Finitude e transcendência: estudo sobre o primeiro Heidegger


Título alternativo Finitude and transcendence: a study on the first Heidegger
Autor Morgado Junior, Pedro Donizeti Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Codato, Luciano Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Filosofia – Guarulhos
Resumo Este trabalho tem por objetivo analisar as questões relativas à finitude e à transcendência do ser humano, tomando como referência algumas das obras escritas por Martin Heidegger durante a década de 1920-30, período que se convencionou chamar de “primeiro Heidegger”. Trata-se de observar que a finitude do ser humano não consiste, segundo Heidegger, em uma abstração, mas em sua condição estrutural. A questão da transcendência não mais é compreendida nos termos da metafísica moderna, conforme a relação sujeito/objeto. Mediante o projeto de uma analítica existencial, Heidegger dá início à desconstrução dos conceitos sedimentados na história da ontologia tradicional, de modo a viabilizar um caminho de interpretação sobre o sentido do ser e sobre o Dasein humano. O ser-aí, segundo Heidegger, é um poder-ser constituído pelo ser-no-mundo que se angustia em seu ser-para-a-morte. Essa constituição, por sua vez, consiste no horizonte da transcendência e da finitude humanas.

The subject of this dissertation is the relationship between finitude and transcendence of human being, according to the early work of Martin Heidegger (decade 1920-1930). By means of Existential Analytic, the so-called “first Heidegger” intends to deconstruct traditional ontology, and provides an original interpretation of being as being and human Dasein (being-there) as being-in-the-world. Heidegger does not characterize human finitude as an abstraction, but rather as the structural and concrete condition of human being. The question of transcendence, which follows immediately the question of finitude, is no longer put in terms of modern metaphysics of subjectivity. According to Heidegger, Dasein is a potentiality of being that refers to a being-in-the-world and its Angst (anxiety, anguish) as being-toward-death. This situation is the horizon of human’s transcendence and finitude.

Palavra-chave Heidegger
Finitude
Transcendência
Metafísica
Ontologia
Heidegger
Finitude
Transcendence
Metaphysics
Ontology
Idioma Português
Data de publicação 2014-10-13
Publicado em MORGADO JUNIOR, Pedro Donizeti. Finitude e transcendência: estudo sobre o primeiro Heidegger. 2014. 108 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) – Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Guarulhos, 2014.
Área de concentração Filosofia
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 108 f.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/39258

Exibir registro completo

Arquivo

Icon
Nome: Publico-39258.pdf
Tamanho: 787.3KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s