Petros – Equacionamento no site da Petros


https://equacionamento.petros.com.br/

O Plano Petros do Sistema Petrobras (PPSP), de benefício definido, está passando por um processo de equacionamento, em função do déficit de R$ 22,6 bilhões acumulado nos anos de 2013, 2014 e 2015. Atualizado para o final de 2017, com base na meta atuarial (inflação + taxa de juros), o déficit do PPSP foi corrigido para R$ 27,7 bilhões.

O equacionamento é fundamental para garantir a continuidade do plano no longo prazo, com o pagamento das aposentadorias, pensões e cumprimento de todos os demais compromissos assumidos com os participantes. Exatamente por isso, o equacionamento é obrigatório, conforme previsto na legislação que rege o segmento de previdência complementar, sendo, consequentemente, uma exigência do órgão fiscalizador do setor, a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc).

O déficit deve ser equacionado por todos os participantes — ativos, aposentados e pensionistas — e também pelas patrocinadoras — Petrobras, Petrobras Distribuidora e Petros —, na mesma proporção das contribuições normais realizadas no período de 2013 a 2015, conforme determinado na legislação.

A proposta de equacionamento do déficit do PPSP foi aprovada em 12 de setembro de 2017 pelo Conselho Deliberativo da Petros, que conta com representantes eleitos pelos participantes e com representantes da patrocinadora Petrobras. Em 30 de janeiro de 2018, a Fundação foi comunicada pela Petrobras, e, em 31 de janeiro, pela Petrobras Distribuidora, que a Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Sest) apresentou parecer favorável, aprovando o Plano de Equacionamento de Déficit (PED) referente ao exercício de 2015. Com isso, mesmo estando habilitada a iniciar a cobrança das contribuições extraordinárias já em fevereiro, a Fundação optou por efetuar a cobrança a partir do contracheque de março, para que os participantes pudessem ser amplamente comunicados sobre o início do desconto. Com isso, o adiantamento pago no dia 10 de março já sofrerá o desconto da contribuição extraordinária.

A Petros cumprirá todas as decisões judiciais referentes ao Plano de Equacionamento de Déficit, observando os participantes e assistidos abrangidos pelos limites das decisões judiciais.

É importante ressaltar que o déficit do PPSP não tem qualquer influência sobre o PP-2, nem sobre qualquer outro plano administrado pela Petros. Ou seja, outros planos que estão com as contas equilibradas não têm que fazer equacionamento.

Nas telas a seguir, você pode saber mais sobre o equacionamento, as causas do déficit do PPSP, os percentuais de cobrança e tirar suas dúvidas sobre o assunto. Aqui

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s