Diversão e Felicidade


Podemos sentir que somos felizes a cada dia de nossa vida, através das pequenas coisas que fazemos diariamente e, com certeza, sentimo-nos felizes ao guardar os mandamentos de um Deus amoroso.

Há cerca de 4 meses recebi a designação de servir em Bogotá, Colômbia, e mudei-me para lá. Certo dia, resolvi procurar o caminho para chegar à capela de minha ala e me detive em um parque repleto de pessoas, para pedir informação.

Observei que nesse parque havia muitas famílias desfrutando da bela e ensolarada manhã.

Parei por alguns instantes para observar as muitas crianças que brincavam amigavelmente no parque. Elas tinham um brilho especial em seu semblante, tinham o rosto corado pelo sol e pelo esforço que faziam para correr e jogar juntas. Elas eram muito amáveis umas com as outras.

Pensei que estavam-se divertindo bastante. Observei melhor e então percebi que, mais do que tendo alguns momentos de diversão, aquelas criancinhas tão puras eram totalmente felizes.

Depois, enquanto dirigia o automóvel para a capela, meus pensamentos voltaram-se para um fato ocorrido comigo logo depois de ter sido batizado na Igreja. Um de meus amigos perguntou-me o que eu havia encontrado de diferente na Igreja. Respondi-lhe: “Encontrei a verdadeira felicidade”. Ele disse-me, então: “A felicidade completa não existe. O que existe são momentos felizes”.

Compreendo que esse meu bom amigo não sabia a diferença entre diversão e felicidade. O que chamava de “momentos felizes”, eram os momentos em que ele se divertia. Ele não sabia que felicidade era muito mais do que diversão, pois a diversão é passageira, mas a felicidade, por sua vez, é algo duradouro.

Muitas pessoas, neste mundo, não compreendem a diferença entre diversão e felicidade. Muitas buscam encontrar felicidade em meio à diversão, mas essas duas palavras têm significados diferentes.

Procurei no dicionário a definição de ambas as palavras e encontrei o seguinte: Diversão é brincadeira, graça, gracejo, troca, pândega, coisa ou pessoa motivo de divertimento, fonte de diversão ou prazer, coisa ou pessoa divertida ou engraçada, brincar e gracejar. Felicidade é ventura, alegria, satisfação e contentamento.

Aprendi, depois de tornar-me membro da Igreja, que existe realmente uma grande diferença entre diversão e felicidade. Aprendera, ainda antes de ser batizado, que o Senhor tem um plano de salvação para todos os Seus filhos. (Ver 2 Néfi 2:9.) Por intermédio desse plano, dependendo do que fizermos aqui na Terra, poderemos voltar à presença de nosso Pai Celestial e viver com Ele para sempre em um estado de eterna felicidade.

Tanto diversão quanto felicidade são coisas boas, mas com toda certeza felicidade é a mais desejável. A felicidade também inclui diversão, mas a diversão por si só não pode garantir-nos a felicidade plena.

No livro de Lucas, capítulo 15, encontramos a parábola do filho pródigo. Nessa parábola, o filho mais jovem de um homem lhe pede sua parte na herança. O pai a entrega a ele e esse jovem filho sai pelo mundo, buscando o que pensava ser a verdadeira felicidade. Ele começa a divertir-se muito e, enquanto tem dinheiro, vive rodeado por muitas pessoas que parecem ser seus amigos. Quando a fortuna é totalmente desperdiçada em diversão com os supostos amigos, todos lhe dão as costas e ele fica sem absolutamente nada. Nesse ponto de sua vida, ele passa por muito sofrimento, decepções. Vai trabalhar com um homem, cuidando de seus porcos e chega, por estar passando fome, a desejar comer o que colocavam para os porcos comerem. Pensa nos empregados de seu pai, que podem comer bem, ao passo que ele não tem o que comer.

Decide então, voltar à casa de seu pai e pedir-lhe que permita que ele seja um de seus servos. Ele volta arrependido de suas ações e seu pai, um homem justo, o recebe como um filho especial. Ele compreende então que a felicidade estava ali, na vida simples com sua família.

Todos os que buscam a felicidade completa, podem encontrá-la no evangelho do Salvador Jesus Cristo que é ensinado em Sua Igreja. Por meio da doutrina de Cristo, aprendemos que podemos fazer parte desse grande plano de felicidade que Ele preparou para todos nós, Seus filhos e filhas. Ao guardarmos Seus mandamentos, somos abençoados e chegamos a conhecer a verdadeira felicidade. Aprendemos que a felicidade está em se fazer coisas pequenas que nos edificam, que aumentam nossa fé e testemunho. Coisas que fazemos diariamente, como por exemplo:

Sentimo-nos felizes ao orar pela manhã e à noite, quando sabemos seguramente que o Senhor nos ouve e que está sempre disposto a nos abençoar, perdoar e ajudar. Sentimo-nos felizes pela influência do Espírito Santo em nossa vida; ao sentirmos o Espírito quando temos que tomar decisões importantes em nossa vida. Sentimo-nos felizes ao voltar para casa, depois de um longo e cansativo dia de trabalho e encontrar nossa esposa e filhos esperando-nos com um belo sorriso e com grande manifestação de amor e apreciação por nós. Sentimo-nos felizes ao conversar com nossos filhos, ao divertir-nos em família, ao participar da noite familiar. Enfim, podemos sentir que somos felizes a cada dia de nossa vida, através das pequenas coisas que fazemos diariamente e, com certeza, sentimo-nos felizes ao guardar os mandamentos de um Deus amoroso que Se preocupa conosco.

