
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s