Gênios e autistas?



Giovana Girardi

Reprodução
Albert Einstein

A genialidade do físico alemão Albert Einstein (1879-1955) e do inglês Isaac Newton (1642-1727) pode ter escondido sintomas de um tipo de autismo. É o que diz um artigo publicado na revista britânica ‘Journal of the Royal Society of Medicine’. A hipótese foi levantada por Ioan James, da Universidade de Oxford, e Simon Baron-Cohen, diretor do Centro de Pesquisa em Autismo da Universidade de Cambridge.

Reprodução
Isaac Newton

Embora seja impossível fazer um diagnóstico definitivo, eles estudaram as personalidades de Einstein e Newton e encontraram sinais que se encaixam com alguns sintomas da síndrome de Asperger – uma forma de autismo caracterizada por interesses obsessivos, rotina repetitiva, tendência ao isolamento e deficiências em habilidades sociais. A síndrome não prejudica o aprendizado ou a inteligência. Ao contrário, muitos pacientes têm inteligência acima da média.

Newton, por exemplo, era uma pessoa distante, mal humorada e quando se envolvia para desvendar um assunto, passava por longos períodos de solidão e até se esquecia de comer. Além disso, tinha a mania de reescrever até 20 vezes os seus estudos, mas fazia poucas alterações entre uma cópia e outra. Já Einstein, quando criança, costumava repetir a mesma frase durante horas e estava sempre sozinho. Na fase adulta, mantinha um guarda-roupa peculiar: sete ternos, todos iguais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s