A verdadeira felicidade está em guardar os mandamentos de Deus. Aprendemos em 2 Néfi 2:25 que “Adão caiu para que os homens existissem; e os homem existem para que tenham alegria” ou, em outras palavras, para que sejam felizes.

Tenho visto essa felicidade na vida de muitos membros da Igreja. Há algumas semanas fui designado para presidir a conferência de uma estaca na Cidade de Cali, Colômbia. Lá conheci um jovem muito especial, membro da Igreja e que pode ilustrar bem o que significa ser totalmente feliz.

O nome do jovem é Fabián. A família é membro da Igreja e ele conheceu o plano de felicidade desde sua mais tenra idade. Em 1984, quando tinha 3 anos, Fabián e a família viviam em uma casa que ficava próxima a uma grande avenida muito movimentada. Essa avenida é a rota de muitas linhas de ônibus da cidade.

Certo dia, aproveitando que o portão da casa estava aberto, o pequeno Fabián saiu à rua e foi atropelado por um ônibus que passava. Graças à bondade do Pai Celestial, Fabián saiu com vida do acidente. Seus pais levaram-no a três hospitais diferentes que não o puderam atender. Continuaram buscando ajuda e, quando encontraram a assistência médica necessária, ouviram um prognóstico não muito favorável. Depois de múltiplas cirurgias, os médicos informaram à família que os danos físicos sofridos por Fabián foram tão grandes na região de suas pernas e pés que, para salvá-lo, tiveram que amputar sua perna direita.

O pequeno Fabián começou então uma vida diferente, sem uma das pernas. Aprendeu, aos poucos, a dominar seu corpo e a caminhar com auxílio de muletas. Foi à escola e recebeu apoio dos professores e companheiros. Alguns zombavam dele, mas aprendeu bem cedo a não ligar para as brincadeiras que faziam.

Ele tinha o desejo de participar de todas as atividades físicas e o fazia amiúde. Apesar de ser difícil vencer as competições, estava sempre pronto a participar corajosamente.

Atualmente Fabián é conselheiro na presidência da organização dos Rapazes de sua estaca. É aluno assíduo do Instituto de Religião em sua cidade e participa ativamente na liderança estudantil. Pratica basquetebol e futebol. Também pingue-pongue com seus amigos do Instituto. Anda de bicicleta e faz tudo o que qualquer jovem pode fazer. Trabalha, como voluntário, ensinando inglês em uma fundação que cuida de crianças pobres.

Fabián quer servir o próximo e a Deus com todas as suas forças. Traz um sorriso constante no rosto e está sempre pronto a ajudar alguém. É um jovem totalmente feliz. Com uma força extraordinária que vem de sua fé e confiança em Deus, Fabián é um grande exemplo para todas as pessoas de sua cidade.

Sua felicidade vem de, a cada dia, procurar levar uma vida digna e ser obediente aos mandamentos de Deus. Ele faz-me lembrar da escritura que está em Mosias 2:41: “E ainda mais, quisera que considerásseis o estado abençoado e feliz daqueles que guardam os mandamentos de Deus. Pois eis que são abençoados em todas as coisas, tanto materiais como espirituais; e se eles se conservarem fiéis até o fim, serão recebidos no céu, para que assim possam habitar com Deus em um estado de felicidade sem fim. Oh! Lembrai-vos, lembrai-vos de que estas coisas são verdadeiras, porque o Senhor Deus as disse”.

Sendo obedientes aos mandamentos de Deus, seremos felizes para sempre. O Senhor declarou em Alma 41:10 que “iniqüidade nunca foi felicidade”.

Como um servo de Deus e membro da Sua Igreja, convido-os a serem plenamente felizes ouvindo os Seus conselhos, vivendo Seus mandamentos e obedecendo a palavra de Seus profetas vivos.

Sei que um dos fatores que grandemente influem em nossa felicidade é o fato de ouvir os conselhos dos profetas vivos que nos estão ensinando nesta Igreja.

Tenho um testemunho de que Deus vive, Jesus é o Cristo, Nosso Salvador e Redentor. Ele deu Sua preciosa vida por todos nós. Sei que Joseph Smith é um profeta de Deus. Eu sei que ele o é, com toda a certeza. Sei que o Livro de Mórmon é a palavra de Deus e que pode nos guiar nos caminhos da felicidade.

Sei que o Presidente Gordon B. Hinckley é o profeta de Deus hoje em dia e que ele nos ensina com amor e paciência, como sermos felizes nesta vida e, por conseqüência, na vida vindoura.

Estas coisas são uma parte de meu testemunho da verdade e as compartilho com vocês, meus irmãos e irmãs. Em nome de Jesus Cristo. Amém.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s