Federação Nacional dos Servidores dos Ministérios Públicos Estaduais se filia à CSP-Conlutas


19/03/2018

A FENAMP (Federação Nacional dos Trabalhadores dos Ministérios Públicos Estaduais) se filiou à CSP-Conlutas em 15/03/2018, no segundo dia do I Congresso Extraordinário que integrou programação do Fórum Social Mundial 2018 (realizado em Salvador no período de 13 a 17/03).

 

 

Seis centrais foram convidadas a se apresentar aos participantes do congresso para a escolha da filiação: CSP-Conlutas, CTB, CUT, Intersindical, Nova Central e Pública.

 

Segundo Saulo Arcangeli, quem falou pela SEN (Secretaria Executiva Nacional) da CSP-Conlutas, um dos fatores fundamentais que pesou na decisão foi a atuação da Central em 2017. “Acredito que a firmeza da Central e o papel que cumpriu na defesa dos trabalhadores contra as reformas trabalhista e previdenciária, tenha sido fundamental para a escolha”, garantiu.

 

Os servidores dos ministérios públicos estaduais vêm sofrendo diversos ataques, os mesmos que estão sofrendo a classe trabalhadora como um todo. A terceirização tem sido uma política nefasta no setor, há a ameaça da Reforma da Previdência e as consequências da Reforma Trabalhista provocam forte resistência do funcionalismo, assim como as reformas que estão acontecendo nos estados.

 

Os coordenadores executivos da FENAMP, Rosivane Mendes, diretoria do Sindicato dos Servidores do Ministério Público do Pará, e Alberto Ledur, presidente do Sindicato dos Servidores do Ministério Público do Rio Grande do Sul, foram os defensores da proposta de filiação à Central.

 

De acordo com Rosivane, Alberto resgatou a história da CSP-Conlutas desde a sua fundação quando entidades romperam com a CUT por esta central apoiar reformas previdenciárias do governo Lula e defendeu a atuação da Central no último período. “Ele falou da importância do comprometimento da CSP-Conlutas nas lutas contra as reformas e como se manteve firme quando as outras centrais recuaram da Greve Geral”, frisou a dirigente.

 

Rosivane também apontou a atuação da Central no movimento de mulheres trabalhadoras. “Entendemos que as mulheres são as que mais sofrem no ambiente do trabalho e o índice de assédio é altíssimo no serviço público e isso precisa ser levado em conta e a atuação da CSP-Conlutas na luta das mulheres foi um fator importante”.

 

Em novembro de 2017 foi realizada Plenária da FENAMP em Goiânia (GO), na qual foi deliberado que durante o Congresso Extraordinário de Salvador seria decidido se a FENAMP se filiaria em entidades de classes superiores (Central e Confederação).

 

Segundo Rosivane, foi um encaminhamento democrático, com planejamento e pauta prévia de discussão, reforçando que o convite às centrais foi muito importante. “Foi uma decisão madura com convite às centrais para fazerem apresentações de manhã e à tarde ocorreu o debate”, afirmou.

 

“Foi um processo de escolha longo, estudado e democrático”, salientou.

 

A entidade que conta com vinte e três sindicatos estaduais filiados expressa uma vitória para a CSP-Conlutas. O dirigente saúda a decisão da categoria de servidores dos ministérios públicos estaduais e abre as portas da Central para a Fenamp.“São muito bem-vindos e bem-vindas!”.

 

O Congresso Extraordinário da Federação contou a seguinte pauta: análise de conjuntura, balanço organizativo, definição da pauta de lutas para 2018 e aprovação de plano de ação, prestação de contas de 2017 e previsão orçamentária para 2018, alteração estatutária, filiação a entidades de grau superior, eleição de integrantes do sistema diretivo da Fenamp e recursos às decisões da Coordenação Executiva.

 

A base presente ao Congresso entendeu que o debate sobre a filiação a uma Confederação deve ser continuado no Congresso de 2019.

Anúncios